sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Acarinhar os Bombeiros

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal (AHBVS) cumpriu recentemente 126 anos de existência e actividade ininterrupta em prol dos setubalenses, tendo a efeméride sido celebrada através de algumas alocuções alusivas.
Na qualidade de presidente da Mesa da Assembleia Geral desta associação centenária tive oportunidade de, no discurso proferido na sessão solene comemorativa do aniversário, ter referido o papel essencial da sociedade civil e, concomitantemente, do associativismo, no bem-estar e no desenvolvimento das populações.
Setúbal tem tradição, em matéria de associativismo, mas à medida que a cidade cresceu e se descaracterizou, com a vinda de fluxos cada vez maiores de pessoas de fora, perdeu algum desse elan associativo. A verdade é que persiste um número apreciável de colectividades no concelho, mas a realidade é que muitas delas lutam pela sobrevivência, dificilmente conseguem captar sangue novo, e correm o risco de fechar as portas. Em especial as mais antigas, apesar do respeitável peso do seu passado e tradição. Há que renovar métodos, procedimentos e serviços, mas sobretudo mentalidades, pois a cidade de 2009 é radicalmente diferente da que existia em finais do século XIX.
Quanto à AHBVS estão em pleno processo de renovação, aberta aos jovens, e a ideias inovadoras, mas sempre sem perder de vista o essencial, que é dotar o Corpo de Bombeiros de homens e mulheres, material, viaturas e equipamentos que permitam manter a eficácia no combate aos fogos e noutras acções de intervenção e socorro, no âmbito da protecção civil e da saúde das populações, de acordo com as funções e responsabilidades que lhe estão atribuídas.
Todavia, uma associação deste tipo, que se quer acarinhada pela sociedade setubalense, à semelhança da generalidade das suas congéneres por esse país fora, ainda não conseguiu sentir esse apoio em termos de número de associados, o que é pena. Se não forem os habitantes de Setúbal a acarinhar os seus bombeiros voluntários, quem o fará?
Já basta o comportamento vergonhoso, do ponto de vista cívico e institucional, que resulta do facto de as entidades competentes continuarem a reter uma verba de 30 mil euros, a que a associação tem direito, e que foi atribuída há um ano para a compra de um autotanque de grande capacidade, entretanto adquirido.
Por: Brissos Lino

Ricardo Dias Poderá Ser o Novo Comandante dos Bombeiros da Madalena

Divergências entre a direcção da instituição e o comandante Manuel Furtado fazem repensar o comando.
Após algumas semanas de reuniões e de muita agitação no quartel de Bombeiros Voluntários da Madalena a Rádio Pico apurou que Ricardo Dias poderá ser o novo comandante dos Bombeiros Voluntários da Madalena.
Manuel Furtado, o até agora comandante, terminou esta semana a sua comissão, válida por 5 anos, e a direcção dos Bombeiros optou por não reconduzi-lo no cargo, escolhendo um novo comandante e Ricardo Dias foi o nome escolhido.
As divergências entre a direcção da instituição e o comandante Manuel Furtado estavam acentuando-se ao longo dos últimos tempos e este poderá ser o factor principal da escolha de outra pessoa para comandar os Bombeiros da Madalena.
Esta posição, tomada pela direcção dos Bombeiros Voluntários da Madalena, não está a ser aceite pela positiva por alguns dos bombeiros que continuam em luta com a direcção para receber honorários de horas extraordinárias realizadas durante os meses de Verão.
Relembre-se o Governo do Açores atribuiu à Associação de Bombeiros Voluntários da Madalena uma comparticipação de 40 mil euros para apoio às actividades previstas, durante o corrente ano, para a Montanha do Pico.
Atribuída por despacho do secretário regional do Ambiente e do Mar, e publicado em Jornal Oficial, esta comparticipação enquadrou-se no âmbito do protocolo de cooperação que o executivo açoriano celebrou no dia 1 de Junho de 2009 com os bombeiros da Madalena.
O dinheiro chegou à instituição mas não chegou a quem trabalha nela. Os bombeiros chegaram a reunir-se com a direcção várias vezes com vista a resolver a situação mas esta mantêm-se pendente.
Noticias do Picoazores

Socorrer os Bombeiros

A Rui Fernandes considera “urgente repensar o modelo de financiamento público às associações de bombeiros voluntários”, dos decisores políticos as isentarem de certas obrigações fiscais” e destas poderem “beneficiar de custos menores, por exemplo, nos abastecimentos de combustíveis, tal como acontece com alguns sectores de actividade mais específicos”.
O presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos (AHBVCL), que falava na cerimónia do 60.º aniversário daquela instituição sublinhou que, só desta forma, será possível aos bombeiros prosseguirem o seu trabalho com empenho e eficácia.
Destacou a ajuda que tem havido por parte da Secretaria Regional dos Assuntos Sociais, do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros da RAM e da Câmara Municipal.
Adiantou que estas duas últimas entidades já disponibilizaram o apoio para a aquisição de uma nova ambulância que deverá ser apresentada, publicamente, em breve.
O presidente da Câmara Municipal de Câmara de Lobos, Arlindo Gomes garantiu que a autarquia vai continuar a apoiar aquela instituição cuja “intervenção e ajuda às populações tem sido de uma prontidão e eficácia”, sentimento este que foi comungado pelo tenente-coronel Barbosa, da Protecção Civil.
A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos conta com 23 profissionais e 40 voluntários.
Na cerimónia de aniversário decorrida no Quartel de Câmara de Lobos, na qual marcaram presença diversas entidades, foram entregues distinções honoríficas, pela assiduidade e comportamento, aos bombeiros que perfizeram 5, 10 e 15 anos de serviço.
Foi, igualmente, distinguido com o crachá de ouro, o Chefe da Corporação, pelo Conselho Executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses. Carlos Carvalho assumiu este cargo em 2001.
Jornal da Madeira

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Bombeiros Pedem Maior Apoio à População

Os Bombeiros de Lousada, tal como o TVS tem vindo a noticiar, iniciaram recentemente um peditório pelo concelho, com o objectivo de angariar verbas para reforçar o parque automóvel.
Apesar de estar a ser encarada com optimismo, José António Oliveira, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, adverte para a necessidade de todos os lousadenses, sobretudo, os da vila, darem o seu contributo para uma causa que é de todos.
"No que toca à vila verificamos que algumas pessoas e algum sector comercial não têm correspondido da forma como era esperada. Aguardava muito mais da parte da comunidade porque os soldados da paz têm uma missão a cumprir que é a de prestar auxílio ao próximo. Infelizmente, existem pessoas que pensam que não precisam dos bombeiros para nada", salientou.
Excesso de individualismo
O excesso de individualismo e a inexistência de uma cultura de solidariedade são apontados como sendo dois dos factores que estão directamente relacionados com esta falta de solidariedade. "Existe uma falta de motivação da parte dos cidadãos. Verifico que muita gente deixou de estar tão disponível para ajudar os bombeiros.
Aliás a sociedade tem mudado de carácter. Há uns anos atrás quando acontecia um incêndio a comunidade acorria em massa para ajudar, agora, os populares, inexplicavelmente, ficam de braços cruzados perante a azáfama dos bombeiros. Não existe vontade de participarem activamente nem contribuírem financeiramente ", asseverou.
“Localização do novo quartel deverá ser junto ao hospital”
Retomando uma ideia antiga, o dirigente da associação voltou a insistir na ideia de que urge avançar com a criação de um novo quartel. Segundo José António Oliveira, o actual edifício há muito que deixou de ter condições logísticas para fazer face às necessidades das populações e aos novos desafios que o socorro coloca aos soldados da paz.
"É um sonho que é perfeitamente possível e que acredito que venha a ter o melhor acolhimento por parte das entidades políticas e das forças civis. Não estou a afirmar que este projecto vá ser construído durante o nosso mandato. Sabemos das dificuldades que o corpo operacional vem sentindo no que toca às instalações, ao alojamento dos recursos humanos e do parque das viaturas", anuiu.
Lembrou que a instituição não dispõe de recursos próprios para concretizar tal desiderato pelo que afirmou: "A Câmara, o Governo Civil e o Governo Central terão de assumir este projecto como prioritário. A autarquia irá assumir um papel relevante até porque é proprietária de vários terrenos e poderá conduzir este processo melhor do que ninguém ", esclareceu, salientando que o clima saudável que existe entre ambas as instituições é favorável a uma solução a contento de ambas as partes: "Existe um óptimo entendimento. Conhecemos as limitações financeiras com que o executivo municipal se confronta, mas também sabemos que esta não é uma associação qualquer, pois exerce uma actividade importante em prol da comunidade e é composta por voluntários".
Defendeu que o melhor local para o novo equipamento seria próximo do Hospital da Santa Casa da Misericórdia.
"São cinco os elementos da minha direcção e todos temos opiniões diferentes. Para mim esse é o local ideal porque é um ponto estratégico, com saídas rápidas para a A42, a A11 e a A4", avançou.
Problema do carro de desencarceramento com solução à vista
Quanto à falta de uma viatura de desencarceramento, mostrou-se, uma vez mais optimista para colmatar a situação: "O carro vai aparecer mais depressa do que é de esperar. Sei que existe vontade para resolver o problema, nomeadamente por parte da Câmara e do Governo Civil”.
Jornal TVS

