sábado, 30 de janeiro de 2010

Bombeiros de Loriga na Serra da Estrela

ZéFernandes

Seia pode perder aviões de combate a incêndios

Presidente da Câmara, que já reuniu com o secretário de Estado da Protecção Civil, promete repensar investimento a efectuar caso o Governo decida retirar os aviões.
Depois de ter sido rejeitado pelo Governo para acolher a sede permanente da frota de 10 helicópteros da Protecção Civil, o Aeródromo Municipal de Seia corre o risco de vir a perder os meios aéreos pesados de combate a incêndios. Recorde-se que é aqui que ficam estacionados os dois aviões aerotanques pesados, anfíbios, que operam em Portugal durante os meses de Junho a Outubro.
O receio foi manifestado por Carlos Filipe Camelo, que reuniu recentemente com o secretário de Estado da Protecção Civil, Vasco Franco, com quem discutiu o futuro do Aeródromo, nomeadamente a sua utilização no período destinado ao combate a incêndios.
O presidente da Câmara Municipal referiu, na última reunião do Executivo, que a «decisão política» que o Governo tomou há cerca de três anos para a valorização das instalações do aeródromo de Ponte de Sôr, «nessas circunstâncias, quer queiramos quer não, veio a beliscar aquilo que é a funcionalidade e a predisposição da colocação [em Seia] de equipamentos, mormente os aviões pesados», enquanto decorre a operação de incêndios florestais.
De acordo com o autarca, a reunião teve como objectivo «sensibilizar» o Governo porque «se há um conjunto de questões que hoje são colocadas e que são mais-valias que o aeródromo de Ponte de Sôr tem relativamente ao nosso; o nosso tem um conjunto de outras mais-valias que aquele não tem, mormente no que diz respeito à pista e às condições de aterragem». Contudo, reconhece que “o concorrente” é superior em termos de logística.
Estas condições que são apresentadas por Ponte de Sôr «também poderão surgir a médio prazo em Seia», referiu o presidente da Câmara aos vereadores, que salientou a candidatura apresentada ao QREN para a construção de um edifício e de uma aerogare, tendo sido aprovada uma comparticipação de 50 por cento dos 800 mil euros a investir, estando as obras já adjudicadas à empresa Condop.
Investimento a repensar
Uma das mais-valias deste investimento, disse também o autarca, tem a ver com a criação e instalação no local do Centro Municipal de Operações de Socorro (CMOS), ficando assim dotado o aeródromo de componente logística para os Bombeiros e a Protecção Civil.«É evidente que um projecto destes, se eventualmente não houver condições para que o aeródromo possa ser utilizado às operações de fogos florestais, ou outras ligadas à protecção e socorro, há que equacionar se valerá a pena nós estarmos a fazer um investimento daquele montante num espaço como aquele» porque, disse, «nós temos necessidade de dinheiro noutras situações» e, portanto, «poderemos inverter aquilo que são as prioridades» que a Câmara tem.Filipe Camelo disse que «não é isso que é o desejável», prometendo que vai tentar inverter a situação, apesar de no próximo Verão «não teremos as condições que serão as desejáveis».
Já na última Assembleia Municipal, o autarca já tinha referido que estava em curso um «lobby muito forte dos pilotos para deslocar os meios aéreos pesados para outro local mais próximo de Lisboa», apesar de a pista de Ponte de Sôr «só tem condições» para receber aviões até 5.700 toneladas, enquanto que a de Seia «está habilitada» para receber aviões com 15.000 toneladas.
Vasco Franco deverá visitar infraestrutura em Fevereiro.
Não possuindo o secretário de Estado algumas informações «correctas» e «de acordo com a realidade» de Seia, Carlos Filipe Camelo fez ver a Vasco Franco que os dois aeródromos «podem ser complementares». Para verificar isso mesmo no terreno, o secretário de Estado deverá deslocar-se ao local no próximo mês de Fevereiro, no sentido de se «inteirar daquilo que é a realidade do nosso aeródromo», adianta.«Vamos serenamente, embora com a preocupação e com o empenho na decisão, aguardar a visita de Vasco Franco que assim poderá ver o que o aeródromo pode oferecer», frisou ao autarca.
O Plano de Desenvolvimento do Aeródromo Municipal de Seia contempla uma intervenção global no recinto, com duas pistas, a construção de um heliporto e de sete hangares para manutenção e apoio às aeronaves, a sinalização da pista, a placa de estacionamento e a estação meteorológica, equipamentos que vão custar à autarquia cerca de 3,5 milhões de euros.O Aeródromo de Seia, a única pista de aviação existente no Distrito da Guarda, é praticamente em exclusivo utilizado pelos meios aéreos envolvidos no combate a incêndios florestais, mas a anterior Câmara, presidida por Eduardo Brito, prometeu abri-lo à aviação civil, principalmente para voos turísticos.
Exercício militar no Aeródromo
Como prova de que o Aeródromo de Seia tem condições para receber aviões pesados e de grande porte, o Ministério da Defesa Nacional e a Força Aérea Portuguesa vão levar a efeito o exercício “Real Thaw 10”, de 25 de Janeiro a 5 de Fevereiro.
À semelhança do ano passado, o exercício que foi planeado pelo Comando Operacional da Força Aérea e executado a partir da Esquadra 301, da Base Aérea de Monte Real, deverá envolver os aviões F16, os Aviocar e os helicópteros Allouette III, simulando um cenário de guerra, que em Fevereiro de 2009 foi semelhante ao que os militares poderiam encontrar no Afeganistão.
Porta da Estrela

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Bombeiros de Gouveia contestam nomeação do comandante

Um grupo de bombeiros de Gouveia está a contestar a nomeação para comandante do actual comandante interino, António Soares.
O assunto, que tem estado a ser discutido num site na internet, está a criar mal-estar na corporação, havendo mesmo quem fale numa eventual «debandada» dos bombeiros.
O presidente da Associação Humanitária, Gil Barreiros, garante que o comandante proposto tem capacidades para desempenhar as funções e assegura que não está em causa a actividade do quartel.
Terras da Beira

Acidente em túnel da linha do Minho

Um acidente de trabalho no túnel ferroviário de Tamel, na Linha do Minho, em Aborim, Barcelos, causou um ferido, na madrugada de ontem.
Os Bombeiros Voluntários de Barcelos foram alertados às 01h50 e mobilizaram para o local três viaturas e nove elementos.

Tratou-se de um simulacro, em parceria com o consórcio Ferrovias e Construções, S.A./Mota-Engil S.A., com o objectivo de testar procedimentos em caso de acidente de trabalho real.
Na altura do simulacro, estavam no local 14 trabalhadores, mas só o responsável pela segurança e o director da obra sabiam do simulacro.

Os Bombeiros Voluntários de Barcelos demoraram 11 minutos a chegar ao local, onde havia uma vítima com uma fractura do membro inferior esquerdo, na sequência de uma alegada queda em altura.

A equipa de resgate precisou de 34 minutos para retirar a vítima que se encontrava a 530 metros da boca do túnel que tem 900 metros de comprimento. O simulacro revelou que as comunicações não funcionam no interior do túnel, o que pode ser um problema em caso de acidente.

O responsável da obra teve que sair do túnel para comunicar o acidente e os bombeiros também deixaram de ter comunicação, soube o ‘Correio do Minho’ junto de fonte da corporação barcelense. O túnel de Tamel está a ser alvo de obras de conservação.

Correio do Minho/Teresa Costa

Bombeiros das taipas querem recrutar mais elementos

Clique na foto para ampliar
Guimarães Digital

Mais de 200 mil euros para novo auto-tanque e obras no quartel

O orçamento dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira para este ano é de 935 mil euros. As contas foram feitas “com base nas contas reais dos dois anos anteriores”, sem invenções, afirmou o presidente da direcção Carlos Coelho na última assembleia-geral.

Destacam-se, no entanto, duas novas despesas de investimento: 122 mil euros para a aquisição de um auto-tanque VTGC (viatura tanque de grande capacidade) que substitua o acidentado em Agosto de 2008 e 100 mil euros para obras no quartel operacional. A associação espera arrancar este ano com a elaboração do projecto de arquitectura e engenharia de alteração do espaço, em face da necessidade de criar lugar para fardamentos e equipamentos, bem como adaptar vestiários e banhos à entrada de elementos femininos no corpo de bombeiros. Para tal, proceder-se-á à cobertura do terraço existente, permitindo, por alinhamento, aumentar o parque auto.

A associação espera ainda continuar a aquisição de fardamentos e equipamentos de protecção individual e comprar um sistema de video-vigilância para o quartel operacional.

A direcção garantiu ainda que estabelecerá diálogo com a Autoridade Nacional para a Protecção Civil (ANPC) a respeito de uma possível atribuição de um veículo florestal de combate a incêndios (VFCI).

Por: Jornal Labor/ Anabela Carvalho

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Liga dos Bombeiros Portugueses Operação «Liga de proximidade» arranca no Barreiro

Tendo por objectivo estabelecer uma relação mais próxima entre a LBP- Liga dos Bombeiros Portugueses e as Associações e Corpos de Bombeiros, o Conselho Executivo da LBP decidiu pôr em prática durante o ano de 2010 uma operação designada “Liga de proximidade”.

