segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Dois Aviões Canadair Espanhóis no Terreno Desde Início da Manhã

Dois aviões Canadair espanhóis estão a combater o incêndio em Ribeira da Nave, concelho do Sabugal, distrito da Guarda, desde o início da manhã de hoje, disse à Lusa fonte do Comando operacional distrital.
Segundo a mesma fonte, os dois aviões espanhóis, accionados pela Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), estão no terreno desde as 9h e, neste momento, estão a abastecer em Salamanca (Espanha) para voltarem a operar no incêndio, que lavra há mais de 24 horas.
Fonte do Comando Distrital do Operações de Socorro (CDOS) da Guarda instalado no Alto do Mosteiro, Sabugal, adiantou que o vento forte e o terreno acidentado estão a causar dificuldades no combate às chamas.
De acordo com a fonte, desde domingo tem ardido principalmente mato, pinhal e áreas agrícolas, mas não há indicações de danos em habitações.
A fonte adiantou que, neste momento, há uma frente que preocupa os bombeiros, designadamente junto ao Alto do Mosteiro, onde está instalado o posto de comando.
O presidente da Câmara Municipal do Sabugal, Manuel Rito, disse à Lusa que as chamas já destruíram uma área extensa, mas ainda não está a avaliada.
As chamas destruíram áreas próximas de Sortelha, Orgeira, Alfeia de Santo António, Alogas, Santos Estêvão, Moita e Casteleiro, no concelho de Sabugal.
O incêndio, que deflagrou domingo às 00h51 em Ribeira da Nave, Sabugal, mobiliza 192 bombeiros, apoiados por 57 veículos, dois helicópteros e quatro aviões bombardeiros pesados.
Lusa / SOL

Guarda: Incêndio Circunscrito

O fogo que deflagrou na madrugada de domingo, em Ribeira de Nave, no Sabugal, distrito da Guarda foi finalmente circunscrito às 12h17, com o apoio de 197 operacionais e 57 veículos de apoio.

Os fogos no mato da Aboboreira, no Baião,Porto e os de Sobral da Serra, na Guarda e ainda o fogo que deflagrou esta madrugada, cerca das cinco horas da manhã, em Cruz de Armada, Monção, em Viana do Castelo já estão circunscritos.

video

CM

Bombeiros á Beira do Abismo (2.ª Parte)

