quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Serão construídos 23 quartéis de bombeiros com apoio da UE

O Ministério da Administração Interna (MAI) assinou dia 27 último contratos que permitirão a construção de 23 novos quartéis de bombeiros e a aquisição de oito viaturas de combate a incêndios em zonas protegidas.

Numa cerimónia em Lisboa, o MAI assinou 25 contratos com associações de bombeiros, municípios, Autoridade Nacional de Proteção Civil, Instituto de Conservação da Natureza e da Biodiversidade e Instituto Geográfico.

Os 25 contratos correspondem a um investimento superior a 35 milhões de euros na área da Proteção Civil, dos quais 70 por cento são financiamento do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

Diário Digital / Lusa

Câmara de Vila Franca troca bombeiros por funcionários nas largadas de toiros

Pela primeira vez em 70 anos os bombeiros voluntários da cidade de Vila Franca de Xira não vão abrir nem fechar as tranqueiras da cidade durante as largadas de toiros da Feira de Outubro. É a câmara que vai assumir esse trabalho. Os soldados da paz vão ficar limitados ao serviço de ambulância.
Os Bombeiros Voluntários de Vila Franca de Xira vão ficar - pela primeira vez nos últimos 70 anos - sem a responsabilidade de abrir e fechar as tranqueiras nas largadas de toiros da cidade durante a Feira de Outubro.

A decisão partiu da câmara municipal, que não se mostrou disponível para voltar a pagar os quase 15 mil euros que a associação reclama, anualmente, por cada iniciativa com toiros em que participa (Colete Encarnado e Feira de Outubro). O MIRANTE sabe que que o orçamento apresentado pelos bombeiros para assegurar o serviço de abertura e fecho das tranqueiras sofreu um aumento de 30 por cento em relação ao ano anterior e que, por isso, é a câmara que vai assegurar o trabalho.

“Todos os anos a abertura e fecho das tranqueiras permite a permanência de mais de 30 bombeiros no local das largadas, além das ambulâncias, o que possibilita também um socorro mais rápido a todos os feridos. Este ano a câmara municipal não quis fazer na Feira de Outubro o que fez no Colete Encarnado, para poupar dinheiro, e por isso vai fazer a abertura e o fecho com outras pessoas. Vamos apenas ter quatro ambulâncias no local, o que equivale a nove bombeiros para milhares de pessoas. Vai ser uma situação muito complicada”, revela a

O MIRANTE fonte da associação.

Actualmente não existe legislação que estipule quem deve realizar a operação de abertura e fecho das tranqueiras. Em municípios como Azambuja e Benavente a operação é feita por funcionários da junta de freguesia e câmara municipal.

O sentimento dentro do quartel, próximo dos voluntários, é de revolta e muitos garantem que não se vão aproximar das largadas. “Muitos voluntários não estão satisfeitos com a atitude e também temos alguns chefes que não viram isto com bons olhos. Provavelmente se acontecer um acidente grave o socorro vai ficar comprometido porque só os bombeiros das ambulâncias não chegam”, garante outro bombeiro ouvido pelo nosso jornal. A Câmara Municipal, por seu turno, garante que o socorro durante as largadas “não estará em causa” e que o número de ambulâncias no local será “suficiente”.

Entre a população as opiniões dividem-se. “Não se percebe, é uma tradição e os bombeiros precisam muito de ajuda. Além disso são os bombeiros que ajudam sempre em várias situações complicadas, como quedas, agressões e até doenças súbitas. Não creio que seja boa ideia a câmara virar as costas aos bombeiros”, refere Pedro Fernando, morador.

Para Margarida Pinto, comerciante, “o município já tem muito onde gastar” e a contenção é bem-vinda. “Acho que um bombeiro, se diz ser bombeiro e sente o que faz, vai ajudar na mesma quer seja pago ou não. Acho que a decisão da câmara é acertada”, defende.

O Mirante

Bombeiros das Caldas da Rainha: Acção de sensibilização sobre trabalho com crianças e adolescentes

Os bombeiros voluntários das Caldas da Rainha realizam no dia 23 de Outubro, no seu auditório, uma Acção de Sensibilização sobre o tema “Instruir para a vida: Redes no Trabalho com Crianças e Adolescentes”.

Esta iniciativa tem como objectivo a compreensão da escola de bombeiros como parte integrante na rede de intervenção social de crianças e adolescentes.

Durante esta sessão serão ainda realizadas as palestras “Ser criança e Adolescente – Os papéis da sociedade civil e do estado; Níveis de intervenção e rede de intervenientes; Dever de Protecção: A lei de promoção e protecção de crianças e adolescentes; A Escola de Bombeiros enquadrada na rede de protecção social; Funcionando na rede: Ligações à família e às diferentes instituições, pela oradora psicóloga Rita Freitas.

A organização desta iniciativa é do comando do corpo de bombeiros das Caldas em conjunto com os colaboradores das escolas de infantes e cadetes.

A Acção de Sensibilização tem entrada livre e é direccionada a todos os bombeiros e colaboradores internos e externos.