A Operação terá o seu arranque no Barreiro, no próximo dia 5 de Fevereiro, tendo sido escolhida, entre mais de 400 associações do país, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Sul e Sueste (Barreiro) para acolher precisamente a 1ª visita da Liga dos Bombeiros Portugueses.“A actual situação do sector dos bombeiros tem constituído matéria de análise profunda por parte do Conselho Nacional e do Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), tendo sido claramente identificado o “caderno de encargos” da LBP na sua relação com o novo Governo e com as Presidências das Câmaras Municipais resultantes dos recentes actos eleitorais.” – sublinha a direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Sul e Sueste (Barreiro).

Acolher a 1ª visita deixa-nos particularmente orgulhosos

“É neste contexto, reforçado com a vontade expressa de estabelecer uma relação mais próxima entre a LBP e as Associações e Corpos de Bombeiros, que o Conselho Executivo da LBP decidiu pôr em prática durante o ano de 2010 uma operação designada “Liga de proximidade”.” – é salientado.
“Tal iniciativa terá o seu arranque no próximo dia 5 de Fevereiro, tendo a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Sul e Sueste (Barreiro) sido seleccionada, de entre as mais de 400 Associações Humanitárias de Bombeiros e Corpos de Bombeiros da Administração Local filiados na LBP, para acolher precisamente a 1ª visita, situação que nos deixa particularmente orgulhosos.” – refere a Direcção do Sul e Sueste.

“Os Bombeiros e o Barreiro em transformação – Perspectivas no âmbito da Protecção Civil”

No âmbito da visita vai realizar-se um Workshop sobre “Os Bombeiros e o Barreiro em transformação – Perspectivas no âmbito da Protecção Civil”, tendo como referência o Arco Ribeirinho Sul, a reconversão dos terrenos industriais da ex-Quimiparque, a construção da Terceira Travessia do Tejo (TTT) e da linha de Alta Velocidade ferroviária e as indústrias com enquadramento na Directiva SEVESO II.
“Na verdade, todos estes desenvolvimentos se desenrolarão na Área de Actuação Própria do nosso Corpo de Bombeiros, situação a que damos a maior relevância e atenção.” – sublinha a Direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Sul e Sueste (Barreiro).

Programa da visita da Liga dos Bombeiros Portugueses“Liga de proximidade”
Dia 5 de Fevereiro de 2010
9. 45 H oras - Recepção ao Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses
10 horas - Reunião entre a Direcção e o Comando da AHBV Sul e Sueste e o Conselho Executivo da LBP
10.45 horas - Visita ao Quartel-sede
11.15 horas - Workshop “Os Bombeiros e o Barreiro em transformação – Perspectivas no âmbito da Protecção Civil”. Arco Ribeirinho Sul. Reconversão dos terrenos industriais da ex-Quimiparque. Construção da Terceira Travessia do Tejo (TTT) e Alta Velocidade ferroviária. Território industrial – Directiva SEVESO II. Equipas de Intervenção Permanente (EIP). INEM – Posto de Emergência Médica
12.45 horas - Visita ao Museu Industrial da Quimiparque – Núcleo dos Bombeiros
15 Horas - Apresentação do Plano de Emergência da LBC Tanquipor - Apresentação do cenário de simulacro
16 Horas - Simulacro – Acidente rodoviário envolvendo uma cisterna de combustível e um veículo ligeiro
17 Horas - Fim da visita

Rostos on-line

Ílhavo: Viaturas dos bombeiros vandalizadas

O equipamento que fica no exterior do quartel, durante a noite, não escapou à acção dos meliantes. Sucedido vem reforçar urgência de novas instalações
O equipamento que se encontra no exterior do quartel dos Bombeiros Voluntários de Ílhavo (BVI) foi, na noite passada, alvo de actos de vandalismo. Riscos, palavrões escritos com “spray” e outros danos foram efectuados em ambulâncias, auto-escadas e restantes viaturas aí estacionadas.
Hélder Bartolomeu, presidente da Associação Humanitária dos BVI, explica que, apesar de as viaturas ainda poderem circular, os prejuízos são consideráveis e a possibilidade de tais actos se repetirem é eminente. “Os nossos compromissos, no que respeita ao transporte de doentes, não deixaram de ser cumpridos, mas os estragos necessitam de ser reparados e isso comporta custos”, observa.
De acordo com o responsável, estas viaturas não terão sido as únicas afectadas. “Sabemos que outros carros nas imediações do quartel também foram vandalizados”, afirma, sublinhando a necessidade de reforçar o policiamento nesta zona. Hélder Bartolomeu refere que o sucedido vem reforçar a necessidade urgente do novo quartel.
Hoje mesmo, os dirigentes desta corporação reúnem, em Lisboa, com a directora nacional dos Bombeiros, Susana Silva. “Praticamente, já sabemos o que nos vai ser dito, mas desta reunião sairá, de certeza, uma decisão”, assegura o presidente da associação, remetendo a sua divulgação para amanhã. (Ler artigo completo na edição em papel) Carla Real
Diário de Aveiro

Mais de 30 bombeiros nas operações de socorro

O acidente mobilizou uma vasta equipa de socorro das corporações de bombeiros voluntários de Valongo e de Ermesinde. Um total de 36 homens (30 dos quais de Valongo) apoiados por 14 veículos e duas viaturas médicas do INEM.

No local esteve, ainda, uma vasta equipa da GNR, incluindo elementos da Unidade Nacional de Trânsito e do Núcleo de Investigação de Acidentes Rodoviários, e funcionários da Brisa.

A circulação esteve cortada até cerca das 10 horas, entre o nó de Valongo e as portagens de Águas Santas. O trânsito foi desviado para o centro da cidade, utilizando como alternativa a EN 15, o que provocou um enorme engarrafamento.

A partir das 10 horas, o trânsito em direcção ao Porto passou a fazer-se pela faixa de rodagem contrária, retomando o trajecto inicial cerca de 300 metros mais à frente. As operações de limpeza do pavimento só permitiram reabrir a auto-estrada cerca das 16 horas.

JN

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

2010 Afigura-se Um Ano de Primordial Para os Bombeiros

O ano de 2010, afigura-se um ano de primordial importância para o sector dos Bombeiros de Portugal.
Neste ano, se a inércia e a vontade, não faltarem será de esperar que, finalmente a necessária regulamentação e clarificação de toda a importante legislação, já do longínquo ano de 2007, venha a ser clarificada.
Que finalmente se entenda o que se pretende para a regulamentação do regime de trabalho dos nossos profissionais, que se clarifique e defina, o importante financiamento das Associações Corpos de Bombeiros, abandonando o actual figurino, obscuro, fechado, pouco claro e enganoso.
Seria de esperar, ou melhor, desejar que 2010 fosse o não de solidificação das relações e clarificação do relacionamento das Associações / Corpos de Bombeiros com a sua Federação e desta com a própria Liga dos Bombeiros Portugueses, vazios existenciais que nasceram das alterações estatutárias que dando autonomia de gestão e financeira, acabou por criar um fosso, umvazio, de relacionamento negativo entre todas as instituições envolvidas. Por fim o ano de 2010 é um ano de inegável esperança a âmbito distrital.
Um novo Governo Civil que acreditamos preocupado e colaborante, dentro dos modelos habituais e esperamos inovadores, com a estrutura oficial de bombeiros, a concretização de grandes esperanças que passam pela construção de novos quartéis das Associações/Corpos de Bombeiros, o reequipamento dos diversos parques de viaturas, a clarificação de toda uma actuação em áreas próprias de âmbitos definidos, são necessidades que nos animam a continuar a ver 2010 como o ano de viragem e consolidação. Assim os homens queiram!
Gil BarreirosPresidente da Federação de Bombeiros do Distrito da Guarda Por: Gil Barreiros

Antigo Sanatório Com Luz Verde Para Pousada

Os projectos para transformar o antigo sanatório da Serra da Estrela numa Pousada de Portugal "foram aprovados esta semana e o concurso deve ser lançado em Fevereiro", disse o presidente da Entidade Turística da Serra da Estrela.

Segundo Jorge Patrão, "os diferentes projectos necessários à obra tiveram de passar por várias entidades e esse processo está concluído. Em Fevereiro deve ser lançado o concurso público internacional".

O financiamento foi anunciado em Maio de 2009 pela gestão do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). O investimento é de 19,66 milhões de euros e 70 por cento do valor vai ser financiado pelo Programa Operacional Temático Valorização do Território, no âmbito do QREN.

O valor inclui a recuperação e reconversão do antigo sanatório dos ferroviários da Covilhã, a 1.200 metros de altitude, bem como a transformação da zona envolvente, instalação de equipamentos e mobiliário.

O empreendimento fazia parte do contrato inicial entre o Estado e o Grupo Pestana para concessão das Pousadas de Portugal, em 2003.