Quarteis Megalomanos:
Gosto de estruturas simples tipo modulares que até dá para aumentar ou diminuir sem partir paredes e ficarem cubículos. Unidades que possuam todas as comodidades que os bombeiros apreciam e necessitam. Alguns criminosos queriam-se presos ao que gastaram e ficou uma borrada, que em poucos anos não tem utilidade. E acima de tudo NÃO INVENTEM! Aliás há modelos predefinidos que quase ninguém cumpre. Mas se os modelos já são maus então não façam pior...
Sejam como celebre Marquês de Pombal quando se projectou algumas avenidas em Lisboa e pensou num futuro, não digo o mesmo quanto aos quartéis existentes bem no meínho de uma zona que em 1755... Se o pior acontece os bombeiros socorrem a pé pois os carros ficam nos escombros! Sim porque por QUASE todo o país se vê carros de bombeiros fora dos quartéis na volta têm muitos ou quartéis pequenos. No entanto se as coisas nunca tivessem ocorrido poderia ser desculpa, mas não!
Nos quartéis inventamos tudo:
- Clínicas
- Cinemas
- Danças de Salão
- Sorteios- Peditórios
- Parques- Bares
- Barraquinhas
- Quermesses
Não somos mendigos! Somos uma necessidade de um povo que ainda não se capacitou disso, que acha que todos ganhamos muito dinheiro mesmo como voluntários!Muito bonita e de todos conhecida a frase "voluntários por opção, profissionais na acção".Eu digo: está quase na hora de pararem de se aproveitarem de nós.
Proposta Radical:
1.ª Condução de doentes para as privadas
2.ª Emergência Médica para quem de direito (INEM)
3.ª Socorros a Náufragos para quem de direito (ISN)
4.ª Terminem-se os ECIN`s dos moldes actuais
5.ª Especializem-se parcialmente os Bombeiros
6.ª EPI´s com critérios validos, sem macacada
7.ª Regalias condignas para bombeiros em regime de voluntariado
8.ª Uniformidade de quartéis, viaturas e uniformes que durem mais que 2 anos
São estruturas criadas com gente no terreno e actuações muito próprias. Só têm que fazer aquilo para que foram criadas. Enquanto não existiam os Bombeiros faziam, hoje existem que o façam se não têm efectivos que aumentem, se não têm meios que comprem.
Agarremo-nos ao que é muito nosso e que ninguém faz.Nunca pensei ver GNR a apagar incêndios, ainda verei um dia o INEM a desencarcerar pelo menos de show-off.
Certo é que os CB´s que têm barcos/botes não os vai afundar e devemos ter brancas para uma emergência, mas é para uma emergência não para toda a hora. E que essas brancas sejam boas devidamente equipadas sem tunings. E que os bombeiros estejam bem formados na área do TS e TAS para situações infelizes que todos gostamos de ser úteis. Não sermos desgastados no dia-a-dia, a toda a hora e minuto em situações que valha-me deus.
Só para ganhar uns cêntimos mais para a Associação. Até esquecemos as formações que fizemos pois raramente as pomos em prática, banalizamos tudo, não temos tempo para formação, para treino. Os carros degradados, a falta de material, os acidentes aumentam, as despesas cada vez mais elevadas depois fazem-se peditórios ao povo e cobramos caso o CODU não atribui nº pois o sistema mudou e os Hospitais não pagam.
Sobrecarregam-se direcções das chamadas Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários e em alguns concelhos são das maiores empresas que existem.
Até as Santas Casas da Misericórdia estão em mudança radical.
Farão falta Direcções?
Deverão continuar a chamar-se Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários?
Diminui:
- A receita
- Os gastos
- Horas de trabalho
- A estrutura
- O desgaste
Aumenta:
- A prontidão
- A selectividade dos elementos
- O ânimo- Formação
- A imagem
- O lucro por diminuição de gastos e € perdidos na confusão
Exigir:
- Distribuição decente das EPI´s com justificação das opções
- Distribuição decente de meios
- Regalias condignas sejam debatidas e não atiradas à sorte
- Sermos críticos de nós próprios
- Cumprir as determinações (horas de serviço, formação, presenças)
Autor: Comandante no Quadro de Honra
Fonte: bombeirosparasempre

Dois Bombeiros Mortos Num Incêndio Ainda “fora de controlo” na Califórnia

Dois bombeiros morreram esta madrugada num incêndio que já devastou 14 mil hectares e ameaça mais de 12 mil casas 30 quilómetros a norte de Los Angeles, Califórnia.
O mesmo fogo, que é agora combatido por 2500 bombeiros, já tinha obrigado a retirar das suas residências quatro mil pessoas.
É apenas um dos dez que arderam durante o fim-de-semana na Califórnia.
Os dois bombeiros estavam no bosque nacional de Los Angeles quando o seu veículo saiu da estrada. Um porta-voz disse que morreram enquanto travavam “um intenso combate contra as chamas”.
Este incêndio está quatro vezes mais forte do que estava na sexta-feira, quando começou. E continua “fora de controlo”, admite o serviço das florestas nacionais.
Sob ameaça está o centro de transmissões de Mont Wilson, que assegura a difusão dos principais canais de televisão de Los Angeles, dois terços das rádios FM e as transmissões de várias forças de segurança, locais e federais.
O governador do Estado, Arnold Schwarzenegger, foi ontem à zona lembrar a todos os abrangidos pelas ordens de evacuação que não podem permanecer nas suas casas.
Dezoito casas ficaram destruídas no domingo, a maioria na floresta de Los Angeles.Sexta-feira, Schwarzenegger já declarara o estado de emergência nos condados de Los Angeles e Monterey. Ontem alargou-o a Placer.
A Califórnia é frequentemente assolada por incêndios. Em 2007, sofreu os piores da sua história, com 640 mil habitantes a terem de ser retirados das suas casas e duas mil habitações destruídas.
Público