Jornal das Caldas

Bombeiros Voluntários de Braga têm salários em atraso

Mais de vinte bombeiros assa-lariados da Associação Huma-nitária dos Bombeiros Voluntários de Braga (AHBVB) estão sem receber três salários, se contarmos Agosto, subsídio de férias e Setembro que hoje termina.
As dificuldades são muitas para quem depende do salário que aufere nos Bombeiros e tem contas para pagar, mais ainda com o início do ano escolar, este mês.
De acordo com o que foi possível apurar, a situação afecta pelo menos 26 pessoas, a maioria bombeiros, mas também pessoal com funções administrativas na secretaria da AHBVB.
A situação já foi discutida no seio da corporação e a Direcção tem feito depender o pagamento de verbas a receber de entidades ligadas ao Ministério da Saúde.
O atraso nos salários já motivou uma reunião entre as partes, há cerca de um mês, mas os assalariados continuam sem receber.
Ao que o Correio do Minho’ sabe, a expectativa é que entre hoje e amanhã, a situação seja regularizada.
Caso isso não aconteça até sexta-feira, há pessoas que ponderam avançar com a suspensão dos contratos de trabalho, alegando o não recebimento de salário.
O ‘Correio do Minho’ tentou ouvir a Direcção dos Bombeiros, mas apesar das várias tentativas de contacto telefónico, o presidente António Machado, não respondeu, até à hora de fecho desta edição.
O comandante dos Bombeiros Voluntários de Braga, António Cerqueira, que por inerência tem assento na Direcção, confirma que estão sem receber os salários, desde Agosto, mais de duas dezenas e meia de assalariados.
Confirma também que a Associação aguarda pagamentos por serviços prestados, nomeadamente da Administração Regional de Saúde do Norte, o que poderá ajudar a desbloquear a situação.
O Mirante

CIN entrega 250 abrigos florestais a bombeiros

As Tintas CIN vão entregar a 50 corporações de bombeiros voluntários portuguesas 250 abrigos florestais, obtidos no âmbito da campanha «Ao proteger a sua madeira está a proteger a de todos».

Esta campanha de verão da empresa líder ibérica no setor de tintas e vernizes obteve este ano «resultados recorde».

«A campanha deste ano foi um sucesso e superou todas as expetativas. No final, conseguimos oferecer mais 100 abrigos florestais, em comparação com o período homólogo do ano anterior», frisou Reinaldo Campos, diretor de marketing da CIN.

Diário Digital / Lusa

Cadáver encontrado em destroços de casa ardida

Um cadáver foi descoberto hoje no meio dos destroços de uma habitação abandonada e degradada atingida por um incêndio, na localidade de Cambeses do Rio, no concelho de Montalegre, revelou hoje fonte da GNR de Montalegre.
Embora a residência estivesse desabitada há alguns anos e isolada da aldeia os habitantes desta terão avistado fumo e dado o alerta aos Bombeiros Voluntários de Montalegre.

Segundo a fonte da GNR de Montalegre, "um habitante foi ver o estado em que ficou a habitação e pareceu-lhe ver um corpo carbonizado tendo dado de imediato o alerta".

No local, segundo a fonte, constatou-se que era "o corpo de uma pessoa, mas dado estar completamente carbonizado não se conseguiu identificar o sexo da vítima".

O caso seguiu para a Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real que está a investigar a situação e informou que "até ao momento, o sexo da vítima continua por apurar".
Público

domingo, 26 de setembro de 2010

Nova escola para bombeiros no Alentejo

Foi ontem inaugurada a Unidade Local de Formação de Bombeiros de Viana do Alentejo, que servirá essencialmente os soldados da paz do distrito de Évora.
A cerimónia decorreu no quartel da Associação Humanitária da vila e contou com a presença do secretário de Estado da Protecção Civil, Vasco Franco.
A escola alentejana contará com dois campos, um situado na serra de Viana para treinos de incêndios florestais e outro nas imediações do quartel para treinos de incêndios urbanos e industriais.
"A formação hoje em dia é essencial e deve aproximar-se dos bombeiros" disse ao CM Vasco Franco, que admite a necessidade de continuar a investir nos homens e nos meios, apesar dos tempos de contenção de despesas.
Esta infra-estrutura representou um investimento de cem mil euros, suportado pela Câmara de Viana do Alentejo e pela própria Associação Humanitária, e resulta de uma parceria com a Escola Nacional de Bombeiros.
CM

Protecção Civil recebe 35 milhões de euros

O Ministério da Administração Interna (MAI) prepara-se para assinar 25 contractos com várias entidades do sector da Protecção Civil.
Ao todo, o investimento supera os 35 milhões de euros.

«Os contratos, que serão assinados com várias associações de bombeiros, municípios, Autoridade Nacional de Protecção Civil, Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade e Instituto Geográfico Português, correspondem a um investimento superior a 35 milhões de euros na área da Protecção Civil, dos quais 70 por cento são financiamento do QREN (Quadro de Referência Estratégico Nacional», informa o MAI em comunicado.
abola.pt

Circulação na Linha do Norte já foi restabelecida depois de atropelamento

A circulação na Linha do Norte em Pelariga - entre Soure e Pombal - foi restabelecida às 19:55 horas deste domingo.