Fogo "Destrói" Natal

Árvores de Natal, bolas, fitas, luzes e estrelas acabadas de chegar enchiam até ao tecto os três armazéns de produtos chineses que foram totalmente destruídos pelas chamas entre a tarde de anteontem e a madrugada de ontem, na zona industrial da Murteira, em Samora Correia, Benavente.
E terá sido mesmo o recheio destes edifícios o principal contributo para um incêndio que demorou doze horas a extinguir e outras tantas até terminarem os trabalhos de rescaldo.
De acordo com o comandante dos Bombeiros de Samora Correia, Miguel Cardia, o fogo começou na terceira das cinco naves que compõem o armazém. "Em menos de vinte minutos as chamas envolveram todo o edifício. Os primeiros bombeiros a chegar ainda tentaram entrar e fazer o ataque ao fogo dentro da estrutura, mas era impossível.
A temperatura era tão alta que até as faixas reflectoras dos fatos de protecção começaram a derreter", recorda o responsável. "Repare que as vigas metálicas ficaram dobradas, o que só acontece com temperaturas de centenas ou milhares de graus centígrados", acrescenta.
"Os armazéns estavam cheios até à boca, pois tinha acabado de chegar uma remessa de produtos de Natal que ainda não tinha sido distribuída para as lojas." Zheng Ding Pao, o único comerciante chinês que aceitou falar com o Correio da Manhã, lamentou o sucedido. "Estou aqui há quatro anos e nunca tinha acontecido nada parecido. Perdemos tudo. Agora não sei se vamos ter material de Natal para fornecer às lojas."
A secção de investigação de incêndios da Judiciária de Lisboa está a investigar as causas deste fogo.
CM

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

10 Mil Bombeiros Querem Ser Vacinados de Imediato

A campanha da vacinação contra a gripe A arrancou há dois dias mas os bombeiros ainda não sabem quando vão ser vacinados nem quantos vão receber a Pandemrix.
Duarte Caldeira, presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, defende que dos 38 mil bombeiros "entre voluntários e sapadores que prestam serviço nas corporações de todo o País" devem ser vacinados dez mil, ou seja, aqueles que fazem o socorro permanente à população.
Para já, só os bombeiros que integram as tripulações das ambulâncias do INEM começaram a ser imunizados.
"Os bombeiros querem saber quando vão ser vacinados e já colocámos essa questão à Direcção-Geral da Saúde mas não temos informação. Disseram-nos para aguardar alguns dias", explicou Duarte Caldeira.
CM

"Açor 092" Testa Resposta dos Agentes de Protecção Civil em Caso de Catástrofe Natural

Exercitar capacidades de coordenação e averiguar as respostas dos agentes de protecção civil aquando da passagem de um furacão, são os objectivos do exercício “Açor 092”, promovido pela Secretaria Regional da Ciência Tecnologia e Equipamentos, através do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA) e o Comando Operacional dos Açores (COA).
O exercício, que decorrerá nos próximos dias 30 e 31 de Outubro e 1 de Novembro, na Ilha Terceira, pretende testar a resposta coordenada dos diferentes agentes à passagem de um furacão, provocando múltiplos acidentes, do mais variado tipo.
O cenário do exercício será modulado pelo Instituto de Meteorologia, que simulará as condições de passagem do furacão Varadero.
O exercício vai ainda permitir o teste do Plano Municipal de Emergência de Angra do Heroísmo e testar a resposta à emergência dos Serviços Municipais de Protecção Civil de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória.
Refira-se ainda que outro dos exercícios previstos, o teste do Plano Multivítimas do SRPCBA, organizado em conjunto com o Plano de Emergência Externo do Hospital do Santo Espírito de Angra do Heroísmo, permitirá aferir a capacidade de resposta do sistema e a adequabilidade de um reboque concebido para dar resposta a este tipo de incidentes.
No decurso do exercício será montado um campo de desalojados onde participam, de forma activa, a Cruz Vermelha Portuguesa e o Regimento de Guarnição n.º 1.
Participam no exercício 24 entidades, das quais se destacam uma significativa força de bombeiros provenientes de várias ilhas do arquipélago. O Exército e a Força Aérea, através do COA, darão apoio logístico e de transportes aos executantes do exercício.
Os figurantes serão escuteiros dos diferentes agrupamentos do Corpo Nacional de Escutas da Ilha Terceira e do Regimento de Guarnição n.º 1.
Como observadores participam ainda, a convite do SRPCBA, observadores da Região Autónoma da Madeira, do Continente e de outras ilhas dos Açores, para efectuarem uma avaliação, in loco, do exercício.
O dinamismo de planeamento, entre o SRPCBA e as diferentes entidades, permitiu já um significativo ganho de causa na coordenação entre diversas equipas, indispensável numa situação de emergência.
No dia 1 de Novembro de 2009, pelas 15H00, na zona balnear da Freguesia dos Biscoitos, será efectuada uma apresentação sobre o exercício e a uma demonstração de capacidades dos meios envolvidos, nomedamente Bombeiros e Forças Armadas.
Açores.net

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Último Adeus a Rui Veiga

Infelizmente, mais uma vez divulgamos uma notícia desagradável.
O nosso amigo e colega Rui Veiga, dos Voluntários de Freixo Espada á Cinta, faleceu no passado dia 26 de Outubro, vitima de doença súbita.
"Aqueles de quem gostamos nunca morrem, apenas partem antes de nós."
(Amado Nervo)
Os blog's bombeirosparasempre e o bombeirospontopt juntos se associam a este momento de dor e de luto que certamente reinará no seio dos bombeiros de Portugal.
Perder uma peça do puzzle significa sempre que o mesmo fique incompleto...

(in bombeirosparasempre)

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Bombeiros Voluntários de Setúbal Lamentam Pouco Apoio do Estado

Os Bombeiros Voluntários de Setúbal lamentam que “não haja mais apoio” por parte do Estado. José Luís Bucho, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal (AHBVS), que celebrou 126 anos de existência, refere que têm perguntado à administração central quando serão abertas novas candidaturas para a aquisição de material, mas que esta “nunca sabe quando”.
Além disso, quando há candidaturas abertas, essas “já estão comprometidas”. No entanto, apesar de sublinhar que o material e o equipamento “nunca é suficiente”, José Luís Bucho realça que os voluntários de Setúbal “renovaram praticamente toda a frota em dois anos”.
José Luís Bucho lembra que, desde que o plano nacional de reequipamento de bombeiros terminou, que os critérios de atribuição de novo equipamento são “desconhecidos”. Por isso, ironiza ao referir que não sabe se é “pela cor do cabelo do presidente ou pela altura do comandante” que o equipamento é distribuído, sublinhando que apenas “gostava de conhecer os critérios”.

Assim, o “reforço da capacidade operacional” da AHBVS foi feito com a aquisição de “uma série de equipamentos de apoio e protecção individual ou com um novo veículo de combate a incêndios florestais”. Contudo, José Luís Bucho destaca que esta estratégica é feita em “complementaridade com os bombeiros sapadores de Setúbal, para não haver duplicação” de esforços.
Assim, o presidente da AHBVS aponta “uma série de equipamentos” dos quais o concelho continua “carente”, nomeadamente mais um carro de comunicação, uma viatura de desencarceramento de pesados, ou a necessidade de ter mais capacidade de transporte de água.

Em relação aos meios humanos, José Luís Bucho revela que os números estão “dentro dos quadros de aprovados”, que são de 82 elementos e que está “quase completo”. No entanto, realça que é “bom vir sempre mais gente”, até porque os bombeiros voluntários estão “sempre abertos a mais inscrições”.
Apesar de actualmente estarem a “chegar mais jovens com habilitação superior”, o presidente da AHBVS aponta que “a franja entre os 25 e os 40 anos não chegam aos bombeiros”, o que pode ser o “reflexo” da sociedade actual, em que “a solidariedade não tem andado no topo das prioridades da população”.