domingo, 30 de agosto de 2009

Algumas Palavras Para Reflectir

Estava eu a ver as notícias no telejornal da uma hora quando uns populares foram entrevistados num incêndio.
Fiquei revoltado quando alguns diziam que os bombeiros nunca estavam quando eram necessários, por isso cá vai o meu desabafo.
Muitas vezes somos criticados nos incêndios florestais.
Porque não vamos apagar o pinhal do Sr. José Manuel, ou não impedimos de o incêndio entrar no terreno do Sr. CR7.
Fazemos o nosso melhor, aquilo que tem de ser feito, com muito sacrifício, muitas horas de um combate desigual contra a força da natureza, o fogo é um soldado inimigo que as vezes nos trama.
Trabalhamos horas e horas sem comer e o que bebemos é a agua que o carro traz e muitas vezes essa água vêm de rios e ribeiros que não sabemos que qualidade têm.
As imagens que vocês viram se estiveram a ver o filme mostram o quanto sofre o BOMBEIRO quando está nos incêndios e por uns míseros trocos na altura dos ECIN´s.
Não o fazemos por dinheiro, fazemos porque gostamos de ajudar quem necessita e neste caso ajudamos a defender a nossa floresta.
Dá que pensar não dá????
Somos mulheres e homens que lutamos por uma causa (ajudar quem necessita), por isso eu sou a favor do "boicote aos ecin´s".
Podem contar comigo.
Queremos a mesma igualdade e para que toda a gente saiba ganhamos 1.71 euros á hora na altura dos ECIN´s.

Fonte: http://sempapaslingua112.blogspot.com/2009/08/algumas-palavras-para-reflectir.html

Mais de 500 Bombeiros Combatem 13 Incêndios em 5 Distritos

Mais de 500 homens estão a combater treze incêndios nos distritos de Braga (três fogos), Porto (cinco), Viseu (três), Bragança (um) e Guarda (um).
Dois dos fogos já foram circunscritos, segundo as informações da Autoridade Nacional de Protecção Civil. A maioria deflagrou durante a madrugada.
O incêndio que está a mobilizar mais meios é o que deflagrou hoje às 00h51 em Ribeira da Nave, concelho do Sabugal (Guarda).
No local estão 123 bombeiros, apoiados por 35 veículos. Às 04h32 havia duas frentes activas. O incêndio, que consome uma área de mato, ainda não foi circunscrito.
No distrito do Porto estão activos os fogos de Srª de Santa Cruz (Amarante) - que deflagrou ontem às 22h45 e está a ser combatido por 46 homens e 13 veículos -, da Aboboreira (Baião) - que começou hoje às 00h13 e conta com doze homens e quatro veículos no terreno - e o de Aldeia Velha (Amarante).
No local estão 55 bombeiros, apoiados por 15 veículos. Este incêndio deflagrou hoje às 01h54.
Um pouco mais tarde deflagraram os incêndios em Eiriz e em Ermida (ambos no concelho de Baião). Vinte e sete bombeiros combatem estes dois fogos.
O distrito de Braga tem ainda dois incêndios por circunscrever. Trinta e oito homens combatem as chamas que deflagraram em Lagoa (Fafe) às 02h05, apoiados por dez veículos.
Na serra do Oural (Cabeceiras de Basto) estão 30 bombeiros e dez veículos. As chamas começaram hoje às 03h50.As chamas consomem mato em três locais do distrito de Viseu.
Em Póvoa das Leiras (São Pedro do Sul) estão 18 bombeiros e quatro veículos. Este incêndio começou ontem às 22h54.
Quarenta homens lutam contra as chamas que deflagraram ontem às 22h42 em Ovadas (Resende). O fogo de Tarouquela (Cinfães) está a ser combatido por 32 homens e começou às 02h13.
Já estão circunscritos os incêndios de Cambeses (Cabeceiras de Basto) e o de Seixo de Ansiães (Carrazeda de Ansiães).
Público