Um atropelamento esta tarde levou à interrupção da linha que liga Braga a Faro. Ana Portela, do gabinete de imprensa da CP, confirmou ao i o acidente, que aconteceu por voltas das 17h00.

Uma pessoa foi colhida pelo Alfa Pendular que fazia a ligação Porto/Faro e acabou por morrer. Este Alfa Pendular prosseguiu viagem, mas as duas vias foram interrompidas para trabalho dos bombeiros.

De acordo com fonte dos bombeiros voluntários de Pombal, encontraram-se no local quatro bombeiros e uma ambulância. O atropelamento aconteceu no Apeadeiro de Pelariga.

ionline

Menina caída do quarto andar salva pelos braços de bombeiro

Uma menina de quatro anos caiu da varanda de um quarto andar, em Arcozelo, Barcelos, e foi salva por um bombeiro dos Voluntários de Viatodos. Cá em baixo, a 15 metros, Fernando Rodrigues amparou a queda e evitou a tragédia. Eva sofreu pequenas escoriações.
Fernando Rodrigues é o mais recente herói dos Bombeiros Voluntários de Viatodos, em Barcelos. Herói acidental, porque quis o acaso, a audácia e o sentido de oportunidade que, ontem, este voluntário estivesse no sítio certo à hora certa.

"Eram cerca das 15.30 horas. Ao contornar a rotunda, apercebi-me de que se passava qualquer coisa, mas pensei sempre que fosse um incêndio numa casa, por exemplo", relatou, ontem, ao JN, ainda tenso, Fernando Manuel Fernandes Rodrigues, 34 anos, natural de Viatodos.

O bombeiro tinha-se deslocado a Barcelos para transportar um doente ao serviço de hemodiálise que funciona em Arcozelo, quando se apercebeu, na Avenida de Nossa Senhora de Fátima, da presença de muitas pessoas num passeio, olhando para o cimo de um prédio. Aproximou-se e reparou que uma criança estava agarrada às grades de uma varanda, do lado de fora. Da parte de dentro, uma mulher, alegadamente a mãe, tentava agarrá-la. Mas a criança caiu.

Nesse preciso momento, o bombeiro, acabado de chegar ao local, só teve tempo de segurar a criança, livrando-a do impacto no passeio. "Aproximei-me das outras pessoas e ainda estive cerca de um minuto à espera, porque tinha subido uma pessoa para tentar agarrar a menina. De repente, caiu, e eu só tive tempo de estender os braços e agarrá-la. Estava lá um senhor que também me ajudou. Juntos conseguimos salvar a menina", conta Fernando, partilhando o acto heróico com um empregado dos talhos Sominho.

Impulso decisivo

Fernando não consegue explicar o "impulso" que sentiu naquele momento decisivo, em que a vida da pequena Eva lhe caiu literalmente nos braços.

"Uma coisa é quando saímos com outros colegas e estamos seguros, outra coisa é aparecer uma situação assim, sem contar", adianta o voluntário, com 14 anos de experiência.

Horas volvidas sobre o acontecimento, Fernando não conseguia afastar do pensamento aqueles momentos. E os que se seguiram, "com a cabeça sempre a pensar no mesmo. Como estará a menina?" A esta incerteza, Fernando soma a garantia de que procurará saber o estado da Eva.

A menina de quatro anos sofreu apenas algumas escoriações mas, mesmo assim, foi transportada ao Hospital de Barcelos para despistar eventuais lesões. Ao final do dia, a criança permanecia em observações, mas livre de perigo.

Cumprida a missão, Fernando teve de seguir caminho. "Estava num serviço, salvei a menina e tive de regressar ao quartel, porque tinha outro serviço na escala".

JN

Guerra aberta entre Câmara e Bombeiros

Os órgãos sociais dos Bombeiros Voluntários de Arcos de Valdevez acusam o presidente da Câmara, Francisco de Araújo, de "irresponsabilidade" por este ter dito, na última Assembleia Municipal, "que a Câmara cortara relações institucionais" com a direcção dos bombeiros e que "cancelaria qualquer transferência de verbas", algo que consideram "uma birra pessoal" do autarca.

Pedro Silva, presidente da Assembleia Geral dos Bombeiros, manifestou "surpresa e indignação" e alertou "a população para a gravidade da situação que põe em causa serviços essenciais aos arcuenses, nomeadamente a emergência pré-hospitalar e a capacidade de resposta operacional em caso de emergência ou catástrofe". "É uma grande irresponsabilidade que o responsável máximo da Protecção Civil assuma um corte de relações com o primeiro pilar operacional que são os bombeiros", disse, ontem, em conferência de imprensa.

Atendendo à gravidade da situação os órgãos sociais solicitam uma audição pública com o executivo municipal a realizar com maior brevidade para o esclarecimento deste diferendo. Em causa estará a utilização de verbas recebidas pelos bombeiros para fazer face a despesas no período de incêndios. "O Plano de Emergência Municipal (PEM) foi accionado a 27 de Junho, mas já antes, havia bombeiros de outras localidades no concelho a quem tínhamos de pagar a alimentação e combustível. Com a verba que recebemos pagamos essas facturas. Não houve qualquer desvio de verbas. Com o PEM accionado, a responsabilidade das despesas passa para a autarquia que nos veio cobrar facturas que lhes correspondem", disse Pedro Silva.