A candidatura ao QREN foi incluída num aditamento assinado em Setembro de 2008 - que inclui ainda a reconversão do Convento de Santa Clara, em Vila do Conde, e da Fortaleza de Peniche.

O sanatório foi construído na década de 1930 e está abandonado desde a década de 80, tendo sido reconhecido como de relevante valor histórico e cultural pela Direcção-Geral de Turismo em 1996.

O projecto de Souto Moura para a sua reconversão foi revisto e "a pousada vai ter 90 quartos, mais que os inicialmente previstos", disse Jorge Patrão, acrescentando que o espaço vai ainda dispor de um spa.

Ainda segundo o presidente da Entidade de Turismo da Serra da Estrela, "as obras ao longo de dois anos deverão dar emprego a mais de 100 trabalhadores".

"Quando estiver concluída, a pousada deverá criar 40 postos de trabalho, a maioria com pessoas da região", frisou.

DN

As freguesias de Alvôco da Serra, Loriga, Valezim, Sabugueiro e outras do Concelho de Seia, que se traduzem nas mais belas paisagens naturais da Serra da Estrela, perdem pontos acentuados relativamente a benefícios turísticos para a região. O outro extremo da serra vai assim progredindo deixando cada vez mais o nosso Concelho a anos luz do progresso e investimento turístico.

Tragédias: Morreu no Recreio da Escola - Jovem de 14 Anos Colhida na Passadeira - Menina Morta em Casa

- Luís Gonçalo Pereira, de 12 anos, morreu ontem, na escola 2/3 de Canidelo, Gaia, vítima de uma paragem cardiorespiratória depois de se ter sentido mal no recreio.
Após o ataque fulminante, os colegas e uma professora ainda o tentaram reanimar, mas já nada havia a fazer.
Ao estudante fora diagnosticada desde a nascença uma cardiopatia ventricular que não tinha cura, pelo que os familiares já sabiam que esta situação poderia ocorrer.
O menino ainda foi transportado para o Hospital Santos Silva, em Gaia, onde já chegou sem vida.
Luís tinha recorrido a uma consulta de cardiologia na semana passada, da qual resultou a necessidade de remoção de um sinal através de uma cirurgia.

O incidente deixou em estado de choque a comunidade escolar. O corpo será autopsiado no Instituto de Medicina Legal, no Porto.

- Uma rapariga de 14 anos foi atropelada numa passadeira à porta da escola, na avenida da Misericórdia, em São João da Madeira, ao início da noite de ontem. A vítima, que ficou em estado grave – devido a ferimentos na cabeça e nas pernas – foi transportada pelos Bombeiros Voluntários de São João da Madeira para o Hospital de São Sebastião, em Santa Maria da Feira.

A menor foi sujeita a uma cirurgia e a vários exames. Segundo fonte hospitalar, "não corre risco de vida". Tudo aconteceu pelas 19h00, altura em que se juntam naquela rua muitos carros com pais que vão buscar os seus filhos depois de mais um dia de aulas na EB2/3 João Silva Correia e na secundária Serafim Leite.

Ao que o Correio da Manhã apurou, o acidente terá acontecido devido a distracção do condutor do veículo – que ficou em estado de choque e também foi transportado para o mesmo hospital –, que não se terá apercebido que a jovem atravessava a passadeira. Após o embate, as vítimas foram socorridas por elementos dos bombeiros de Santa Maria Feira e de São João da Madeira. A PSP também se deslocou ao local e tomou conta da ocorrência.

- Também em Porto Bordalo, Coimbra, uma adolescente de 13 anos foi ontem encontrada morta em casa. O corpo foi descoberto por um familiar, pelas 16h30. Segundo fonte policial, não há suspeita de crime e a morte terá sido causada por enforcamento.
CM

Equipa do INEM no Haiti Pratica «medicina de guerra»

Alluire ia morrer se não lhe fosse amputado o pé. Aos 19 anos, a rapariga já tinha convencido seis médicos a deixarem-na à sua sorte. O sétimo não desistiu, apesar dos avisos dos colegas que já tinham dado o caso como encerrado.
Pedro Cristóvão sentou-se na cama de campanha e falou com Alluire.

Só deu por terminada a conversa quando a rapariga anunciou: «Está bem, eu aceito, mas só me fazem alguma coisa amanhã».

Para o médico, este foi um dos momentos mais marcantes do seu trabalho no Hospital da Universidade de Miami, montado no aeroporto da capital.

«Temos feito coisas que em nenhum outro lugar seriam aceitáveis, mas que nestas condições são excepcionais», descreve o clínico do INEM presente no Haiti.

Em Port-au-Prince, a equipa do INEM pratica «medicina de guerra», diz.

Mentaliza-se que, no caos do hospital sem capacidade para responder a todos, é imperativo salvar os que têm hipótese de sobreviver. Os outros morrem.

«No início a grande maioria das intervenções eram amputações. Não as consigo contabilizar mas seriam cerca de 15 por dia», recorda António Peças, o médico cirurgião da equipa.

Nos primeiros dias, os portugueses trataram de «pessoas com feridas muito graves num ambiente conspurcado», disse à Lusa Fátima Rato, a coordenadora da equipa dos oitos elementos do INEM que integra a missão portuguesa de ajuda humanitária ao país devastado pelo terramoto de 12 de Janeiro.

As operações eram feitas num hospital sem oxigénio, raio-x ou capacidade para fazer análises. Um sítio sujo e apinhado de gente.

«Era um cenário dantesco», conta Fátima Rato. Mas nunca desistiram, ao contrário de outros.

«Muitos vieram por períodos de dois ou três dias e houve até quem depois do primeiro dia não voltasse a aparecer», recorda o cirurgião António Peças.

Entretanto, o hospital mudou de instalações e os portugueses ajudaram nas mudanças.

Trabalharam das nove da manhã às nove e meia da noite com a ajuda da Força Especial de Bombeiros.

Em declarações aos jornalistas, o director do hospital considerou que «os portugueses tiveram um papel fundamental na transferência dos pacientes para o novo hospital», reconhecendo o seu empenho e qualidade profissional.

«Aqui no novo hospital, as condições são muito melhores», diz Fátima Rato, embora sublinhando que não são as ideais.

O espaço amplo para operar é, na prática, de quatro salas de operações separadas apenas por biombos.

Ali, estão penduradas fitas para agarrar as moscas e a porta de entrada é um enorme plástico.

Tudo é possível: «O bloco operatório transformou-se em segundos numa sala de partos com todos os materiais necessários. Foi incrível», disse Pedro Cristóvão, lembrando que já nasceram duas crianças naquele hospital.

Lusa / SOL

Onze Bombeiros de Coruche Dormem Há Seis Meses na Sala de Convívio do Quartel

Onze elementos do corpo de Bombeiros Municipais de Coruche estão a dormir, há seis meses, na sala de convívio do quartel depois de, em Julho de 2009, a estrutura da cobertura da camarata masculina ter abatido parcialmente. Por razões de segurança, os bombeiros foram colocados na sala de convívio do velho quartel no que seria uma solução provisória, mas já passou meio ano.

Os barrotes de madeira que suportam a cobertura em telha vã do piso acima da camarata masculina estão apodrecidos, enquanto o telhado tem vários abatimentos ao longo de todo o edifício. Dezasseis beliches foram temporariamente montados na sala onde os operacionais costumam ver televisão e conviver. Desde a mudança que o funcionamento da sala fecha às 22h00 quando antes os bombeiros podiam descontrair até à meia-noite.

No anterior mandato, o vice-presidente da câmara, Joaquim Serrão, afirmava que a reparação da estrutura da cobertura devia ser feita após as Festas de Coruche, em Agosto, mas nada foi iniciado. O actual vice-presidente da autarquia, Francisco Oliveira, reconhece que o estado da estrutura é mau de um quartel degradado com o passar dos anos.

“Vamos fazer nova avaliação da estrutura. Caso se verifique que está no mesmo estado poderemos vir a colocar uma estrutura metálica provisória com capacidade de estancar chuva e que garanta a segurança dos bombeiros”, referiu o vereador a O MIRANTE, admitindo que não se pode esperar pela construção do novo quartel dos bombeiros, em Santo Antonino.

O comandante dos Bombeiros Municipais de Coruche, Rafael Rodrigues, já dissera a O MIRANTE que a degradação do quartel evidenciava a necessidade urgente de dispor de novas instalações. Referia também que, a juntar-se à antiguidade do quartel, a passagem das viaturas dos bombeiros de grande tonelagem por baixo das camaratas causa grande trepidação no edifício.

Recorde-se que a Câmara de Coruche lançou concurso público para a empreitada de construção do novo quartel dos bombeiros municipais em 2 de Outubro de 2009 com um preço base de procedimento de 1.066.837,26 euros e prazo de um ano para construção. O terreno escolhido fica em Santo Antonino, junto ao depósito elevado, no seguimento da rua das escolas EB 2/3 e Secundária.

O Mirante

Salvou Idosos de Casa em Chamas

Casal já estava na rua quando uma botija de gásexplodiu e atingiu dois bombeiros em Santos Evos.