Em relação à polémica que surgiu após a sua tomada de posse como presidente da AHBVS e com a posterior saída de José Picoto, então comandante dos bombeiros voluntários, José Luís Bucho garante que está tudo resolvido, considerando que foi um processo “natural”. “Sempre que há mudanças em qualquer organização, há quem as aceite e quem não as aceite”, acrescenta.
Quanto ao futuro da AHBVS, o presidente destaca que o objectivo passa por “continuar a manter o corpo operacional e equipado, para a cumprir a sua missão de forma eficaz”, revelando que existem ideias para vários projectos, “alguns em via de concretização”, mas que prefere não adiantar muito sobre eles porque “o segredo é a alma do negócio”.
Setúbal na Rede

Siza Desenha Primeiro Quartel de Bombeiros

Garantido o financiamento, os Bombeiros Voluntários de Santo Tirso, que há anos vivem apertados na velha sede da associação, vão, finalmente, ter casa nova em 2010. E será o primeiro quartel a que Siza Vieira dá forma.
Se o projecto consta, por isso, dos desafios do arquitecto? O próprio desmistifica a questão, em telegráfica resposta ao JN, via e-mail: "A atenção a prestar é idêntica à de qualquer tipo de edifício: programa e contexto. Como em qualquer projecto, existe um programa claro e regulamentação específica a cumprir", escreveu.
Com mais do triplo da área actual, a nova casa dos "Vermelhos", como é conhecida a corporação de Santo Tirso, será erguida num terreno de 3800 metros quadrados, pertencente à Quinta de Geão e cedido pela Autarquia (além de um subsídio de 200 mil euros).
Ficará na Rua do Arco, junto à Biblioteca Municipal e perto da EN 104, o que facilitará a mobilidade. Vai custar 1,1 milhões de euros, dos quais 70% estão assegurados por fundos do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN), e será "um quartel e mais qualquer coisa", sorri Joaquim Souto, comandante dos bombeiros, admitindo que a assinatura de Siza é "uma mais-valia".
O comandante dobra e desdobra a planta: "Aqui, vai ficar a sala de reuniões, ali o gabinete de comando, da direcção, a sala de formação, uma das camaratas…", desfia. O papel deixa-lhe nos olhos o rasto de um brilho tímido. "Em termos operacionais, está concebido de acordo com as necessidades actuais", orgulha-se. Que passam, entre outras, por mais camaratas e um espaço para a formação dos soldados da paz que é feita como se pode. "O que podemos fazer ao ar livre, aí vamos nós. Ou, então, é cá dentro".
Joaquim Souto convida a uma visita pelos 400 metros quadrados da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso, erguidos em 1934, por altura do 56º aniversário da instituição. Há o desafogado salão nobre, pintado de branco e rosa e que, com ténues reminiscências de Arte Déco (movimento artístico surgido em meados dos anos 1920), serviu, em tempos, para teatros, bailes e festas da sociedade tirsense. E a cantina, as pequenas salas de comunicações e o rés-do-chão, "que nem para metade das viaturas dá", informa Joaquim Souto, apontando para os cerca de 13 bólides milimetricamente arrumados e, depois, para a Praça Conde de S. Bento, onde outros tantos têm de ficar aparcados.
Um constrangimento que os 1400 metros quadrados do futuro edifício se encarregarão de resolver. As novas instalações, que deverão ficar prontas no final de 2010, trarão, ainda, duas novidades aos Voluntários de Santo Tirso: uma oficina - "para nós é bom, porque passamos a poupar muito dinheiro nos arranjos", aponta Joaquim Souto - e uma camarata feminina.
O comandante regressa à velha sede: "Aqui, não há. Temos bombeiras que gostariam de fazer serviço nocturno, mas não existem condições". E, de qualquer forma, o dormitório é, como tudo o resto, insuficiente. "Este ano, na altura do Verão, tínhamos 18 pessoas, no mínimo, a dormir por noite. O que é que a gente faz? Improvisa: pusemos uns beliches no espaço onde funciona o gabinete médico", conta Joaquim Souto.
JN

domingo, 25 de outubro de 2009

Ex-Bombeiros de Braga em Vigília Lembram Demissões

Nem a chuva que caiu na noite da passada sexta-feira demoveu os bombeiros demissionários de fazer uma vigília em frente ao quartel dos Bombeiros Voluntários de Braga.
Passados três anos, os cerca de 75 ‘ex-bombeiros’ quiseram lembrar a data e mostrar que “continua tudo na mesma”.
Fernando Gonçalves, um dos ‘ex-bombeiros’ presente na vigília, garantiu que não vão esquecer o que aconteceu. “Esta casa está cada vez pior.
As demissões são constantes e a cidade continua mal servida”, acusou Fernando Gonçalves, admitindo que “passados três anos, o comandante continua a ser prepotente e vale-se do estatuto para levar em frente um capricho”.
E lançou o desafio: “coloquem-nos frente a frente para mostrar à cidade quem tem razão.
Esta casa está sem alicerces. O comandante não sabe o que é ser bombeiro”.
Dezenas de ‘ex-bombeiros’ que participaram na vigília lamentaram o facto dos Voluntários “continuar em a ser dirigidos por um presidente e um comandante e não por uma direcção”.
Fernando Gonçalves lembrou, ainda, que apelaram à classe política para resolver a situação.
“Pediram-nos calma para manter o assunto na rectaguarda na altura das eleições, mas hoje não está cá nenhum deles”.
Não querendo falar do assunto, porque “seria dar importância aquilo que já não tem”, o comandante dos Voluntários de Braga acabou por garantir que as demissões “já deixaram de ser assunto da corporação”.
Contactado pelo ‘Correio do Minho’, António Cerqueira frisou, ainda, que “eles viraram as costas à cidade, por isso, está a hora de deixarem trabalhar quem quer”.
E sobre o trabalho, o comandante assegurou que os Voluntários têm sido a corporação “com mais serviços de emergência e com resposta no concelho e distrito”.
Por isso, António Cerqueira assegurou estar “satisfeito” com o trabalho realizado por “excelentes bombeiros”.
CM

Bombeiros de Penela São Pioneiros na Certificação de Serviços

Com o hastear da bandeira da certificação de qualidade ISO 9001:2008 nos Serviços de Transporte de Doentes e Administrativos, os Bombeiros Voluntários de Penela assumiram um compromisso: prestar ainda mais e melhores serviços à população.
O galardão foi ontem entregue pela APCER, Associação Portuguesa de Certificação, cujo representante não escondeu a satisfação por, pela primeira vez em Portugal, a instituição ter certificado uma corporação de bombeiros.
A APCER, afirmou Luís Fonseca, já certificou muitas entidades, mas esta é a «a primeira associação de bombeiros voluntários» a receber tal certificação. E por ser pioneira «é um cliente muito especial, porque trabalha para quem mais precisa», considerou o representante da APCER. Demonstra, afirmou ainda, «excelência no serviço à comunidade». Luís Fonseca reconheceu, de resto, o muito trabalho que os Bombeiros de Penela tiveram de desenvolver para a certificação dos serviços, pelo que, espera agora que sirvam de «exemplo» a outras corporações.
O segundo comandante António Lima foi o grande obreiro da certificação. Ontem, e por várias vezes, o seu nome foi destacado por ter sido o homem que nunca desistiu do processo e incentivou toda uma equipa a lutar. E foram, nada mais, nada menos, que «onze meses de trabalho, com 305 horas de formação e com várias acções», recordou o comandante Raul Vasconcelos, que destacou ainda o «grande investimento» por parte da corporação para o resultado final ontem obtido. Congratulando-se com o pioneirismo da corporação, o comandante disse, contudo, que o trabalho não terminou. «Vamos certificar outros processos, como por exemplo os incêndios florestais», adiantou.
Na mesma linha, o presidente da Câmara de Penela considerou que a certificação ontem entregue «não é um ponto de chegada». «É um ponto de partida que nos deixa a todos com mais responsabilidades ainda», afirmou Paulo Júlio, que felicitou a corporação pelo «arrojo» para estar «claramente à frente».
A certificação de acordo com a ISSO 9011 reconhece o esforço da corporação em assegurar a conformidade dos seus serviços, a satisfação dos seus clientes, liderança, envolvimento das pessoas e a melhoria contínua. A adopção de um correcto sistema de gestão de qualidade foi uma decisão estratégica e voluntária dos Bombeiros de Penela que permite dar mais um passo para atingir o seu objectivo: a excelência ao serviço da comunidade.
Apesar da sua “juventude”, com apenas 29 anos, a corporação presta variados serviços que vão muito além do socorro, transporte de doentes e combate a incêndios. Tem, a título de exemplo, um gabinete de apoio ao estudante, um clube do ambiente e um departamento de formação interna e externa. Agora conquistou a certificação de qualidade ISO 9001:2008 nos Serviços de Transporte de Doentes e Administrativos. «Estamos melhor preparados para os desafios do futuro», reconheceu o presidente da direcção.
Diário de Coimbra

sábado, 24 de outubro de 2009

Helicóptero Avariado ao Tentar Evacuação Médica em Vila Velha de Ródão

Um dos helicópteros ao serviço da Protecção Civil teve uma avaria sexta-feira à noite, quando se preparava para efectuar uma evacuação médica em Vila Velha de Ródão, disse à Lusa fonte da Autoridade Nacional.
Segundo a fonte, o helicóptero Kamov deslocou-se a Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco, ao local de um acidente na A23, para efectuar o transporte de uma mulher que ficou ferida.
Antes de descolar novamente, foi «detectada uma avaria» no aparelho e chamado um helicóptero ao serviço do Instituto Nacional de Emergência Médica, que também não conseguiu actuar devido às más condições meteorológicas, referiu, acrescentando que a mulher ferida acabou por ficar no hospital de Castelo Branco.
Sem indicar a natureza e origem da avaria, a fonte referiu que ainda não foi reparada, mas que está operacional um aparelho de substituição.
Lusa / SOL