O autarca, Francisco Araújo, diz que estas verbas foram um "adiantamento" para a época de incêndios tendo a Associação Humanitária "recusado saldar a despesa, obrigando o município a gastar 60 mil euros". Dada a despesa "havia verbas que não serão transferidas". Considera ainda que "as declarações dos órgãos sociais são abusivas, pois o município está disponível para apoiar o corpo activo".

JN


terça-feira, 21 de setembro de 2010

Incêndio destrói casa de diversão nocturna

Um incêndio destruiu na madrugada desta terça-feira uma casa de diversão nocturna na freguesia de Alcaria, concelho de Porto de Mós, informou o comandante dos Bombeiros Voluntários locais, Elísio Pereira.

Citado pela Lusa, o responsável diz que o alerta para o incêndio chegou à corporação às 00:50, obrigando à mobilização de 20 elementos e oito viaturas dos bombeiros de Porto de Mós e Mira de Aire.

No local estiveram ainda seis militares apoiados por duas viaturas do Grupo de Intervenção e Protecção de Socorro da GNR, tendo o incêndio entrado em fase de rescaldo cerca das 03:15.

Elísio Pereira esclareceu que o fogo «destruiu praticamente o edifício todo», composto de rés-do-chão e primeiro andar, onde existiam, respectivamente, quartos e um bar. «O fogo de maior intensidade verificou-se na zona dos quartos, onde havia uma sala grande que dava apoio aos quartos, e, depois, propagou-se ao primeiro andar», disse o responsável, esclarecendo que «os estragos são muitos» e que se trata de uma «recuperação difícil».

Elísio Pereira explicou que «o primeiro alerta recebido apontava para a existência de feridos», embora os bombeiros não tenham transportado ninguém para o hospital. «Foram encontrados vestígios de sangue no local, mas não podemos garantir que se trata desta ocorrência», adiantou o comandante da corporação de Porto de Mós, acrescentando que os populares comunicaram a existência de «explosões prévias ao incêndio».

As circunstâncias em que ocorreu o incêndio estão a ser investigadas pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária.

TVI24

Risco muito elevado de incêndio em quatro distritos

Vários concelhos dos distritos de Viana do Castelo, Braga, Guarda e Coimbra estão esta terça-feira sob risco «Muito Elevado» de incêndio, o segundo mais grave de uma escala de cinco, anunciou o Instituto de Meteorologia (IM).

De acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), foram registados, na segunda-feira, 106 incêndios florestais, os quais foram combatidos por 1168 bombeiros, apoiados por 296 veículos, e obrigaram à realização de cerca de 70 missões aéreas.

As previsões do IM para esta terça-feira são de céu limpo ou pouco nublado, apresentando-se temporariamente muito nublado até ao final da manhã, no litoral oeste e em especial a norte do Cabo da Roca. O IM prevê ainda um aumento temporário de nebulosidade nas regiões do interior, onde poderão ocorrer aguaceiros fracos.

O vento será fraco (inferior a 15 km/h), soprando temporariamente moderado (15 a 25 km/h) de noroeste durante a tarde, na faixa costeira ocidental. As temperaturas máximas previstas são de 22 graus Celsius no Porto, 23º em Ponta Delgada, 25º em Faro, 26º no Funchal e 27º em Lisboa.

IOLDiário

Bombeiros resgatam homens desaparecidos numa mina em Ponte de Lima

Ao início da tarde foi dado o alerta do desaparecimento dos dois homens, que procediam à limpeza de uma mina de água, na localidade de Boa Morte.
No local estiveram dez bombeiros.
Já foram encontrados e sem qualquer problema os dois trabalhadores que estavam dados como desaparecidos numa mina de água em Ponte de Lima.

Os bombeiros acabaram por encontrar os dois homens a uma distância de 40 metros da entrada. Problemas nas comunicações com o exterior lançaram o alerta.

“Pelas 17h30 conseguimos localizar as vítimas, estavam bem. Simplesmente não tinham contacto com o exterior, mas estavam bem, estavam a trabalhar, lá na mina, numa zona mais ampla. Encontrámo-los a 40 metros e eles ficaram espantados porque não estavam a contar com esta operação, para eles estava tudo bem. Quem estava fora e não tinha comunicação é que estava mal”, explicou o comandante dos bombeiros Carlos Lima.