O incêndio que destruiu uma casa e fez dois desalojados, anteontem, domingo, em Viseu, teve um herói: Fábio Bento. Um rapaz de 17 anos que teve de recorrer à força para salvar um casal de idosos. Mas que já não pôde evitar a explosão de gás que feriu dois bombeiros.

"Ele ainda tentou voltar lá dentro para tirar a botija. Mas já não teve tempo. O fogo tinha-se espalhado e seria loucura fazê-lo naquelas circunstâncias", explica Jorge Antunes, comandante dos Bombeiros Municipais de Viseu.

Fábio Bento simplifica o gesto corajoso, elogiado na aldeia de Corvos-à-Nogueira, em Santos Evos, dizendo que fez "o que qualquer outro faria". "A senhora Palmira estava ajoelhada no quarto com tudo a arder à sua volta. Chorava pela sua casinha. Tive de a tirar à força para a rua. O homem dela, que já estava a sair, quis voltar lá para dentro por causa do gás. Consegui com a ajuda do meu pai pô-lo também a salvo", relata o rapaz.

"O incêndio começou por volta da meia noite de domingo provocado por sobreaquecimento de um fogão a lenha. O rescaldo foi dado por concluído às primeiras horas da manhã", explicou o comandante dos Municipais.

As chamas destruíram a casa, construída em tabique, e fizeram três vítimas: os bombeiros Luís Ferreira e Fernando Pires Pereira, atingidos pelo impacto da explosão, e Joaquim Bento, pai de Fábio, levado ao Hospital de S. Teotónio em estado de choque.

"A botija de gás fez um buraco no soalho e foi cair à cave no momento da explosão. O Fernando Pereira, que estava à entrada da casa, foi apanhado em cheio e projectado

Sofreu traumatismo da coluna vertebral e surdez momentânea. O colega Luís Ferreira, que estava na parte de cima, fez luxação da clavícula direita e um corte na orelha", explicou Jorge Antunes. Os três homens tiveram alta hospitalar durante o dia de ontem.

Casal acolhido por familiares

José Marques da Costa, de 84 anos, e a mulher Palmira Almeida Cunha, de 76, foram acolhidos pela filha Anabela Pereira. Os familiares prometem fazer tudo para ajudar o casal a pôr novamente de pé a humilde habitação.

"Vamos pedir ajuda à Junta de Freguesia de Santos Evos e à Câmara de Viseu", anuncia outro elemento da família.

"Eles preferiam morrer a sair da sua casa. Já basta terem perdido tudo quando vieram de Angola em 1974. O povo vai pedir esmolas para apoiar a reconstrução", promete uma vizinha.

JN

domingo, 24 de janeiro de 2010

Serra da Estrela Mais Segura

Brigada de Bombeiros que prestam serviço na Serra da Estrela: Gouveia, Loriga, Manteigas, São Romão, Seia, Covilhã e Canarinhos.
Os bombeiros de Gouveia, Loriga, Manteigas, São Romão, Seia, Covilhã e Canarinhos, durante o período que decorre de 19 de Dezembro ao Domingo seguinte ao da Páscoa, integrados no Plano de Operações Nacional – Serra da Estrela, “O Plano de Operações Nacional - Serra da Estrela é um instrumento de gestão operacional conjunta e plurianual, que permite planear, organizar e coordenar um Dispositivo Conjunto de Protecção e Socorro na Serra da Estrela, constituído por meios humanos e equipamentos de resposta operacional, dos Corpos de Bombeiros do Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro da GNR e da Força Especial de Bombeiros – Canarinhos, capazes de responder com eficácia às necessidades dos cidadãos nos locais do Maciço Central da Serra, acima dos 1.400 metros”, estão de prevenção na Serra da Estrela.

Segundo aqueles operacionais, a Serra da Estrela é um lugar para desfrutar, mas que requer o maior respeito e alguns cuidados, no período de 19 de Dezembro de 2009 a 18 de Janeiro de 2010, já envolveram no Plano de Operações 275 Elementos (210 dos Bombeiros locais e 65 dos Canarinhos), 110 Veículos e prestaram os seguintes serviços:

Quedas-3; D.Súbitas-16; Evacuações-2; P. Socorros-25; Trans. Hospitalares-13; Desempanagens-9; Desabamentos-1.
Num total de 69 serviços.
Mas também naquele período os Bombeiros prestaram os mais diversos serviços de apoio e transporte, quer à população em idade escolar quer a outros, que por causa da neve e do gelo sentiram dificuldades no sopé da Serra e nas Aldeias de Montanha, abaixo da cota dos 1.400 metros:
Como anteriormente aqueles Operacionais referiram, a Serra da Estrela é para desfrutar, mas aconselham:
- Respeito pela natureza, pelas regras de trânsito e por outros dados que, no momento, os Agentes da Protecção Civil (Bombeiros, Autoridade Policial, Estradas de Portugal, etc.) ali em serviço, lhes possam fornecer.
Mas antes de iniciar a viagem: Fazer uma revisão aos travões, luzes, níveis de óleos e combustíveis.
Durante a viagem: Conduzir a velocidade reduzida, evitar acelerações ou travagens bruscas e usar, de preferência, o motor para reduzir a velocidade.
Se for surpreendido(a) por um Temporal: Não perder a calma, não entrar em pânico, alertar os Agentes de Protecção Civil (Bombeiros, Autoridade Policial ou Estradas de Portugal/Centro de Limpeza de Neve), indicando onde está, quantas pessoas ali se encontram, e fornecer o seu nome e contacto.
As Equipas de Socorro, que poderão demorar, irão em auxílio de quantos delas necessitem!
Enviado por: Cmdt. Virgílio Borges
Fotografias das viaturas retiradas do portal www.bombeiros.pt

Bombeiros Voluntários Madeirenses Reforçam Socorro e Resgate em Montanha

Os Bombeiros Voluntários Madeirenses aumentaram a sua capacidade de resposta no âmbito do socorro e resgate em montanha com a inclusão de mais um grupo de nove elementos que concluiu ontem a formação nesta área, elevando para cerca de duas dezenas os bombeiros habilitados para este tipo de socorro nesta corporação.
A simulação de uma queda na escarpa do Juncal, no Pico do Areeiro, ontem, de manhã, serviu para cenário representativo do exercício final deste novo grupo de bombeiros que finalizou com sucesso a formação na área do Socorro e Resgate em Montanha. O Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros da Madeira informa que o programa de formação consistiu num conjunto de sessões que totalizou 120 horas, tendo contado com a colaboração dos formações do SRPC, IP-RAM, devidamente certificados para o efeito pela Escola Nacional de Bombeiros (ENB).
Também, na última sexta-feira, o Serviço Regional de Protecção Civil, IP-RAM, realizou mais uma acção de sensibilização, desta feita em conjunta com a Direcção Regional de Florestas, na Escola Básica e Secundária Bispo D. Manuel Ferreira Cabral, no concelho de Santana, visando o tema "Incêncios Florestais - gestão da vegetação arbustiva, técnicas de fogo controlado, planeamento e combate assim como recuperação e requalificação".
De acordo com informação do SRPC, IP-RAM, esta foi mais uma iniciativa que esta instituição se associa "de modo a fazer chegar ao universo escolar um conjunto de conhecimentos que lhes permita adquirir e adoptar uma cultura de segurança".
Jornal da Madeira

sábado, 23 de janeiro de 2010

Turistrela Defende Privatização da Limpeza de Neve nas Estradas da Serra da Estrela

A concessionária do turismo na Serra da Estrela volta a criticar o fecho dos acessos ao maciço central, dizendo que a situação "penaliza gravemente toda a região".

Artur Costa Pais, administrador da Turistrela, que gere dois hotéis e a estância de esqui na Torre, considera que "o encerramento e as reaberturas muito tardias" das estradas estão a tornar-se num "hábito" com consequências "graves" para a economia local.

"Mais uma vez, após uma noite sem nevar, os acessos ao maciço central da Serra da Estrela reabriram hoje [na passada quinta-feira] às 9h30. Mas já houve vários dias em que as estradas reabriram entre as 12 e as 13 horas, o que põe em causa o nosso serviço, postos de trabalho e a imagem da nossa região", sublinhou. Segundo o empresário, "os turistas já não vêm, pois, cada vez que neva, já sabem que as estradas estão fechadas. É uma ideia que quase se vulgarizou e que penaliza bastante quem trabalha na Serra".

E exemplifica, dizendo que "a comida nos restaurantes estraga-se pela falta de clientes, os cafés não vendem cafés e nos hotéis notam-se os cancelamentos e os clientes a desesperar. Além disso, afasta-se também os possíveis visitantes das cidades e aldeias da região". Este ano, a EN 338, entre Manteigas e os Piornos, e a EN 339, que atravessa a zona alta da Serra, ligando a Covilhã a Seia, passando pela Torre e a Lagoa Comprida, estiveram fechadas ao trânsito vários dias por causa dos nevões.