Movimento De Cidadãos do Concelho do Sabugal Descontente

Movimento de Cidadãos Naturais e residentes nas Freguesias do Concelho do Sabugal
Assunto: Descontentamento social, relativamente à prestação das Instituições Públicas no combate ao Incêndio ocorrido entre 30 de Agosto de 2009 e 02 de Setembro de 2009, no Concelho do Sabugal.
Saiba mais em:

EIP Vem Reforçar Bombeiros da Trofa

video

Notícias da Trofa

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Bombeiros Testam Socorro Aéreo no Teleférico

Duas corporações de bombeiros – Bombeiros Voluntários Madeirenses e “Voluntários de Câmara de Lobos” – realizaram ontem uma operação de resgate em altura no teleférico que liga o centro do Funchal ao Monte no âmbito do Plano Anual de Segurança daquela infraestrutura da empresa Teleféricos da Madeira, SA.
A operação, envolvendo bombeiros da área de socorro e resgate em montanha, foi desenvolvida em várias cabinas do teleférico, entre a zona da Tabaiba e a Pena, visando socorrer as pessoas que ficaram retidas numa eventual avaria no decurso do transporte aéreo por meio de cabos que ligam partes distintas da cidade numa viagem de sensivelmente 15 minutos.
Os trabalhos dos bombeiros decorreram já ao final do dia com os bombeiros a subirem as torres e fazerem-se deslizar nos cabos até as cabinas onde se encontravam as supostas vítimas, procedendo ao respectivo resgate para terra.
Uma operação que tem também como objectivo testar a operacionalidade dos bombeiros de forma a conhecerem bem de perto as contingências num socorro do género.
O Teleférico está a funcionar desde 2000 com uma estação do Funchal implantada no Campo Almirante Reis e a do Monte no Largo das Babosas, tendo um total de 39 cabinas de 7 lugares cada, oferecendo aos utentes desfrutar de paisagens aéreas em todo o Funchal.
Jornal da Madeira

Sucesso Leva à Repetição do Curso de Bombeiro em Óbidos

Depois do sucesso alcançado com o primeiro curso de educação e formação de bombeiro, o corpo de Bombeiros de Óbidos em parceria com o agrupamento de escolas Josefa de Óbidos, repete a iniciativa.
Composto por 14 alunos (13 rapazes e uma rapariga) dos concelhos de Óbidos, Caldas da Rainha, Bombarral e Peniche, são os novos "candidatos" a bombeiro, ao mesmo tempo que concluem o 9º ano de escolaridade.
Este segundo curso tem ainda a particularidade de possuir três alunos que já pertencem a outros corpos de bombeiros (dois do Bombarral e um das Caldas da Rainha).
O primeiro curso começou em Outubro de 2007, a partir de uma ideia do comando dos Bombeiros Voluntários de Óbidos que pretendia assim atrair mais jovens para a corporação e aumentar o efectivo.
Gazeta das Caldas

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Rui Pereira na Administração Interna é Continuação de "Trabalho Corajoso"

O presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, reagiu hoje "com satisfação" à recondução de Rui Pereira como ministro da Administração Interna, afirmando que significa a continuação de um "trabalho corajoso".
Contactado pela agência Lusa, Fernando Curto salientou que a manutenção de Rui Pereira na pasta é "uma mais-valia" para o sector da Protecção Civil e dos bombeiros e "deverá significar o fortalecimento de um trabalho que vai ser ainda mais valorizado".
O presidente da ANBP elogiou o trabalho "corajoso" no anterior mandato, quer do ministro, quer do secretário de Estado da Protecção Civil, José Miguel Medeiros, na "reestruturação dos corpos de bombeiros voluntários e no fortalecimento do sector profissional".
O primeiro-ministro, José Sócrates, apresentou hoje ao Presidente da República, Cavaco Silva, a lista dos ministros propostos para o novo Governo, em que Rui Pereira é reconduzido como ministro da Administração Interna.
Negócios online

Bombeiros de Penela Certificam Serviços de Transportes de Doentes

Ao receber o Certificado de Qualidade nos Serviços de Transportes de Doentes e Administrativos, os Bombeiros Voluntários de Penela tornam-se na primeira corporação do país a ser certificada.
Os Bombeiros Voluntários de Penela recebem no sábado, 24 de Outubro, pelas 15 horas, a Certificação de Qualidade ISO 9001:2008 nos Serviços de Transporte de Doentes e Administrativos.
A Certificação de acordo com a ISO 9001 reconhece o esforço da organização em assegurar a conformidade dos seus serviços, a satisfação dos seus clientes, liderança, envolvimento das pessoas e a melhoria contínua. Através do sistema de gestão e da sua certificação, a produtividade das organizações é reforçada pela reorganização dos processos, passando a existir uma maior transparência das suas actividades.
“A adopção de um correcto Sistema de Gestão da Qualidade foi uma decisão estratégica e voluntária, dos Bombeiros de Penela, que permite dar mais um passo para atingir o seu objectivo principal: serem uma corporação de excelência ao serviço da comunidade”, refere fonte da corporação, acrescentando que “com o alcance deste objectivo, os Bombeiros Voluntários de Penela, tornam-se a primeira corporação de bombeiros, a nível Nacional, certificada pela APCER segundo a norma NP EN ISO 9001:20082”.
Os Bombeiros Voluntários de Penela têm 29 anos de existência, ao longos dos quais foram crescendo e fazendo crescer muitas pessoas e até mesmo famílias daquele concelho, salvando a floresta e prestando assistência e transportando doentes. Nestes últimos anos têm-se distinguido no concelho de Penela, no distrito e até mesmo a nível nacional por várias actividades que vão muito além da protecção civil, nomeadamente através do Clube do Ambiente, do Departamento de Formação e do Gabinete de Apoio ao Estudante.
O Clube do Ambiente foi criado em Janeiro de 2007. De uma forma sucinta, trata-se de uma equipa constituída por jovens bombeiros, críticos e interventivos, que conscientes da necessidade da preservação do ambiente, colocaram mãos à obra, implementado no quartel a política dos 4R's (reduzir, reutilizar, restaurar, reciclar), tendo como princípio base o consumo sustentável. O Clube, com o seu dinamismo avançou com novos projectos, sendo exemplo disso as parcerias e protocolos estabelecidos com diversas entidades.
Por sua vez, o Departamento de Formação, surgiu da necessidade de uma formação contínua dos seus voluntários. “No entanto, com a evolução dos mercados as empresas sentiram a exigência de formarem os seus trabalhadores e com esta o pedido aos Bombeiros por formação. Assim, com estas solicitações houve a necessidade de desenvolver uma estrutura sólida que assegurasse esta formação surgindo o Núcleo de Formação Externa”, refere fonte da corporação.
O Departamento de Formação dos BVP tem uma equipa multidisciplinar com o propósito de reunir conhecimentos e organizar uma estrutura de formação contínua suportando formadores profissionais e um público que procura desenvolver e validar competências.
Já quanto ao Gabinete de Apoio ao Estudante dos BVP, também designado por GAE, o mesmo surgiu no seio dos Bombeiros de Penela com o objectivo de auxiliar os estudantes bombeiros cada vez em maior número. Com o aumento de estudantes no concelho de Penela e tendo em vista a missão de auxiliar na formação da sociedade penelense, as portas do GAE foram abertas a todos aqueles que sentem necessidade de ter mais apoio na sua vida escolar tão importante nos dias que correm.
O Gabinete de Apoio ao Estudante tem como principal objectivo contribuir de forma decisiva para a formação e o sucesso académico dos que nos procuram, concentrando o nosso trabalho no complemento escolar, na organização disciplinada e rigorosa do estudo, na superação de lacunas e no aprofundamento das diferentes dimensões do saber. Apesar destas linhas orientadoras, procuramos também dirigirmo-nos às diferentes faixas etárias num conjunto de vertentes que vão para além das explicações.
Notícias do Centro