RRenascença

sábado, 18 de setembro de 2010

Até ao momento arderam cerca de 118 mil hectares

Os incêndios destruíram, até 15 de Setembro, 117 949 hectares de floresta e mato, segundo o relatório divulgado ontem pela Autoridade Florestal Nacional.
No mesmo período, registaram-se 19 567 fogos.
Este é um dos piores anos do século, pois nos últimos onze anos houve apenas cinco em que se registaram resultados anuais mais negativos.
O distrito da Guarda tem a maior área ardida (23 345 hectares) e o do Porto é líder em ocorrências (5453).
CM

Acidente com ambulância de Melo mata casal

A mulher que ficou ferida na sequência do despiste da ambulância dos bombeiros de Melo (Acidente com ambulância de Melo fez um morto), no passado dia 10, em Gouveia, faleceu ontem nos Hospitais da Universidade de Coimbra.
Maria da Conceição, de 77 anos, acompanhava o marido, que morreu na altura, na viagem de regresso do Hospital da Guarda, quando se deu o acidente.
CM

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

100.000 flag's atingidos

100.000 flag’s foram hoje atingidos. A todos quantos nos visitam os nossos agradecimentos. Tudo faremos para merecer a vossa preferência, OBRIGADOS

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Guarda queria multar carro de bombeiros da Lixa

O desfile automóvel dos Bombeiros da Lixa (Felgueiras), comemorativo dos 121 anos da corporação, foi, interrompido por uma situação invulgar. Um militar da GNR quis multar o condutor de uma das viaturas, por esta ter aceso um pirilampo rotativo na viatura.

Aconteceu a meio da manhã de domingo, na rotunda do Alto da Lixa. O motor do jipe todo-o-terreno de comunicação e operações aqueceu de mais. O condutor parou e assinalou a avaria com um pirilampo no tejadilho.

Dois guardas da GNR de Penafiel dirigiram-se ao bombeiro condutor, estando um deles predisposto a multá-lo por conduzir uma viatura com um pirilampo ilegal aceso. Graças à intervenção do comandante da corporação, José Campos, a situação resolveu-se e a viatura continuou a marcha.

Contactado pelo JN, o comandante lamentou o excesso de zelo do agente da autoridade. Comprada há 20 anos, esta viatura tinha de ter semáforo e sirene para ser isenta de impostos.

J.V. - Jornal de Notícias

Bebé nasce à entrada de quartel dos bombeiros

Um bebé nasceu esta quinta-feira de madrugada, pelas 2:00 locais, à entrada do quartel dos bombeiros de Santiago do Cacém, no próprio veículo em que a parturiente chegou, com a ajuda de quatro elementos do corpo de bombeiros.
“A parturiente chegou na própria viatura, em frente ao nosso quartel, para a transportarmos, só que já vinha em trabalho de parto e os bombeiros tiveram que o fazer na própria viatura”, relatou o comandante dos bombeiros de Santiago do Cacém, Carlos Agostinho.
A mãe, de 35 anos, e o recém-nascido foram depois transportados para o Hospital do Litoral Alentejano, tendo sido, entretanto, transferidos para a maternidade do Hospital de São Bernardo, em Setúbal.
Este é o segundo parto, no espaço de um mês, feito por este corpo de bombeiros.
Segundo avançou o comandante Carlos Agostinho, outro parto foi feito por um dos bombeiros que assistiu também ao de hoje, mas na ambulância, na zona de Ermidas-Sado, quando seguia para o Hospital de Beja.

Lusa/AO online

Bombeiros de Mangualde passam noite a combater vandalismo

Os bombeiros voluntários de Mangualde não tiveram descanso esta madrugada, na sequência de actos de vandalismo em cerca de uma dezena de caixotes do lixo, seis eco-pontos e uma papeleira.
Os vândalos atearam fogo aos pontos de recolha em vários locais da Cidade de Mangualde.
O Capitão Adriano Resende, da GNR de Mangualde, disse que pouco passavam das 3h da madrugada quando «a guarda detectou três ecopontos a arder» não tendo sido possível no momento apurar os autores dos actos de vandalismo.

«Tivemos conhecimento que havia outros contentores a arder a dirigimo-nos para as várias artérias da cidade em acção de vigilância», referiu o capitão da GNR lembrando que «não é normal» acontecer este tipo de situações.

Até ao momento ainda não foi possível identificar os autores destes actos de vandalismo no entanto a GNR vai continuar a efectuar diligências que levem a identificação dos mesmos.

«São puros actos de vandalismo, são puros actos de pessoas que não têm gosto pela sua própria propriedade porque a propriedade pública é propriedade de todos», lembrou o Capitão Adriano Resende.

Ao que conseguimos apurar a autarquia já está no terreno a fazer o levantamento dos estragos causados para repor no menos curto espaço de tempo o material estragado para normalizar a recolha do lixo e eco-pontos, lamentando desde já este tipo de actos. João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal, apela à população para que se derem conta deste tipo de vandalismo o denunciem o mais rápidamente possivel, para que as autoridades possam identificar os vandalos.

Mangualdeonline

Bombeiros começam a deixar combate aos fogos

Regresso de muitos jovens às aulas em Setembro põe em causa cumprimento das escalas em várias corporações voluntárias.
A subida das temperaturas voltou a fazer disparar o número de incêndios florestais e obrigou a nova mobilização do Exército. Guarda e Vila Real têm sido os distritos mais fustigados. Apesar do regresso dos fogos, o dispositivo de combate a incêndios começa a conhecer as primeiras brechas. Em Viseu duas equipas já anunciaram a indisponibilidade para Setembro.

Os Bombeiros de Viseu, onde estão duas equipas de combate e apoio a fogos florestais, já avisaram o comando da Protecção Civil que vão dar por terminado o empenho nos incêndios a partir de 1 de Setembro. Fonte da corporação justifica a decisão com a "falta de pessoal e incerteza de conseguir assegurar a escala completa".