A Turistrela sugere, por isso, a privatização do serviço de limpeza de neve com a introdução de um sistema de penalização por dias de estradas encerradas, como acontece em Espanha. "Com certeza que, nesse caso, haverá todo o interesse em manter as estradas abertas o maior número de dias, colocando mais meios mecânicos e humanos no terreno", declarou Artur Costa Pais.

O Interior

Esta história repete-se todos os anos e o Sr. Artur Pais é sempre quem reivindica que as estradas de acesso à serra estão maior parte do tempo cortadas.

Já no ano passado o comandante distrital da GNR de Castelo Branco garantia que "não podemos permitir o acesso à Torre se não for garantida a segurança. Há vários interesses legítimos na Serra da Estrela, conciliáveis em várias circunstâncias e noutras não", acrescenta... que há uma "preocupação permanente em ter as estradas abertas, sempre que possível" e considera que "as queixas não fazem sentido, estão desprovidas de contexto. Ninguém nos pode acusar de descoordenação".

Um conselho Sr. Artur Pais pense primeiro na segurança dos utentes da serra e depois no negócio. Sempre que os bombeiros vão em auxílio de quem se perde ou fica “preso” na neve o Sr. não se preocupa em prestar ajuda...

Imigrante Vivia Com o Cadáver da Companheira

Um imigrante ucraniano viveu com o cadáver da companheira num prédio do centro de Aveiro durante mais de um dia. Ontem de manhã, sexta-feira, telefonou a familiares, que alertaram a Polícia, que teve que chamar os bombeiros para arrombar a porta e entrar no prédio.

A Polícia Judiciária (PJ) de Aveiro está a investigar a morte de uma imigrante ucraniana, de 42 anos, que tudo indica estava cadáver há mais de um dia e que foi encontrada, ontem de manhã, num quarto de um terceiro andar do número 19, da Rua Cândido dos Reis, no centro de Aveiro. A seu lado estava o seu companheiro, um ucraniano de 45 anos.

Foi o imigrante que alertou um familiar, que por sua vez avisou a PSP de Aveiro para o estado da mulher. As primeiras informações apontavam para um caso de homicídio, mas uma fonte da PJ disse, ao JN, que as investigações já realizadas vão no sentido de morte natural, embora ainda se desconheça o resultado da autópsia. A PSP teve que se socorrer dos serviços dos Bombeiros Novos de Aveiro para entrar no edifício, depois de arrombamento da porta.

Alcoolismo e fome

Fome, miséria e alcoolismo foi o quadro que se deparou aos investigadores policiais quando entraram no interior do velho apartamento na Rua Cândido dos Reis, a dois passos do quartel da GNR em Aveiro.

O facto de o companheiro da imigrante se expressar mal em português e o estado em que foi encontrado explicam não ter alertado as autoridades policiais para a morte da sua companheira, apurou o JN.

O cadáver estava coberto com um cobertor, no quarto do velho apartamento. O companheiro da imigrante foi interrogado durante o dia de ontem pela PJ de Aveiro.

JN

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Presidente da Liga de Bombeiros Reclama Apoios do Estado

O presidente da Liga de Bombeiros, Duarte Caldeira, considera boa a decisão de junção de corporações no mesmo agrupamento, mas reclama os apoios prometidos pelo Estado para estas situações. Contudo, o secretário de Estado da Protecção Civil recordou que não se pode esperar um aumento automático dos apoios financeiros.
O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses entende que é muito boa a decisão da corporação da Ericeira que decidiu aderir ao agrupamento de bombeiros de Mafra ao qual já se tinham juntado os da Malveira.
Apesar de considerar esta decisão como certa, na medida em que o objectivo é aumentar a eficácia dos serviços e partilhar os meios logísticos e financeiros, Duarte Caldeira critica o Governo por não dar os meios que prometeu há dois anos para este tipo de iniciativas.
«A lei 32/2007 previa que fosse instituído um modelo de apoios especial para a criação e funcionamento destes agrupamentos que carece de uma portaria que não foi elaborada nem publicada. Temos o conhecimento que agora está em fase final de publicação», explicou à TSF.
Duarte Caldeira entende que os apoios que deveriam ser prestados poderão ser financeiros, fiscais ou outros para estimular as corporações a «equacionar esta solução numa perspectiva de ganhos para a instituição e para as populações que a instituição serve».
O secretário de Estado da Protecção Civil, Vasco Franco, reconheceu o atraso da publicação desta legislação, mas lembrou que as corporações não podem um aumento automático dos apoios financeiros do Estado desta reorganização e agrupamento.
«O objectivo do agrupamento não é aumentar custos de funcionamento. Quando juntamos três, quatro ou cinco unidades que funcionavam em separado aquilo que estamos a fazer é também potenciar poupanças», explicou Vasco Franco, em declarações à TSF.
Para Vasco Franco, «há aqui estímulos que a nível central poderão ser dados». «Estamos a estudar com o Ministério das Finanças outras hipóteses de criar apoios, mas o objectivo não é criar uma entidade que vá agravar os custos», sublinhou.

Bombeiros do Sul e Sueste – Barreiro Recebem Visita de Crianças em Idade Pré-escolar

Os Bombeiros Voluntários do Sul Sueste (Barreiro) receberam no passado dia 20 de Janeiro uma visita de 12 crianças em idade pré-escolar do infantário "Jardim dos Príncipes", durante a qual tiveram a oportunidade de contactar com as viaturas de socorro e combate a incêndio.

A visita foi guiada pelo Chefe Fernando Moita, tendo decorrido no âmbito de um projecto em curso no infantário, no qual são abordados temas relacionados com a Protecção Civil e os Bombeiros.
A Direcção e o Comando dos Bombeiros Voluntários do Sul Sueste (Barreiro) registaram esta visita como uma forma muito importante de promover a actividade dos Bombeiros, incentivando o espírito de entreajuda e o voluntariado jovem.
Rostos on-line

Sismo Igual ao do Haiti Deixaria Infra-estruturas Básicas a Metade da Capacidade

Um sismo com a magnitude do registado no Haiti na semana passada causaria uma inoperacionalidade de cerca de 50 por cento nas infra-esruturas básicas algarvias, segundo o simulador utilizado na elaboração do Estudo de Risco Sísmico e Tsunamis do Algarve.

"Neste cenário ficariam afectadas em cerca de 50 por cento unidades hospitalares, escolas, redes eléctricas ou de abastecimento de água, entre outras", precisou Sousa Oliveira, professor do Instituto Superior Técnico e um dos peritos que participou na elaboração do estudo, que esta sexta-feira foi apresentado na Universidade do Algarve (UAlg) na presença do Ministro da Administração Interna, Rui Pereira
O ministro considerou que o Estudo de Risco Sísmico e Tsunamis do Algarve (ERSTA) é "um instrumento valiosíssimo que pode significar a preservação de inúmeras vidas e de valiosos bens patrimoniais", porque "abrange um vasto conjunto de áreas, desde a definição e caracterização das estruturas sísmicas da região até à avaliação dos danos associados a cenários sísmicos, passando pela caracterização dos movimentos pendulares da população".

"Com o precioso auxílio tecnológico dos Sistemas de Informação Geográfica (SIG), podemos agora cruzar um significativo leque de informação técnico-científica que permita uma rigorosa avaliação de danos e que suporte o desenvolvimento de acções que reduzam as vulnerabilidades identificadas", afirmou.

O ministro explicou que o ERSTA "não é puramente teórico ou académico, porque permite prever quais serão as consequências de um tremor de terra ou tsunami na região".

"Com base neste estudo vai agora proceder-se a um plano de acção, de emergência. Vai ser feito pela Autoridade Nacional de Protecção Civil, com a colaboração de inúmeras entidades, e vai fazer um inventário dos meios necessários e das medidas a tomar em caso de catástrofe", explicou.

Rui Pereira precisou que "o plano vai estar pronto durante o primeiro semestre deste ano e vai depois ser sujeito a consulta pública".

O presidente da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), general Arnaldo Cruz, explicou que o objectivo do ERSTA, o segundo estudo do género realizado no país (o primeiro foi sobre a área metropolitana de Lisboa), é "elencar riscos, identificar vulnerabilidades e definir respostas".

Arnaldo Cruz sublinhou que a análise elaborada pelas diversas entidades que participaram no estudo vai ajudar agora na "árdua tarefa de planificar a emergência e o socorro" em caso de sismo ou tsunami, uma vez que o simulador dará dados sobre o nível de destruição dos edifícios, das infra-estruturas básicas, de mortos, de feridos ou das inundações de áreas afectadas por ondas gigantes.

José Oliveira, director nacional de planeamento de emergência, congratulou-se por a aplicação informática utilizada como simulador no estudo ter sido "eficaz na previsão das consequências do sismo registado em Portugal em meados de Dezembro passado".

"Quando colocámos os dados no simulador, vimos que apontava para a inexistência de danos em edifícios ou de vítimas e isso verificou-se, o que nos deu alguma confiança", afirmou.
Lusa

Missão Portuguesa no Haiti Vai Ser Reforçada

A missão portuguesa no Haiti vai ser reforçada com mais quatro elementos dos bombeiros "Canarinhos" e um médico, que chegam ao país no dia 25.