Passeio Pedestre na Gardunha

O Grupo de São Vicente da Beira dos Bombeiros Voluntários de Castelo Branco vão organizar, dia 15 de Novembro, um passeio pedestre pela Serra da Gardunha, um percurso de 14 quilómetros, de dificuldade média.
Esta iniciativa, que conta com o apoio da Junta de Freguesia e do GEGA, começa às 8H00, com a concentração dos participantes, no quartel dos bombeiros, para às 8H30 tomarem o pequeno-almoço, pois o passeio tem início às 9H00, prevendo-se que termine pelas 13H00, ao qual se segue o almoço convívio entre todos, seguido de uma visita ao museu.
As inscrições devem ser feitas até dia 7 de Setembro, para os números 963 269 688, 922 022 670, 937 901 113 e 926 438 561, custando 10 euros por pessoa, valor que inclui o almoço.
Se as condições meteorológicas não o permitirem, o passeio será adiado para data a definir.
Jorgal Reconquista

Alerta Amarelo: Vem Aí Mais Chuva e Ventos Fortes

Chuvas por vezes forte e vento com rajadas que podem atingir os 110 quilómetros por hora nas terras altas e agitação marítima na Costa Ocidental que pode atingir os seis metros.
É este o diagnóstico do Instituto de Meteorologia para a tarde e noite desta quarta e madrugada de quinta-feira. Algo que levou a Autoridade Nacional de Protecção Civil a estabelecer um “alerta amarelo” em todos os distritos do Continente desde as 15h00 desta quarta-feira até às 12h00 de amanhã.
“Neste nível de alerta os eventos previstos não sendo invulgares, podem ser perigosos. As pessoas devem manter-se informadas sobre o evoluir da situação prevista e não correr perigos desnecessários.
Devem adoptar medidas de prevenção e auto protecção e adequar os comportamentos à situação”, diz a Protecção Civil em comunicado.
Por isso mesmo, será reforçado o dispositivo de protecção civil e socorro e intensificadas as actividades de monitorização e vigilância da situação.
ACIDENTES E CHEIAS RÁPIDAS: ATENÇÃO
A Autoridade Nacional de Protecção Civil recomenda a tomada de medidas de precaução, relativamente ao possível aumento do número de acidentes de viação, “devido à existência de piso escorregadio e eventual formação de lençóis de água ou ao arrastamento de materiais sólidos para a via”.
Atenção ainda para inundações por transbordo, em linhas de água de regime torrencial ou não dominadas por albufeiras, possibilidade de cheias rápidas nas cidades, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem e danos em estruturas montadas ou suspensas.
CM

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

O Último Adeus do Comandante Vítor Cunha

DIRECÇÃO DOS BOMBEIROS SÓ AGORA ACEITOU PEDIDO DE DEMISSÃO

Desde meados de Julho que era conhecida a vontade de Vítor Cunha em abandonar o Comando dos Bombeiros de Penamacor.
O comandante dos Bombeiros Voluntários de Penamacor, Vítor Cunha, deixa de ocupar este cargo a partir de amanhã. Dia 15, altura em que terminou a terceira fase de combate a incêndios florestais, denominada por fase Delta, uma época que envolve menos meios do dispositivo especial de combate aos incêndios florestais.
Vítor Cunha tinha já, em plena época de combate a incêndios florestais, mostrado a sua intenção de abandonar o cargo, tendo esta intenção sido negada pela Direcção dos Bombeiros Voluntários de Penamacor, dada a altura de risco de incêndios que se fazia sentir.
Recorde-se que na altura, Vítor Cunha teria dado a conhecer esta sua vontade através de mensagens via telemóvel. Vontade que teve que ser adiada até agora.
"Claro que seria um transtorno muito grande para o Comando se, em plena época de incêndios, o comandante abandonasse o barco, por isso chegámos ao acordo de ele (Vítor Cunha) ficar até ao final da terceira fase de combate a incêndios", avançou à Gazeta Porfírio Saraiva, presidente da Direcção dos Bombeiros Voluntários de Penamacor.
"Motivos pessoais" foi a justificação dada por Vítor Cunha, sendo que a carta de pedido de demissão já foi recepcionada pela Direcção dos Bombeiros. "Já recebemos a carta com o pedido de demissão. E vamos aceitar esse pedido a partir do dia 15, ou seja, no fim da fase Delta", afirmou Porfírio Saraiva.

Gazeta do Interior

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Turista Morre Após Ser Colhido Por Onda

Um homem de 55 anos, de nacionalidade estrangeira, morreu esta terça-feira, na ilha do Pico, Açores, após ter sido colhido por uma onda.
A informação é avançada pela agência Lusa que cita o comandante dos bombeiros voluntários da Madalena do Pico, Manuel Furtado.
Eram cerca das 15h30 quando os bombeiros deram o alerta à Polícia Marítima, que já tinha conhecimento do incidente e estava já a accionar os meios para tentar resgatar o homem.
A vítima estava acompanhada pela mulher e um casal amigo na zona de Porto Cachorro.
Nesta área, mesmo quando o tempo está bom, a ondulação é habitualmente «muito forte e o mar é muito profundo», factores que dificultaram o resgate do corpo, já concretizado.
IOL

Chuva Intensa Provoca Inundações na Marinha Grande

Precipitação forte e repentina num espaço curto de tempo provocou hoje várias inundações em caves e estradas no concelho da Marinha Grande, informou Eunice Marques, delegada municipal da Protecção Civil.
«Entre as 6:00 e as 8:00 registou-se um pico de precipitação de grande intensidade contínua, que provocou algumas inundações urbanas», revelou Eunice Marques.
Segundo a delegada da Protecção Civil, o túnel da fábrica Santos Barosa ficou inundado, o que obrigou à intervenção dos Bombeiros Voluntários da Marinha Grande a fim de retirarem um veículo que «ficou atolado». A estrada estará cortada até à retirada total da água, o que tem estado a ser efectuado.
«A estrada da Garcia também foi cortada devido aos lençóis de água que se verificaram», acrescentou Eunice Marques, indicando que «o pessoal da Protecção Civil está todo na rua a regularizar as situações».
«Temos tido muitas chamadas de pedidos de ajuda devido a inundações de caves. São situações normais de quando chove com intensidade e de repente», esclareceu a responsável.
DDigital

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Conselhos da Protecção Civil no Regresso da Chuva

No dia em que se prevê o regresso da chuva a Portugal continental, a Protecção Civil lembra alguns cuidados a ter para evitar ou atenuar os efeitos das cheias e dos deslizamentos de terras.
Para esta segunda-feira é esperada chuva no Norte de Portugal continental, que deverá cair em todo o território a partir de terça-feira.
Para quarta-feira, o Instituto de Meteorologia prevê aguaceiros fortes, que poderão ser de neve nos pontos mais altos da Serra da Estrela.
Com o início do período anual de chuvas (ano hidrológico 2009/2010), a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) vem recomendar aos cidadãos e serviços municipais medidas de precaução relativamente a inundações em zonas urbanas, cheias motivadas pelo transbordo do leito de alguns rios e instabilização de taludes ou deslizamento de terras.
De acordo com a ANPC, «todos estes cenários podem ser prevenidos se, atempadamente, forem tomadas medidas que anulem ou minimizem os seus efeitos».
Quanto às inundações em zonas urbanas, a ANPC recomenda aos serviços municipais de protecção civil a limpeza e desobstrução de sumidouros, valetas e outros canais de drenagem, removendo folhas caídas das árvores, areias e pedras.
«Cada cidadão deve também tomar uma atitude pró-activa, nomeadamente assegurando a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas pluviais dos quintais ou varandas e a limpeza de bueiros, algerozes e caleiras dos telhados de habitações», refere.
Para evitar ou minimizar as cheias motivas pelo transbordo de ribeiras, a Autoridade Nacional apela à desobstrução e limpeza das linhas de água e verificação de eventuais situações de desmoronamento das margens, entre outros cuidados.
A ANPC chama ainda a atenção para a possibilidade de a precipitação aumentar a instabilidade de solos e rochas em taludes.
«O aumento da instabilidade de vertentes em especial junto de aglomerados populacionais, vias rodoviárias e ferroviárias, deve ser observado como medida preventiva de acidentes de deslizamento de terrenos e de derrocadas», nota.
A ANPC recomenda que sempre que as «observações» suscitem dúvidas, sejam comunicadas aos serviços municipais de protecção civil.
Na abertura de mais um ano hidrológico, a ANPC recomenda que todos os «municípios garantam uma vigilância mais apertada no que concerne à urbanização do espaço territorial sob a sua jurisdição».
Apela também para que os Serviços Municipais de Protecção Civil verifiquem e actualizem os respectivos Planos Municipais de Emergência, designadamente os inventários de meios e recursos e as respectivas listas de contactos.
No passado dia 07, a chuva e o vento causaram inundações e outros estragos em vários locais de Portugal continental, nomeadamente em Évora, Beja, Guarda, Ferreira do Zêzere e Viseu.
Quatro pessoas ficaram desalojadas em Ferreira do Zêzere e um homem morreu no concelho de Resende, distrito de Viseu, na sequência de um deslizamento de terras.
A zona de Ferreira do Zêzere foi afectada nesse dia pela passagem de um tornado.
IOL