Fonte da Protecção Civil reconheceu que "a partir de Setembro há sempre dificuldades porque muitos dos voluntários são estudantes e regressam às aulas". Também em Castelo Branco, Évora, Idanha-a-Nova e Oleiros "tem havido problemas para completar a escala de serviço", adiantou o responsável.

No País, a subida das temperaturas obrigou ao accionamento do alerta amarelo, segundo mais grave de uma escala de quatro e marcou o regresso dos fogos. Guarda e Vila Real são os distritos mais fustigados. Na Guarda, o incêndio que deflagrou sábado em Benespera, foi dado como controlado a meio da tarde de ontem. No local estiveram 205 homens, 58 veículos e dois meios aéreos. Em Aguiar da Beira um fogo consumiu uma vasta área de pinhal e obrigou ao empenhamento de 35 operacionais, apoiados por oito veículos e um helicóptero-bombardeiro pesado.

Em Chaves, o fogo começou no sábado e ontem ao início da noite continuava por controlar. No mesmo distrito houve registo de incêndios em Sabrosa e Mondim de Basto, no Parque Natural do Alvão.

Os quatro sapadores florestais de serviço na Junta de Freguesia de Merufe, em Monção, estão sem receber desde Dezembro de 2009, tal como os restantes quatro funcionários da respectiva junta, dada a falta de entendimento entre as três forças representadas na assembleia local desde as últimas eleições. A esperança reside na decisão do tribunal, esperada para Setembro.

"É difícil para qualquer trabalhador passar tanto tempo sem receber, mas para os sapadores florestais é ainda mais complicado pelo que têm passado este Verão. Há oito meses que não recebem vencimento", explicou ao DN Márcio Alves.

A junta foi instalada, mas como a oposição tem a maioria, desde as eleições que não há governo daquele órgão. A história começa a 11 de Outubro de 2009 com a vitória da lista liderada por Márcio Alves. Mas sem maioria absoluta, já que conquistou quatro mandatos, tantos quantos os da lista de Hélder Dias, tendo a terceira, encabeçada por Durval Gonçalves, conseguido um eleito. Todos os três em listas independentes.

Por pagar estão uma dezena de salários, o que corresponde a uma verba total superior a 40 mil euros, entre trabalhadores das obras, limpeza, educativos e sapadores florestais. Estes últimos ganham pouco mais de 600 euros por mês, ou pelo menos era suposto que assim fosse.

DN

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Eólicas a "reflorestação" do século XXI

No tempo dos nossos (bisa) avós as montanhas eram reflorestadas por lindíssimas árvores desde o pinho, castanheiro ao carvalho e hoje, os monopolistas das distribuições energéticas fazem-no de maneira diferente, valem-se do factor “energias renováveis (limpas)” para atulhar as montanhas de enormes aglomerados de ferro com base em fins lucrativos de largos milhões de euros.

Quem desce pela EN-338 da Portela do Arão até à Vide (vale de origem glaciária de extrema beleza) dando continuidade ao Piodão, o que nos chama atenção é a Serra do Açor cada vez mais repleta de ferro e enormes ventoinhas para produzir as chamadas energias amigas do ambiente mas a reflorestação da verdadeira floresta, a mais importante, é simplesmente “esquecida” por quem dá o parecer favorável à construção destes autênticos monos.

Sérias dúvidas se são ou não feitos estudos de impacte ambiental o certo é que crescem umas atrás das outras e que se estendem por vários quilómetros centrados principalmente nos topos das montanhas criando uma estranha floresta que em vez de bela e verde mais parece um planeta desabitado idênticos aos que costumamos ver nas séries televisivas de ficção.

Todos nós temos conhecimento que as empresas responsáveis por estes projectos são aquelas que ao fim de cada ano vemos aumentados os seus lucros em avultados milhares de euros e em proporção pagam às freguesias beneficentes apenas um bochecho relativamente ao aluguer destes terrenos baldios, mas não é tudo, os moradores de algumas aldeias mais desfavorecidas queixam-se agora de barulhos que não existiam anteriormente, do impacte paisagístico negativo fruto das construções abusivas que vão devassando as montanhas que doutras freguesias também fazem parte já que por mais não seja da beleza que outrora era unicamente coberta por vegetação e queixam-se sobre tudo de em nada beneficiarem na energia que pagam nos seus domicílios cada vez mais cara.

São cada vez mais edificadas torres eólicas montanhas acima e abaixo, o ambiente e a sua biodiversidade estão cada vez mais degradados e abandonados. Os governantes deste país criam leis para que as ditas energias renováveis sejam o futuro de um país mais limpo mas não se dão conta que a verdadeira reflorestação é a mais urgente, a mais necessária ao subsistema humano e enquanto isso, as malditas torres vão ganhando terreno não sei se para fabricar energia, movimentar o pouco oxigénio puro da atmosfera ou para enriquecer os que são cada vez mais ricos.

Enviado por: majo

Novo quartel em Pombal promete atrair mais voluntários

Os Bombeiros Voluntários de Pombal esperam cativar mais elementos para a corporação com a entrada em funcionamento do novo quartel, que será inaugurado hoje na zona Oeste do concelho.
"Estão reunidas as condições sociais e operacionais para aproximar os meios de socorro da população e conseguir a entrada de novos voluntários", disse ontem ao CM o comandante, José Costa.