Em comunicado, a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) adianta que estes elementos levam 180 mil pastilhas de purificação de água e que a sua deslocação para o Haiti é possível "graças à cooperação" da TAP.

Fonte da ANPC, contactada pela Agência Lusa, adiantou que os quatro elementos da Força Especial de Bombeiros e o médico vão deslocar-se para o Haiti via Caracas, a capital da Venezuela, devendo chegar dia 25 à cidade de Port-au-Prince.

A mesma fonte afirmou que este reforço "é semelhante ao que estão a fazer outros países" que têm enviado ajuda para o Haiti, na sequência do violento sismo que abalou o país no dia 12 de Janeiro.

Portugal enviou no dia 15 de Janeiro uma missão para o Haiti, dirigida pelo Comandante Operacional Distrital de Lisboa, Elísio Oliveira.

A missão é composta por "uma equipa de Comando e Coordenação da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), um grupo do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica) com um posto avançado composto por oito elementos, um grupo da Assistência Médica Internacional (AMI) com cinco elementos e um médico do Instituto de Medicina Legal".

Integram ainda esta missão "um grupo de dez bombeiros da Força Especial de Bombeiros 'Canarinhos' da ANPC".

JN

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Bombeiros Voluntários e Municipais de Viseu Combateram Chamas em Viatura GPL (Reportagem)

Hoje ao meio da tarde, cerca das 16:10h, na EN 16 (estrada do Caçador), no sentido Mangualde - Viseu, ocorreu um incêndio numa viatura ligeira a gasolina/gás (GPL). Acorreram de imediato ao local os bombeiros Voluntários e Municipais de Viseu, onde sentiram alguma dificuldade em extinguir as chamas devido ao combustível líquido que se misturava com o gás.
No resultado desta actuação o automóvel ficou bastante danificado na zona do motor e o seu interior ficou inundado devido à acumulação de água na bagageira pois foi necessário arrefecer o tanque de gás para evitar sobreaquecimento e explosão.
Para além de alguns bombeiros envolvidos não estarem devidamente equipados com os seus EPI’s, felizmente não houve feridos a registar.





Portugueses do INEM, da AMI e Bombeiros Em Constante Actividade

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Por Vezes É Duro Ser Polícia

video

Enviado por: Ivan S.

Tínhamos Um Gil... Agora Ganhamos Outra... Uma Tal Susana!

Ola Aldeia global!
Aqui o "socorruh", hoje vai desabafar uma vez mais convosco...
Sabem, esta coisa do terramoto no Haiti, voltou a levantar-me umas questões que me inquietam...Apesar de a ANPC vir criticar o SUSF e apesar do Srº Duarte Caldeira os acusar de causarem uma polémica obscena, a verdade é que estes senhores do SUSF, têm razão!
Calma, não estou a criticar a FEB, pelo contrario, é de enaltecer o seu espírito de entrega a esta causa, tendo em consideração a falta de formação nesta área e a falta de equipamento com que eles vão actuar no terreno!Polémicas à parte, cada dia que passa, mais me vejo a braços com pensamentos como este que sinto agora:
QUE RAIO DE PAÍS, PAGA A 3 COMANDANTES UMA ESTADIA DE 7 SEMANAS EM MADRID, NA ESCOLA DE PROTECÇÃO CIVIL, NUM CURSO DE CATÁSTROFE E NÃO OS APROVEITA?
A resposta é pois: PORTUGAL!
Foi em 2005 que tal sucedeu (se a memória não me falha). Depois da formação recebida, estes Comandantes foram esquecidos pela ANPC e pela ENB e NUNCA foram aproveitados para o que quer que fosse, tudo porque não eram "amiguinhos"... ou fizeram sombra demais a alguns CODIS...Perante tal facto, muitas perguntas se levantam...
Algumas da minha parte:
1- A ENB para além de servir de tacho (e que tacho...) ao Srº Duarte Caldeira para que mais serve?
2- Cursos de gestão de catástrofes naturais onde moram?
3- Cursos de técnicas de trabalho e resgate de vitimas em estruturas colapsadas, quem os dá?
4- Curso de orientações de gestão e logística em grandes sinistros?
5- Uso de coordenação de equipas cinotécnicas, porque só entidades civis as dão? Não serão importantes para os Bombeiros Portugueses?
Isto são pois cursos que nem existem na Escola Nacional de Bombeiros, o que deixa bem claro as lacunas existentes em Portugal e a nossa capacidade de intervir nestes cenários de terramotos... o resto, deixo-as à vossa consideração! Sei que muito mais me falta abordar e em vez de se tratem mal ao darem respostas, exponham a vossas ideias, é que estando uns contra os outros, damos um jeitaço do caraças aos senhores la de cima, que vão recheando as suas contas!
Continuo a fazer votos de que talvez, um dia, alguém com eles no sitio, crie um verdadeiro Serviço Nacional de Protecção Civil, que não seja um antro de "JOB FOR THE BOYS" e de incompetentes que para além de fazerem as vontades aos políticos, e de andarem a passear as suas insígnias em carros topo de gama, nada mais fazem!
Drª Susana, o cargo para o qual foi convidada, tem que o pagar caro não é? Por isso é que dá respostas politicamente correctas... enfim, não bastava o Gil, agora temo-la a si... INFELIZMENTE...
(in bombeirosparasempre)

Ateou Fogo a Casa Com Família Lá Dentro

Uma família ficou sem casa, na madrugada de ontem, segunda-feira, em Escalhão, no município de Figueira de Castelo Rodrigo, devido a um incêndio que destruiu por completo a habitação onde moravam.
As autoridades já estão a investigar as causas do fogo, que, ao que tudo indica, terá sido ateado pelo próprio dono.
"Pelo que nos disseram os filhos, o seu pai tê-los-á fechado à chave e deitou o fogo à casa, tendo abandonado o local", contou o comandante dos Bombeiros de Figueira de Castelo Rodrigo, que disse desconhecer os motivos de tal acto.
Mulher e dois filhos
Hélder Sequeira adiantou que no interior estavam a mulher e os dois filhos do casal, um dos quais deu o alerta. "Acordou quando começou a ter falta de ar e foi aí que deu conta do incêndio, pelo que tratou de salvar a mãe e o outro irmão. Foi a sua sorte", referiu.
Os voluntários já nada puderam fazer quando chegaram ao local, que dista cerca de sete quilómetros da sede de concelho, onde está o quartel dos voluntários. "Fomos alertados para a situação cerca das 3,45 horas, mas quando chegámos a Escalhão, a casa já não tinha telhado e estava completamente tomada pelas chamas", declarou Hélder Sequeira, afirmando que a família em causa "é pobre" e vivia "do que dá a agricultura".
Os desalojados vão ser acolhidos temporariamente por familiares.
JN

Bombeiros Voluntários da Pampilhosa - Comandante Faustino Pinho Anunciou Saída

“Na última reunião da direcção nossa associação, o comandante Faustino Pinho colocou, formalmente, o seu cargo à disposição”, garantiu, ao Jornal da Mealhada, Rogério Vieira da Silva, presidente da direcção dos Bombeiros Voluntários da Pampilhosa.
“Estamos a analisar a situação e o comandante vai estar connosco até arranjarmos alguém para o seu lugar”, disse Rogério Vieira da Silva, que ainda acrescentou: “Pessoas existem, mas vamos analisar todas as hipóteses”.
Lembramos os nossos leitores, que aquando do 83.º aniversário dos Bombeiros da Pampilhosa, que se festejou nos passados dias 17 e 18 de Outubro, Faustino Pinho já tinha mostrado vontade de renunciar o seu cargo. “Ainda não decidi se será este mês ou no próximo, mas vou sair do meu cargo para dar lugar aos mais novos”, garantiu, aos jornalistas, o comandante Faustino Pinho, que acrescentou: “São vinte e seis anos ao serviço desta associação”.

Jornal da Mealhada

Câmara Apoia Construção do Quartel dos Bombeiros de Castanheira do Ribatejo

A Câmara Municipal de Vila Franca de Xira vai apoiar a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castanheira do Ribatejo, atribuindo uma verba de cerca de 650 mil euros, destinada à construção do novo quartel da Corporação, a qual se encontra já em curso.

A atribuição desta comparticipação surge na sequência do Plano Estratégico de Responsabilidade Social celebrado entre a Câmara Municipal e a ABERTIS, SA.

O apoio enquadra-se, ainda, na permanente colaboração entre o Município de Vila Franca de Xira e os Corpos de Bombeiros Voluntários do Concelho, visando zelar pela adequada protecção de pessoas e bens por parte dos soldados da paz.

Enquanto parceira social privilegiada, a Câmara Municipal está a corresponder ao anseio da entidade beneficiada, esperando assim contribuir para que esta disponha de cada vez melhores meios operacionais para servir a população da área geográfica onde se insere.