França Deu Auto-Escada aos Bombeiros de Paredes de Coura

Os Bombeiros Voluntários de Paredes de Coura receberam, sábado, uma auto-escada com 24 metros de altura, oferecida pelo município francês de Cenon, Bordéus, ao abrigo do protocolo de geminação entre as duas localidades, informou esta quinta-feira fonte camarária.
Esta é já a quinta viatura oferecida aos bombeiros de Paredes de Coura pelo município de Cenon, informou o presidente da Câmara. Em Julho de 2008, os bombeiros de Paredes de Coura já tinham sido contemplados com dois auto-tanques e com duas ambulâncias, pelas quais pagaram, simbolicamente, um euro.
A auto-escada chegou quinta-feira a Paredes de Coura. Alguns bombeiros de Cenon vêm também a Portugal para ensinar os bombeiros daquele município o trabalhar com a viatura.
«É uma viatura que os nossos bombeiros não tinham e que fazia falta. Agora, já temos uma auto-escada com capacidade para acudir aos prédios mais altos do concelho», acrescentou o autarca.
Pereira Júnior explica que as viaturas oferecidas por Cenon têm «poucos anos de utilização».
«O que acontece é que a legislação em França obriga a que as viaturas dos bombeiros sejam substituídas com uma periodicidade reduzida, penso que de cinco em cinco anos. E o autarca de Cenon, em vez de as vender ou dar à troca, decidiu oferecê-las a Paredes de Coura e nós aceitamo-las com muito gosto, porque ainda nos servem muito bem», justificou.
IOL

Mulher de 23 Anos Detida por Atear Fogo em Prédio de Belas

A Polícia Judiciária anunciou hoje a detenção de uma mulher de 23 anos por suspeita da autoria de um incêndio numa habitação na zona de Belas, Sintra, «por motivos fúteis e vingança pessoal».
A Directoria de Lisboa da PJ adianta que o incêndio «ocorreu na tarde de sábado passado, atingindo e pondo em perigo várias fracções de uma habitação de um bloco devoluto, pertença da Câmara Municipal de Sintra, mas que era habitado clandestinamente por várias pessoas».
A mulher, solteira, sem profissão e desempregada, terá usado um isqueiro para deitar fogo à roupa pessoal de algumas pessoas ali residentes, para provocar o incêndio.
A detida vai ser ouvida hoje em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Sintra, para aplicação de medidas de coacção.
Lusa / SOL

sábado, 17 de outubro de 2009

Fauna: Dinamarca Envergonha os Humanos

Clique nas fotos para ampliar


Textes dans des idiomes : Portugais, Français et Anglais
Texts in languages: Portuguese, French and English
O mar tinge-se de vermelho, entretanto não é devido aos efeitos climáticos da natureza mas sim, deve-se à crueldade com que os seres humanos (ser civilizado) matam centenas dos famosos e inteligentíssimos Golfinhos Calderon.

Isso acontece ano após ano na Ilha Feroe na Dinamarca. Deste massacre participam principalmente jovens e Porquê, para demonstrar que estes mesmos jovens já chegaram a uma idade adulta, estão maduros.

Em tal celebração, nada falta para a diversão, TODOS PARTICIPAM DE UMA MANEIRA OU DE OUTRA, matando ou vendo a crueldade "apoiando-a como espectadores".

Cabe mencionar que o Golfinho Calderon, como quase todas as outras espécies de golfinhos, se aproxima do homem unicamente para interagir e brincar em gesto de pura amizade.

Eles não morrem instantaneamente, são cortados uma ou duas vezes com ganchos grossos. Nesse momento os golfinhos produzem um som estridente bem-parecido ao choro de um recém-nascido.

Mas sofre e não há compaixão, este ser dócil sangra lentamente com feridas enormes até perder a consciência e morrer no seu próprio sangue.

Finalmente estes heróis da ilha, agora são adultos racionais e direitos, já demonstraram sua maturidade e valentia.

Basta, vamos dar conhecimento deste acontecimento até que o mesmo chegue a alguma Associação de Defesa dos Animais. Não nos tornemos somente ESPECTADORES destas imagens selvagens, vamos cuidar das Florestas, dos Animais, vamos cuidar do Mundo pois ele é a nossa Casa, sem esquecermos que ela NÃO É SÓ NOSSA!
Français
La mer se teint de rouge, n'est néanmoins pas dû aux effets climatiques de la nature mais, se doit à la cruauté avec laquelle les êtres humains (être civilisé) tuent des centaines des célébrités et des très intelligents Dauphins Calderon.

Cela arrive année après année à l'Île Feroe au Danemark. De ce massacre participent principalement des jeunes et Raison, pour démontrer que ces mêmes jeunes déjà sont arrivés à un âge adulte, sont mûre.

Dans telle célébration, rien il ne manque pas pour le divertissement, TOUS PARTICIPENT d'une MANIÈRE OU de D'AUTRE, en tuant ou vends la cruauté "en la soutenant comme spectateurs".

Il contient mentionner que le Dauphin Calderon, comme presque toutes les autres espèces de dauphins, s'approche de l'homme seulement pour jouer dans geste de pure amitié. Ils ne meurent pas instantanément, sont coupés un ou deux fois avec des crochets épais.

Au ce moment les dauphins produisent un son strident semblable à le pleure d'un nouveau-né. Mais il souffre et il n'y a pas compassion, cet être docile saigne lentement avec des blessés énormes jusqu'perdre à la conscience et mourir dans son propre sang.

Finalement ces héros de l'île, maintenant sont d'adultes rationnels et droits, ils déjà ont démontré à sa maturité et vaillance. Il suffit, allons donner connaissance de cet événement jusqu'à ce que le même arrive à quelque Association de Défense des Animaux.

Dans eux ne rendez pas seulement de SPECTATEURS de ces images sauvage, allons soigner des Forêts, des Animaux, allons soigner du Monde donc il est notre Maison, sans oublier qu'elle N'EST PAS SEULE NÔTRE !

English
The sea is dyed red, does however not have to the climatic effect of the nature but yes, it must the cruelty with that the human beings (to be civilized) kill hundreds of the celebrities and intelligent Calderon Dolphins. This after happens year in the Feroe Island in the Denmark.

Of this slaughter they participate mainly young to e Reason, to demonstrate that these same young already had arrived at an adult age, are mature. In such celebration, nothing it lacks for the diversion, ALL PARTICIPATE IN a WAY OR ANOTHER ONE, killing or seeing the cruelty “supporting it as spectators".

It fits to mention that the Calderon Dolphin, as almost all the other species of dolphins, if approaches to the man to interact and to play solely in gesture of pure friendship. They do not die instantaneously, are cut one or two times with thick hooks.

At this moment the dolphins produce a sound strident similar cry to it of one just-been born. But it suffers and it does not have compassion, this docile being bleeds slowly with enormous wounds until losing the conscience and dying in its proper blood.

Finally these heroes of the island now are adult right rationales and, already they had demonstrated to its maturity. It is enough, we go to give knowledge of this event until the same it arrives at some Association of Defense of the Animals.

In them let us not only become SPECTATORS of these wild images, we go to take care of of the Forests, of the Animals, we go to take care of the World therefore it is our House, without forgetting that it IS NOT ALONE OURS!
Mensagem e fotografias enviadas via e-mail por: Andreia Cunha (09/10/2009), Rose Giunta (09/10/2009), António Manuel Alves (11/10/2009), Mariana Dinis (13/10/2009), Pinky-hotmail (13/10/2009), Victor P. (13/10/2009), João António Costa (14/10/2009), Romeu Neves (16/10/2009) e Pedro Cerqueira (16/10/2009).
Por nos ser pedido por diversos leitores, a mensagem hoje publicada seguirá para diversas instituições de defesa dos animais nacionais e internacionais em diversos idiomas.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Redução de Efectivo Preocupa Bombeiros