O edifício custou 600 mil euros e resultou do "empenho de todos" – população, associação e autarquias.

José Costa destaca o papel das juntas de freguesia da Ilha, Guia e Mata Mourisca, que uniram esforços para tornar este sonho uma realidade.

O novo quartel fica próximo de importantes vias de comunicação, como a A17, o IC8 (Pombal/Vila Velha de Ródão) e a EN109 (Leiria-Fig. da Foz).

CM

Cerca de 150 bombeiros combatem dois fogos no distrito de Viseu

Dois incêndios no distrito de Viseu continuavam activos hoje de manhã, estando o seu combate a mobilizar cerca de 150 bombeiros, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil.
Um dos incêndios está activo em S. Barnabé, no concelho de Tondela, desde a noite de ontem, altura em que as chamas começaram a consumir uma zona de mato.

Este incêndio apresenta uma frente activa e acessos difíceis, razão pela qual foi accionado um helicóptero bombardeiro pesado Kamov hoje de manhã.

AS chamas estão a ser combatidas por 84 bombeiros, com a ajuda de 20 veículos operacionais, de acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil.

Outro incêndio está a consumir uma zona de mato também no distrito de Viseu, em Couto, concelho de Vouzela, envolvendo 67 bombeiros e 14 viaturas no combate ao sinistro.

O incêndio teve início no domingo, ao final da tarde. Desde essa altura, os bombeiros já enfrentaram duas reactivações, tendo sido accionados dois aviões bombardeiros pesados Canadair.

Lusa/ SOL

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Acidente com ambulância de Melo fez um morto

video

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Quase 106 mil hectares de área ardida até Agosto

Os incêndios florestais consumiram até final de agosto quase 106 mil hectares, revela o relatório provisório da Autoridade Florestal Nacional (AFN), sendo que aquele número equivale a cerca de um por cento do território nacional.
Segundo os dados, divulgados hoje, entre 01 de janeiro e 31 de agosto arderam 105 806 hectares de floresta, contra 56 749 no ano passado.

A AFN adianta que este ano foram afetados 32 521 hectares de povoamentos florestais e 73 285 de matos.

Lusa

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Enxurradas em Seia (SIC Notícias)

video

O vídeo que serviu de base à reportagem SIC foi cedido por um dos administradores do blog bombeirospontopt. Em breve passaremos na integra a filmagem completa minutos antes da grande enxurrada.

Enxurradas em Seia: após incêndio da serra previam-se cenários como este

video

O vídeo que serviu de base à reportagem SIC foi cedido por um dos administradores do blog bombeirospontopt. Em breve passaremos na integra a filmagem completa minutos antes da grande enxurrada.

Tempestade provocou enxurrada em Seia

Os arredores de Seia foram varridos por uma enxurrada súbita, na sequência da tempestade que assolou a região, esta terça-feira ao final da tarde. Há inundações em pelo menos oito casas. Os trabalhos de limpeza decorreram durante toda a noite.

O riacho que vem da encosta Norte da Serra da Estrela e que ontem transbordou para uma estrada foi o que deu mais trabalho aos bombeiros, segundo o comandante da corporação de Seia, Virgílio Borges, que a TSF cita.

O responsável adiantou ainda que as preocupações redobram-se para hoje, uma vez que se teme que uma tempestade idêntica possa causar ainda mais problemas. Isto porque a enxurrada levou para Seia muitos detritos dos incêndios.
abola.pt

Reflorestação da Serra da Estrela avança após intervenção de recuperação de solos - ministro da Agricultura

O ministro da Agricultura, António Serrano, admitiu no passado dia 30 de Agosto que a reflorestação das áreas ardidas na Serra da Estrela só deverá ocorrer após a intervenção de recuperação de solos, apontando para março de 2011.
"O fundamental agora, que temos que garantir, é a intervenção, nos terrenos, de emergência pós incêndios" através de medidas que "estão a ser programadas", disse o ministro aos jornalistas em Seia, onde iniciou uma visita às áreas ardidas naquela zona do distrito da Guarda.
Segundo António Serrano, a Autoridade Florestal Nacional está a elaborar os relatórios da área ardida nos concelhos da região da Serra da Estrela tudo apontando para a destruição de mais de 4500 hectares de área.

Ambulância do INEM choca com viatura

Dois elementos da tripulação de uma ambulância do INEM, bombeiros do FOCON-Força Operacional Conjunta, e o condutor de um automóvel ficaram ligeiramente feridos no choque das duas viaturas, anteontem, cerca das 19h00, num cruzamento de acesso ao largo do Mercado, em Faro.
Foram todos transportados ao Hospital de Faro, numa outra ambulância, mas tiveram alta poucas horas depois.
A ambulância, sediada no quartel dos Bombeiros de Faro, seguia em marcha de emergência, com os sinais sonoros e luminosos activados, por ter sido accionada para uma emergência.

A viatura ligeira, conduzida por um jovem com cerca de 20 anos, acedeu ao cruzamento, que tem sistema semafórico, dando-se a colisão. As autoridades estão a investigar as causas do acidente.