O Mirante

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Benfica ao Lado da Pobreza do Haiti

Haiti: TAP Envia Ajuda Enquanto Líderes Conferenciam

Liga de Bombeiros Portugueses defende competência dos elementos.
A Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) vai transportar esta segunda-feira num voo comercial cerca de 3,5 toneladas de material de apoio as vítimas do Haiti e ainda dois bombeiros. O balanço oficial mais recente aponta para cem mil mortos.
António Monteiro, porta-voz da TAP, disse à Lusa que a empresa tem “muito interesse e orgulho em poder ajudar o povo do Haiti” e que, por essa razão, acedeu ao pedido do Governo português de facilitar o envio de materiais de apoio e auxílio. O Airbus 330 vai sair de Lisboa por volta das 16h30 com destino à capital venezuelana sendo que a partir daí o transporte será assegurado por outros meios da responsabilidade do Estado português.


Depois de ter enviado um avião C-130 da Força Aérea Portuguesa com mais de 20 elementos da Protecção Civil, Portugal continua a ajudar o Haiti garantindo, desta vez, o transporte de material logístico para atenuar o caos em que Port-au-Prince se encontra.


No que diz respeito à polémica lançada pela Associação da Protecção Civil (SUSF) que alega que os elementos da Força Especial de Bombeiros “Canarinhos” (FEB) enviados para o Haiti não reúnem as condições necessárias para actuar numa situação destas, a Liga dos Bombeiros Portugueses limitou-se a caracterizá-la como uma “polémica obscena”.

Em comunicado, a Liga afirma que não “é o momento para suscitar discussões redutoras e mal esclarecidas” e “saúda os médicos, técnicos e bombeiros que integram esta missão, formulando votos de que com a sua comprovada competência, contribuam para minimização do sofrimento martirizado do povo haitiano”.

RECEITAS DO JOGO CONTRA A POBREZA DOADAS

A Fundação Benfica e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) anunciaram a realização de um jogo de solidariedade no próximo dia 25 deste mês, em Lisboa, cujas receitas vão inteiramente para auxiliar os haitianos.

O jogo vai realizar-se entre os “Amigos de Zidane e Ronaldo” e a “All Stars Benfica” e vai ser arbitrado pelo italiano Perluigi Collina. Luís Filipe Vieira, presidente da Fundação Benfica afirmou “estar profundamente contristado com a catástofre do Haiti” e, por isso, é uma causa que conta com o apoio total da fundação.


O Jogo Contra a Pobreza vai reunir algumas estrelas do panorama futebolístico como Rui Costa, Nedved, Hierro, Davids, Valdo e Micolli entre muitos outros e vai contribuir para a diminuição do desespero das vítimas.

REUNIÃO DE URGÊNCIA NO SÁBADO

A imprensa canadiana fez saber que os dirigentes mundiais que lideram a ajuda humanitária às vítimas do sismo vão reunir-se na próxima segunda-feira no Canadá para definir um plano estratégico de reconstrução do Haiti.

O jornal canadiano refere ainda que se realizou, no domingo, uma teleconferência entre os vários ministros dos Negócios Estrangeiros, a secretária de estado norte-americana Hillary Clinton e o primeiro-ministro haitiano, Jean-Max Bellerive.


Segundo a imprensa do Canadá, a França e o Brasil terão protestado contra o protagonismo dos EUA, referindo que foram dadas facilidades aos aviões norte-americanos no aeroporto de Port-au-Prince.


A tragédia que ocorreu no Haiti levou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, a considerá-la como “uma das mais graves crises humanitárias das últimas décadas”.


CM

Liga dos Bombeiros Esquece Pastor Que Salvou Militares

Oito bombeiros foram medalhados por resgate na serra do Alvão. Mas sucesso da acção deveu-se ao conhecimento de um pastor.

A Liga dos Bombeiros Portugueses atribuiu oito medalhas de serviços distintos de prata e ouro a oito elementos dos Bombeiros da Cruz Branca de Vila Real que resgataram, em Dezembro, dois militares perdidos na serra do Alvão. Mas quem os encontrou foi um pastor, que conhece cada trilho daquela serra com a palma das suas mãos.

"Não quero medalhas, fiz a minha obrigação, se hoje fosse necessário faria o mesmo", respondeu ao DN Sérgio Alves, pastor de 35 anos que na madrugada de 7 de Dezembro salvou a vida a dois militares que se encontravam no fundo de uma ravina, a uma profundidade de 350 metros.

Foi esta a reacção de Sérgio Alves, residente na aldeia de Varzigueto, quando o DN lhe anunciou que a Liga dos Bombeiros Portugueses medalhou oito elementos dos Bombeiros da Cruz Branca de Vila Real, que através da técnica de cordas de grande ângulo resgataram os militares do fundo da ravina nas Fisgas de Ermelo.

"A atribuição das medalhas foi-nos proposta pela própria Associação Humanitária da Cruz Branca. Somos uma associação de bombeiros e não de cidadãos. Por isso a actuação do pastor extravasa o nosso âmbito", explicou ao DN o vice-presidente da Liga, Paulo Hortênsio.

Apesar de reconhecer o mérito do pastor, o responsável lembra que também no local estavam bombeiros de uma corporação próxima que não foram medalhados. "Atribuímos duas medalhas de ouro aos bombeiros que desceram até ao local onde se encontravam os militares. E seis de prata aos que ficaram na retaguarda, pelo acto que merecia grande complexidade técnica", explicou.

Recorde-se que os dois militares, um tenente-coronel e um 1º sargento, comandavam um grupo de trinta elementos de Comandos do Centro da Serra da Carregueira. Estavam no local a traçar a carta geográfica do rio Olo quando se depararam com uma ravina.

Os dois instrutores, dado o grande caudal do rio, não conseguiram transpor o obstáculo. Com o cair da noite, acabaram por perder de vista os companheiros. Após buscas da GNR, pela meia-noite, um militar lembrou-se de recorrer a Sérgio Alves. "Sou pastor há mais de 25 anos e conheço a serra como as minhas mãos", disse ao DN. "Não podia dizer que não, e com ajuda de uma lanterna encontrei-os, cerca das 2.00 , ao lado da queda das Fisgas de Ermelo", recordou.

"Ainda escorreguei pelas fragas muitas vezes mas não desisti", disse o pastor. O tenente-coronel e o sargento estavam completamente perdidos entre o nevoeiro. Sérgio encontrou-os "em muito mau estado, enregelados e abrigados na fenda de uma rocha", descreveu. "Fiquei admirado que numa missão em pleno Inverno as militares estivessem vestidos apenas com uma camisa de manga curta".

O pastor esteve com eles até às 6.30, altura em que os Bombeiros iniciaram a operação de resgate. "Fui eu que lhes atei as cordas para serem içados", diz orgulhoso do acto que, a ser necessário, voltará a repetir.

DN

Autoridade de Protecção Civil Considera "lamentável" Crítica à Missão Portuguesa no Haiti

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) considera "lamentável que alguém se atreva a considerar 'uma missão de fachada'" o envolvimento do grupo português que se deslocou ao Haiti para ajudar as vítimas do sismo.

Em comunicado, a ANPC refere que a força que partiu de Lisboa no sábado "inclui algumas das pessoas que em Portugal têm mais experiência em intervenções em cenários de catástrofe, como são muitos dos que fazem parte das equipas da ANPC, da FEB, do INEM e da Medicina Legal, bem como da AMI, também parceiro nesta operação".

Esta é a resposta a críticas da Associação de Protecção Civil (SUSF), que defendeu que os membros da Força Especial de Bombeiros 'Canarinhos' "não estão equipados, nem preparados" para a missão que os espera no Haiti, considerando tratar-se de uma missão "de fachada" e "inócua em cenário de catástrofe".

Lusa

Bombeiros de Marvão Sem Viaturas Para Incêndios Urbanos

A corporação de bombeiros de Marvão, distrito de Portalegre, não possui uma viatura adaptada ao combate a incêndios urbanos que possa intervir no interior das muralhas da vila histórica, disse hoje à Lusa fonte dos bombeiros.

“O corpo de bombeiros de Marvão não tem um veículo de características adaptadas à vila. No fundo o que têm é um veículo ligeiro de características florestais que intervém naqueles cenários”, declarou o comandante do Centro Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Portalegre, Belo Costa.

De acordo com o responsável, aquela corporação “precisa” de um veículo próprio de intervenção para poder actuar com eficácia nas artérias estreitas e sinuosas de Marvão.

As conclusões apresentadas pelo comandante do CDOS de Portalegre surgem após um simulacro de incêndio urbano, que decorreu no fim-de-semana, no interior da vila de Marvão, com 120 habitantes.

Esta iniciativa, segundo Belo Costa, será também desenvolvida nos restantes 14 concelhos que compõem o distrito de Portalegre.

Belo Costa constatou também durante o simulacro que os bombeiros vão estando “cada vez mais bem equipados” do ponto de vista de protecção individual, mas, sublinhou, que do ponto de vista dos veículos o corpo de bombeiros de Marvão necessita de ter um meio com “características diferentes”.