Apesar de as temperaturas continuarem, a meio de Outubro, próximo dos 30 graus, desde a meia-noite de hoje que o dispositivo de combate a incêndios florestais foi reduzido drasticamente.
Tal como previsto na Directiva Operacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), dos 5441 elementos até agora afectos ao combate a incêndios passam a estar mobilizados apenas 1497.
Isto num ano em que a área ardida cresceu seis vezes face a 2008 e o número de ocorrências duplicou. Aliás, dados da ANPC revelam que o número de incêndios aumentou sistematicamente nos últimos nove dias, tendo sido registados, anteontem, 82 fogos que mobilizaram 715 bombeiros e 185 viaturas.
O CM sabe que a situação está a ser reavaliada pela ANPC e hoje poderá haver alterações no contingente mobilizado. Ontem, depois de receber as previsões meteorológicas para os próximos dias, o organismo responsável pela coordenação de todos os meios disponíveis elevou o nível de alerta para amarelo - o segundo numa escala de cinco - até domingo. A medida obriga a um estado de prontidão mais imediato a todos os elementos.
A redução do efectivo está até a ser criticada por vários comandantes de corpos de bombeiros, como é o caso dos Voluntários de Terras de Bouro, junto ao Parque Nacional da Peneda Gerês, um dos mais afectados pelos incêndios este Verão. A distância a que se encontram os meios permanentes mais próximos é a principal preocupação.
O Ministério da Administração Interna, contactado pelo CM, esclareceu que a decisão de voltar a mobilizar parte do dispositivo da fase Delta é da responsabilidade da ANPC.
O presidente da Liga dos Bombeiros, Duarte Caldeira, defende que "o dispositivo existente é suficiente" e que a situação meteorológica "não é normal, mas não é nova".
PORMENORES
91 PIRÓMANOS DETIDOS - A Polícia Judiciária deteve, desde o início do ano até 14 de Outubro, 91 pessoas por fogo posto, o triplo do verificado em 2008.
ÁREA ARDIDA - Desde o início do ano já arderam 77 131 hectares de floresta em 22 303 incêndios.
MEIOS DISPONÍVEIS
FASE DELTA - (terminou ontem) 5441 elementos, 1247 viaturas, 15 helicópteros, 2 aerobombardeiros pesados + corpos de bombeiros
FASE ECHO - GIPS/GNR - 638 elementos e 102 viaturas; FEB - 259 elementos e 35 veículos; 600 - EIP dos CB's.
TOTAL: 1497 elementos, 137 viaturas, 2 helicópteros + corpos de bombeiros
DISCURSO DIRECTO
"ESTAMOS SEM MEIOS PARA COMBATER INCÊNDIOS", José Dias, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Terras de Bouro.
Correio da Manhã - As Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) encerraram funções, ontem, em Terras de Bouro. Está preocupado com esta situação?
José Dias - Claro que estou preocupado, porque neste momento encontramo-nos numa situação adversa, com uma vaga de calor que não sei quando vai acabar. E sem as ECIN não há meios locais para uma primeira intervenção a um foco de incêndio. Os GIPS [Grupo de Intervenção de Prevenção e Socorro] e os Canarinhos estão demasiado distantes para uma primeira intervenção.
- Como funcionam as ECIN?
- As ECIN são equipas de cinco elementos que estão 24 horas de serviço e intervêm logo no primeiro minuto em que somos alertados para um incêndio. Existem durante os três meses de Verão, que é a época que as entidades consideram mais crítica. Esporadicamente, são prolongados mais 15 dias.
- Acha então que a contratação das ECIN devia ser menos rígida em termos de calendário?
- Sim, porque se estamos numa situação adversa estes meios deviam ser conservados.
- Essa falta de meios poderá pôr em risco o Parque Nacional da Peneda Gerês?
- Pode. Não só o Parque Nacional como outra área qualquer, porque vamos ter uma acção retardada. Apesar de os meios aéreos e os GIPS continuarem disponíveis, a experiência diz-me que isso não é suficiente. São precisos meios terrestres para complementar o combate aéreo. Neste momento não há meios humanos suficientes, porque os voluntários nem sempre estão disponíveis.
- Que medidas deviam ser adoptadas pela Autoridade Nacional da Protecção Civil neste caso?
- Respeito as competências dos meus superiores e não me cabe a mim fazer essas considerações, apenas exprimo as preocupações e as dificuldades que encontro no combate aos fogos.
CM

Vento Forte Dificulta Combate às Chamas no Concelho de Gouveia

O vento forte que se faz sentir no concelho de Gouveia, Guarda, está a dificultar o combate aos incêndios em Figueiró da Serra e Nabais, adiantou à agência Lusa fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS).
O fogo em Figueiró da Serra teve início às 20:43 de quinta-feira, e continuava hoje de manhã a destruir uma zona de mato, mantendo uma frente activa.
Em Nabais, o fogo está activo numa zona de mato desde as 22:46 de quinta-feira, mantendo uma frente activa em zona de mato.
Por outro lado e de acordo com as previsões do Instituto de Meteorologia, o Norte de Portugal está hoje em alerta quanto ao risco de fogos.
Vários concelhos dos distritos de Braga, Bragança, Porto, Aveiro, Viseu, Coimbra, Leiria, Santarém, Portalegre e Castelo Branco correm hoje um risco máximo de incêndio.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Fase Delta dos Incêndios Termina Hoje, Meios de Combate Reduzidos a Partir de Sexta-feira

A fase Delta de combate a incêndios florestais termina hoje, pelo que a partir de sexta-feira os meios no terreno vão ser reduzidos, segundo a Directiva Operacional Nacional.
Na fase Delta do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF), accionada entre 01 e 15 de Outubro, estiveram operacionais cerca de 5400 elementos, 1200 veículos e 19 meios aéreos.
A partir de sexta-feira, com a entrada em vigor da fase Echo, os meios operacionais de combate a incêndios vão ser reduzidos, sendo apenas reforçados em caso de necessidade. Segundo a DECIF, integram a fase Echo, que se prolonga até 31 de Dezembro, as "forças de empenhamento permanente" e dois helicópteros.
De acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), os agentes no terreno para os próximos dois meses e meio são os meios disponíveis nos corpos dos bombeiros, além de fazerem parte das forças de empenhamento permanente o Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR, a Força Especial de Bombeiros Canarinhos e Equipas de Intervenção Permanente.
Em caso de necessidade, e durante a fase Echo, os meios aéreos podem ser reforçados até um máximo de sete e as forças terrestres até ao máximo indicado para a fase Delta (5441 elementos e 1247 veículos).
Cerca de 77 mil hectares de floresta e mato arderam até 30 de Setembro, seis vezes mais do que a área ardida no mesmo período de 2008, um aumento que a Protecção Civil atribui essencialmente a factores humanos.
Segundo o Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais, Portugal foi o terceiro país da União Europeia mais fustigado pelos incêndios florestais em 2009, a seguir à Espanha e à Itália.
Lusa / Público

PJ Deteve 91 Pessoas por Fogo Posto Desde o Início do Ano

O número de pessoas presas por fogo posto mais do que triplicou em relação ao ano passado, atingindo um total de 91 detidos, segundo dados fornecidos pela Polícia Judiciária (PJ).
Até ao dia 14 de Outubro, de acordo com o Gabinete Permanente de Acompanhamento e Apoio aos Fogos (GPAA) da PJ, foram detidas 45 pessoas por incêndio florestal e 46 por fogos urbanos. Em 2008, durante o mesmo período, tinham sido detidas 27 pessoas (10 por incêndio florestal e 17 por fogos urbanos).
A PJ registou igualmente uma subida das ocorrências de incêndios florestais de origem suspeita (de 2038 para 2734), bem como do número de inquéritos abertos (de 1086 para 1647)."Os dados deste ano, por serem muito gravosos, carecem de um estudo mais detalhado para percebermos o que justifica este elevado número de detenções", declarou à Lusa. Duarte Caldeira sublinhou que "é preciso saber qual o móbil do crime" e acrescentou que o aumento comprova também a eficácia das forças policiais.
A relevância dos factores humanos no aumento da área ardida este ano (seis vezes mais do que no ano passado) já foi evidenciada pelos responsáveis da protecção civil.
Num balanço sobre os incêndios florestais ocorridos até 30 de Setembro, o comandante operacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), Gil Martins, destacou a elevada percentagem de fogos (40 por cento) que começaram durante a noite, em Agosto e Setembro.A negligência foi o principal factor humano associado aos fogos (41 por cento), seguindo-se os incêndios intencionais (28 por cento).
Do número total de detidos este ano, 21 ficaram em prisão preventiva, 15 dos quais por fogos florestais, indicou a PJ.
As Directorias do Norte e do Centro da PJ foram responsáveis pelo maior número de detenções no que respeita aos incêndios em florestas (15 e 12, respectivamente). Quanto aos fogos urbanos, a maior parte das detenções foram feitas pelas Directorias de Lisboa e Vale do Tejo (21) e do Norte.
Público

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

PJ Detem Indivíduo por Incêndio e Posse de Armas em Ovar

Um jovem, de 22 anos, foi detido esta quarta-feira pela Polícia Judiciária (PJ), por suspeita de crime de incêndio e posse de armas proibidas.
O indivíduo, após ter sido surpreendido e perseguido por estar a fotografar uma mulher a prostituir-se na zona de Ovar, num quadro de vingança, ateou fogo à viatura da mulher, causando a sua destruição e colocando em risco a mancha florestal envolvente.
No decurso da investigação foi apreendido, na posse do jovem, um arsenal de armas e munições, das quais se destacam carabinas de longo alcance equipadas com mira telescópica ou com silenciador e uma espingarda ‘shot-gun’ com coronha retráctil.
O detido vai agora ser presente à comarca do Baixo Vouga para aplicação das medidas de coacção.
CM