A outra situação de emergência para a qual tinha sido accionada a ambulância foi assegurada por outro meio de socorro.

CM

Madeira com fogos controlados e sob vigilância

Um fogo em mato, no Caminho da Alegria, em São Roque, que teve início por volta das 15 horas, era o único incêndio activo em toda a Região, de acordo com a última informação do Serviço Regional de Protecção Civil, lançada às 19 horas, mas os bombeiros (BMF), com seis homens e duas viaturas, encontravam-se já em fase de rescaldo ao final do dia, preparando-se para regressar ao quartel.
No dia de ontem foram extintos dois fogos em mato, nomeadamente no Curral dos Romeiros (Monte), e nas Ginjas (São Vicente).
Com efeito, de acordo com a informação do SRPC, o grande trabalho dos bombeiros e da Polícia Florestal neste momento são as acções de vigilância após incêndio. A este propósito, há a registar uma novidade.
Duas patrulhas do exército, com quatro homens cada uma, estão a participar juntamente com os “Municipais do Funchal” em missões de vigilância e prevenção, toda a noite como meio de vigilância e prevenção, confirmou fonte desta corporação. “Nós temos 15 elementos e quatro viaturas em patrulhamento 24 horas por dia nas serras do Funchal”, referiu este elemento, “com o propósito de impedir situações de incêndio e possíveis reacendimentos”.
Para além do Funchal, segundo o SRPC, as mais diversas corporações de bombeiros encontram-se com equipas em zonas afectadas como medida de prevenção e vigilância após incêndios, designadamente nas zonas altas de Santa Cruz, no Ribeiro Frio (Santana), Estação da Meia Serra (Santa Cruz), Achada do Teixeira (Santana), Ribeira da Vaca (Calheta), Lajinhas (Monte), Paul da Serra (Ribeira Brava) e serras do Estreito de Câmara de Lobos.
Os incêndios na Fonte do Bispo, Balcões e Meia Serra foram igualmente dominados, encontrando-se do mesmo modo sob a vigilância dos bombeiros e da Polícia Florestal. De referir que os BVM, com oito elementos e duas viaturas prestaram apoio aos bombeiros de Santa Cruz, desde a madrugada de segunda-feira e o meio-dia de ontem, no incêndio que ocorreu no Ribeiro Serrão e que esteve próximo de residências.
JMadeira

Acessos ao novo quartel dos voluntários preocupa Ruas

O presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas (PSD), está preocupado com a possibilidade de o novo quartel dos bombeiros voluntários ficar sem acesso ao IP5, noticia o Diário de Viseu.

O novo quartel começou a ser construído em Janeiro, num terreno cedido pela autarquia na freguesia de Rio de Loba, e deverá ficar concluído em Dezembro.

Fernando Ruas, que se assumiu como “entidade facilitadora”, abordou a questão com o presidente da Estradas de Portugal, “que considerou que a lei actual não permite deixar uma entrada directa para o IP5″, tendo remetido o assunto para o ministro das Obras Públicas.

“Em breve o quartel fica pronto e será muito complicado ter a obra feita e depois faltarem acessibilidades”, frisou, lembrando que a falta de ligação directa àquele itinerário principal obrigará os bombeiros a gastarem “mais 15 minutos numa saída” e a circularem por aldeias, tempo que pode ser valioso em caso de acidente ou incêndio.

O autarca lembrou que, mesmo quando os quartéis se situam nos centros das cidades, os bombeiros não estão obrigados a cumprir a lei da mesma forma que os restantes condutores, podendo, por exemplo, passar o sinal vermelho.
“Também pode haver excepções à lei no caso da entrada para o IP5″, considerou.

De acordo com o Diário de Viseu, Fernando Ruas contou ter deixado “a porta aberta” para a Câmara aceitar a responsabilidade do troço do IP5, que perdeu tráfego com a construção da A25, o que solucionaria este problema dos bombeiros.

“Falei nisso como uma possibilidade, mas não como uma forma de pressão”, esclareceu, reiterando que só aceitará municipalizar o troço quando ele estiver “em condições”.

Viseumais

Fogos na Ribeira da Pena e Cinfães continuam por controlar

A Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) registava seis incêndios às 12h50, continuando por controlar os fogos nos concelhos de Ribeira de Pena (Vila Real) e Cinfães (Viseu), que mobilizam perto de 500 efectivos
O fogo em floresta, que há três dias arde no concelho de Ribeira de Pena, continua com três frentes activas e o combate está a ser feito por 339 bombeiros, apoiados por 84 veículos operacionais e cinco meios aéreos.

Segundo a ANPC, o fogo tem 70 por cento do «perímetro dominado» e 30 por cento a «evoluir favoravelmente».

Com uma frente activa, o incêndio que está a consumir mato desde terça-feira à tarde na localidade de Ramires, concelho de Cinfães (Viseu) está a mobilizar 126 bombeiros, 29 viaturas e dois helicópteros.

Desde as 00h00 de hoje já deflagraram 56 incêndios.

A ANPC adianta ainda que ao longo do dia de terça feira registaram-se 376 fogos florestais.

Lusa/SOL