Ainda assim, ressalva o responsável, vale a “complementaridade” conseguida pelos bombeiros de Portalegre e Castelo de Vide que ajudam a “minimizar” essa lacuna.

Durante o simulacro realizado em Marvão, as artérias sinuosas da vila alentejana apresentaram aos bombeiros outras dificuldades, entre as quais, o impedimento da criação de um circuito de circulação de veículos no interior das muralhas.

“Comprova-se a grande dificuldade que reside no lançamento de socorros para dentro da vila. Não são todos os veículos que conseguem entrar”, sublinhou.

Diário Digital

Projecto de "A Nossa Terra Quer" Concretizado

A SIC juntamente com a Servilusa, cumpriu mais uma etapa da iniciativa "A Nossa Terra Quer", implementando o projecto do distrito do Porto, pertencente à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Valbom.

O projecto, um dos 18 vencedores da iniciativa a "Nossa Terra Quer", inserida na acção "SIC por Portugal" tem como principal objectivo a aquisição e implementação de monitores de sinais vitais em 3 ambulâncias da corporação, concerteza uma excelente ferramenta para aumentar a qualidade do serviço dos Bombeiros Voluntários de Valbom, permitindo a monitorização dos doentes até à chegada ao hospital.

A implementação do projecto acontece graças ao apadrinhamento do mesmo por parte da Servilusa, que cumpre assim, mais um dos seus objectivos de responsabilidade social.

Esta iniciativa da SIC, teve como objectivo principal contribuir para a divulgação e concretização de projectos que correspondam às aspirações e necessidades das populações locais, de cada distrito de Portugal.

Já foram concluídos os projectos referentes aos distritos de Aveiro, Coimbra, Viseu, Santarém, Portalegre, Évora, Faro, Beja, Leiria e agora, Porto.
Os projectos de Lisboa, Guarda e Viana do Castelo estão em preparação para serem implementados.

HARDMUSICA / Francisco Sousa

Empresa de Vinhos Oferece Ambulância

A corporação dos Bombeiros Voluntários de São João da Pesqueira ficou reforçada, ontem, com uma nova ambulância.

Uma viatura de pronto-socorro, das mais modernas e bem equipadas, oferecida pela empresa produtora de Vinho do Porto Symington e pela autarquia local.

Apesar de sedeada em Vila Nova de Gaia, a Symington tem apoiado várias causas na Região Demarcada do Douro, de onde, afinal, retira o produto que a sustenta, o vinho. Este ano, a empresa escolheu melhorar o parque automóvel dos bombeiros da Pesqueira. "Doamos 40 mil euros para a compra de uma ambulância, mas como eles queriam uma com melhor equipamento falámos com a Câmara que se disponibilizou para comparticipar com os restantes 20 mil euros", adiantou Paul Symington, um dos responsáveis da empresa. "Nem sequer colocámos qualquer reserva. A nossa função é ajudar o município em todas vertentes", acrescentou o presidente da Câmara, José Tulha.

De acordo com o comandante da corporação de bombeiros, Paulo Esteves, a viatura ontem celebrada com vinho espumante "está equipada com todo o material médico que é necessário para prestar socorro", destacando o desfibrilador. "Ansiávamos há muito possuir esta ambulância, pois já tínhamos dificuldades de resposta", acrescentou.

Paul Symington notou que, "desde que as vendas de Vinho do Porto deixem alguma margem", a empresa vai continuar a doar equipamentos às instituições sociais do Douro, nomeadamente dos concelhos onde possuem quintas ou dos quais são oriundos os seus trabalhadores.

JN

Mesão Frio - Protecção Civil Municipal Sem Mãos a Medir

Cada vez que as condições meteorológicas se complicam, o Serviço Municipal de Protecção Civil de Mesão Frio (SMPC) vive dias de intenso trabalho, agravado pelo apoio às centenas de automobilistas que, diariamente, circulam na Estrada Nacional 101, que liga Mesão Frio a Amarante.
No passado domingo, os serviços de Protecção Civil Municipal de Mesão Frio, concretamente os Bombeiros Voluntários de Mesão Frio e funcionários da Câmara Municipal de Mesão Frio, desdobraram-se em acções de apoio às populações, bem como ao resgate de automobilistas na sinuosa EN 101.

Cerca de 70 pessoas, que permaneciam retidas na EN 101, concretamente no concelho de Baião, foram resgatadas para Mesão Frio, e posteriormente transportadas para a Régua, onde puderam seguir destino via férrea. Foram ainda transportadas inúmeras pessoas para a estação da Ermida, Baião, também elas resgatadas pelo SMPC de Mesão Frio.

Dormiram ainda nas instalações da Santa Casa da Misericórdia de Mesão Frio cerca de uma dezena de pessoas que, com o agravamento do estado do tempo, ficaram sem alternativa para seguirem viagem.

O próprio Quartel dos Bombeiros Voluntários de Mesão Frio foi albergue para cerca de duas dezenas de automobilistas, a quem foram distribuídas bebidas quentes, oferecidas pela Santa Casa da Misericórdia local. Na segunda-feira, foram resgatadas, pelos Bombeiros Voluntários de Mesão Frio, inúmeras viaturas que haviam sido deixadas ao longo da EN 101 devido ao mau tempo. Em Mesão Frio, várias localidades do concelho ficaram isoladas, tendo também sido necessário o auxílio por parte dos Serviços Municipais de Protecção Civil de Mesão Frio.

Têm sido dias complicados para os Bombeiros Voluntários de Mesão Frio e para a Câmara Municipal de Mesão Frio que, ora na EN 101, entre Mesão Frio e Amarante, ora na EN 108, entre Mesão Frio e Peso da Régua, ora nas diversas estradas municipais, têm sido chamadas para o auxilio em distintas situações de emergência.

Notícias de Vila Real

domingo, 17 de janeiro de 2010

Exposição de Selos Sobre Bombeiros

Uma das maiores exposições filatélicas sobre Bombeiros foi inaugurada na sexta-feira em Vila Real de Santo António, comemorando 120 anos da corporação da cidade.

Foi editado um selo personalizado que reproduz uma bomba de combate a incêndio de 1870, um dos equipamentos mais antigos do País. Os CTT editaram uma marca postal que reproduz o quartel dos Bombeiros de Vila Real de Santo António (na foto), onde decorre a exposição.

Francisco Galveias, fundador e dinamizador do Núcleo Filatélico dos Bombeiros, conseguiu reunir um excelente conjunto de participações filatélicas. Além de selos podem ser apreciadas colecções de miniaturas de bombeiros de todo o Mundo, medalhística, calendários e pacotes de açúcar, entre outros.

O catálogo do certame apresenta três artigos de interesse, dois deles da autoria de Matoso Galveias – sobre o selo personalizado editado e outro sobre o historial dos Associação Humanitária dos Bombeiros – e um terceiro de Américo Rebelo, dedicado à fundação dos Bombeiros. Pode ser visitado até dia 23 e a entrada é gratuita.

Correio da Manhã

Presidente Reeleito Quer Resolver Problema do Quartel dos Voluntários

Eleito por maioria – houve apenas um voto contra, uma situação que se repetiu já em seis mandatos anteriores –, Lídio Lopes e a sua equipa vão continuar a gerir os destinos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz por mais dois anos, o tempo que o presidente espera para conseguir construir o quartel que a instituição ambiciona.
Nesta assembleia-geral, presidida por José Coelho Jordão (também reeleito), foi aprovada a acta da reunião anterior e de imediato se passou às eleições para o biénio 2010/11, cuja única lista reuniu 33 votos favoráveis e um contra.
Consumado o acto, o presidente reeleito deixou um conjunto de agradecimentos a todos aqueles que há 12 anos o acompanham nesta missão e vão continuar, com excepção do secretário, que por questões de saúde foi substituído nas funções por Alice Mano. No resto, «toda a equipa se mantêm e há alguma expectativa para os novos tempos», referiu Lídio Lopes.
Perante um quadro em que não há grandes alterações, o responsável sublinhou como fundamental para este sétimo mandato «continuar a apostar na defesa da integridade física dos bombeiros, que devem possuir as melhores condições de trabalho e segurança para desempenhar as suas funções».
Outra das apostas para este biénio «é o reapetrechamento do equipamento e, fundamentalmente, o parque de viaturas onde a preocupação maior vai para as ambulâncias, a maioria das quais com uma carga de quilómetros que ultrapassa todas as previsões».
Quanto ao novo quartel, o presidente reeleito deu conta à assembleia-geral de que naquele mesmo dia tinha tido uma reunião juntamente com o comandante, na Câmara Municipal, «onde houve uma total abertura e uma forma correcta na visão do quartel». Assim, continuou Lídio Lopes, «estão criadas todas as condições para, em parceria, resolvermos a situação do quartel para os Bombeiros Municipais e Bombeiros Voluntários». «Ambos merecem outro tipo de condições», sublinhou.
A posse vai ter lugar dentro de dias, em data a anunciar, quando a assembleia-geral voltar a reunir para aprovar o relatório de contas e plano de actividades
Diário de Coimbra