Em Três Anos, Sete Bebés Nasceram em Ambulâncias

Metade das corporações de bombeiros do distrito de Bragança já foram "parteiras", nos últimos três anos de, pelo menos, sete bebés nascidos em ambulâncias, com o IP4 a predominar como local de nascimento entre as estradas da região.
De acordo com dados obtidos hoje pela Lusa junto dos bombeiros, metade das 14 corporações do Nordeste Transmontano já tiveram a experiência de um parto na estrada, desde o encerramento da Maternidade de Mirandela, em Setembro de 2006.
O ano de 2009 soma já três partos em ambulâncias, dois do quais em apenas uma semana.
DN

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Exército Ajudou a Combater uma Centena de Incêndios

As Forças Armadas estão mais empenhadas na luta contra os incêndios.
O DN visitou bases e centros de operações de Viseu e mediu o pulso às acções antifogos dos militares, acordadas com DG dos Recursos Florestais. "Até 2006, os fogos no concelho de Oliveira de Frades tinham em média 10 hectares de área ardida, mas desde que o Exército começou a patrulhar as nossas matas a média passou a ser de três hectares".
A afirmação é do responsável do Gabinete Florestal de Oliveira de Frades, um dos vinte onde militares do Exército patrulham em permanência as matas. Desde 1975 que o Exército participa na prevenção e combate aos fogos florestais quer em acções de vigilância quer de combate.
Só este ano os militares estiveram envolvidos em 103 ocorrências, muitas das quais durante vários dias como sucedeu no Sabugal. Se para o combate os militares saem dos regimentos na vigilância o Exército dispõe de 20 "bases" distribuídas pelo país onde uma guarnição de 6 homens está em permanência.
Em Viseu há duas bases nos perímetros florestais do Crasto e de Oliveira de Frades.
Os militares desenvolvem o seu trabalho no âmbito do protocolo realizado entre o Exército e a Direcção Geral de Recursos Florestais.
As duas equipas são constituídas por "6 homens que desenvolvem trabalhos de vigilância móvel, combate ao fogo em primeira intervenção e sensibilização junto das populações" conta Santos Pereira que comanda a base do Crasto onde os militares "ocuparam" uma antiga casa da Guarda Florestal.
Aqui há um jipe, um autotanque e "muito patrulhamento".
Esta equipa "tem uma ligação rádio com a protecção civil e patrulha várias freguesias", esclarece o graduado. No terreno "sensibilizamos os visitantes da floresta, a população e alertamos para o perigo das queimadas".
Um perigo que espreita "quase sempre depois de dias de chuva ou com céu nublado". 24 Horas por dia esta patrulha guarnece uma área florestal de 14 ha.
Já em Oliveira de Frades os militares ocuparam o aeródromo da Pedra da Broa e "efectuam vários patrulhamentos ao longo do dia" conta o sargento Miguel Esteves. Aqui o Exército "está desde 2006 e os resultados mostram que, desde que chegaram, a diminuição dos fogos e da área ardida tem sido uma constante", conta Márcio Pereira, o responsável pelo gabinete florestal do concelho com quem os militares trabalham em permanência.
Este ano estes militares receberam um kit "com mil litros de água, que nos possibilita uma primeira intervenção", esclarece o sargento.
Nestas aldeias perdidas da serra a população "gosta dos militares e compreende o trabalho", assegura Esteves. Para esta "população idosa, a presença da tropa dás-lhes mais segurança".
É que estes militares, à semelhança das outras bases, efectuam os patrulhamentos "de dia e de noite". Num concelho com "61% de solos florestais e onde esta industria é responsável por algumas centenas de postos de trabalho foi a melhor aposta que se fez", complementa Márcio Pereira.
Nas patrulhas, feitas nos 360 ha de floresta, os soldados vão "munidos de ferramentas e com uma viatura com um tanque de água. A viatura segue com o motorista enquanto os outros elementos seguem a pé e observam a área". Todos os militares "usam capacete, luvas e viseira" e garantem em permanecia acções de vigilância.
Mas não é só no patrulhamento que o Exército se envolve nos fogos. "Possuímos homens destacados, no âmbito de vários planos, para ajudar em operações de rescaldo". Estes homens "possuem um fardamento apropriado e são usados por solicitação da protecção civil, conta o porta-voz do Exército.
O tenente-coronel Perdigão adianta que o Exército "assegura a representação das Forças Armadas em 17 dos 18 Centros de Coordenação Operacional Distrital, sendo esses elementos responsáveis pela ligação entre as forças militares presentes no terreno e os vários agentes de protecção civil".
DN

Bombeiros Agredidos Desistem das Queixas... (Assim Nunca Vamos Acabar Com Este Problema!)

Agressores acabam muitas vezes por pedir desculpas que são aceites pelos soldados da paz.
A maioria dos bombeiros das corporações da nossa região que são alvo de agressões durante o exercício das suas funções opta por desistir mais tarde da queixa judicial inviabilizando que os agressores sejam punidos. Nos últimos dois anos ocorreram diversas situações de agressões a bombeiros em Tomar, Abrantes, Almeirim e Alverca do Ribatejo mas segundo conseguimos apurar apenas dois destes episódios (Pego e Almeirim) vão seguir para a barra dos tribunais.
Os dois socorristas dos Bombeiros Voluntários de Alverca do Ribatejo, que foram agredidos na manhã de 17 de Outubro de 2008, quando tentaram evitar o suicídio de um homem que ameaçava atirar-se a um poço desistiram de accionar queixa. Dília Coelho e Paulo Martins sofreram hematomas, equimoses e traumatismos. Foram assistidos no hospital de Vila Franca de Xira e tiveram alta horas depois. Segundo o comandante dos Bombeiros Voluntários de Alverca do Ribatejo, Alberto Fernandes, na altura foi formalizada acusação às autoridades mas mais tarde, e após o pedido de desculpas do agressor, os operacionais optaram por não apresentar queixa.
O presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Santarém, Adelino Gomes, confirmou a O MIRANTE que a maioria dos bombeiros que são alvo de agressões acaba por desculpar os agressores uma vez que entende que estes actos são praticados numa situação em que os ânimos se encontram exaltados. “Os bombeiros sabem que as pessoas não praticam estes actos por maldade e quase todos pedem desculpa mais tarde, presencialmente ou por escrito, que acabam por ser aceites”, aponta o responsável. De acordo com Adelino Gomes apenas os casos de agressões mais graves, que envolvem internamento hospitalar e acarretam custos conhecem desenvolvimentos judiciais.
Como é o caso de agressões cometidas contra três socorristas dos Bombeiros Municipais de Abrantes, a 1 de Janeiro de 2009. Os três Soldados da Paz deslocaram-se ao Pego na ambulância do INEM para socorrer um homem que estava caído junto à EN 118. Dois homens que estavam no local agrediram os socorristas com murros e pontapés alegando que o socorro tinha demorado muito tempo a chegar. A ambulância foi danificada com pedras e ficou com um vidro partido. A Câmara de Abrantes deliberou apresentar queixa junto do Ministério Público.Já os elementos da mesma corporação que foram agredidos a 18 de Abril de 2008 em Vale de Rãs pelos familiares de um idoso que acabou por falecer a caminho do Hospital de Abrantes, optaram por desistir da queixa mesmo depois da autarquia ter manifestado a sua intenção de actuar junto do Ministério Público.
Procedimento igual tiveram os dois bombeiros que foram agredidos em Tomar, na madrugada de 5 de Dezembro de 2008, quando combatiam um fogo no bairro do Flecheiro em Tomar e que provocou a morte de um dos moradores de uma barraca. Apesar de prestarem declarações na polícia nenhum deles quis avançar com queixa, nestes casos em concreto por temerem sofrer mais represálias.
Final diferente vai ter o caso que se registou em Julho em Paço dos Negros, freguesia de Fazendas de Almeirim, durante uma prova de supercross. Elementos da corporação que estavam de serviço na iniciativa, foram alvo de agressões e injúrias. A situação ocorreu quase no final da iniciativa, quando um elemento de uma equipa pretendeu entrar à força no posto médico onde estava a ser assistido um piloto. Segundo apurámos, o caso vai mesmo ser julgado no Tribunal de Almeirim.
Recorde-se que o Governo aprovou a 3 de Setembro um decreto que pretende reforçar o patrocínio judiciário por parte do Estado aos bombeiros ofendidos ou agredidos no âmbito do exercício das suas funções profissionais. A medida foi anunciada no final do Conselho de Ministros, pelo titular da pasta da Presidência, Pedro Silva Pereira, que referiu que esse auxílio judiciário aplica-se aos processos judiciais em que os bombeiros sejam demandados ou demandantes.
Recorde-se que o Governo aprovou a 3 de Setembro um decreto que pretende reforçar o patrocínio judiciário por parte do Estado aos bombeiros ofendidos ou agredidos no âmbito do exercício das suas funções profissionais.
Fonte: http://portuga-coruche.blogs.sapo.pt/226494.html - (in bombeirosparasempre)