Ocorrência Activa no Momento (30AGO2009/0:01)

Clique sobre a foto para ampliar

sábado, 29 de agosto de 2009

‘Menino Azul’ Oferece Quadro aos Bombeiros

Emanuel Silva, o ‘menino azul’, que sofre de duas doenças raras (síndroma de Alagille e tetralogia de Fallot) esteve ontem no Governo Civil de Faro a oferecer quadros pintados pela sua mãe, Helena Silva, que o acompanhou na visita.
"Oferecemos um quadro, que será leiloado, revertendo a receita para os Bombeiros de Faro", explicou Helena Silva, que continua a sua luta em prol do filho.
"O Governo continua a não pagar os produtos para a pele do menino [cerca de 400 euros mensais], apesar disso estar abrangido por recente legislação", diz Helena Silva, que espera pela intervenção do provedor de Justiça a quem formalizou queixa.
Emanuel, que continua a evidenciar francas melhoras, fez questão em oferecer outro quadro ao Governo Civil de Faro.
CM

Bombeiros Feridos em Rabiçais

Dois bombeiros ficaram feridos num incêndio, ontem à tarde, em Rabiçais, Cabeceiras de Basto, depois de terem caído numa zona em chamas.
Armando Mesquita foi internado no Hospital de Guimarães para tratar de queimaduras sofridas no braço.
Ao fim da tarde teve alta e já estava em casa. Manuel Pinto foi transferido para o Hospital de S. João, no Porto, para ser observando no serviço de oftalmologia.
"Os dois bombeiros, da corporação de Cabeceiras de Basto, estavam a combater as chamas numa zona muito íngreme e acabaram por se desequilibrar", contou ao CM Hercílio Campos, comandante distrital de Braga da Protecção Civil.
CM

Bombeiros á Beira do Abismo (1.ª Parte)

Boicote aos ECIN´s!?
Tudo bem. Isso que entre já a estalar...
Mas esse está longe de ser o problema de fundo!
Parecemos revoltosos, piratas a fazer motins a bordo. Piratas sinónimo de aventura, mas renegados, pulhas, malfeitores, gente do mais baixo...
É isso que somos?
Pergunto: É isso que os bombeiros são?
Isso é uma batalha numa guerra que tal como todos os impérios estamos a perder de dentro, por apodrecimento não só da ideologia mas muito também pelo desgaste e pelos puderes instalados (veja-se a queda dos impérios Grego, Romano...sim o Português também).
Os Bombeiros neste país contam com mais de 600 anos...Mudaram imenso...e não podem parar de mudar, de se ajustar a uma sociedade em constante mudança que se olharmos nos últimos 10 anos deu uma volta de 90º pelo menos.
Já chega de rodopiar sobre a mesma base (a base legal que constitui os corpos de bombeiros), pois é nada mais nada menos que uma achega para cá e para lá criando chefes e chefes e chefes que já serão mais do que os "índios". Chefes que remunerados e muito bem pois o desempenho denota-se!
Já:
- Fomos sós
- Únicos
- Fizemos tudo e de tudo
-"Seguramos um país" que mais estruturas não tinha para salvaguardar pessoas e bens.Ninguém vê ou quer ver por ignorância, por interesses egocêntricos, por ...
Hoje em dia:
- Criaram apoios ou desapoios?
- Deram-nos facadas (devolveram as navalhas que deixamos)!
- Chamaram-nos portanto à realidade de um serviço podre!
- FEB (bem criada com bombeiros)
- GIPS da GNR?
- Sapadores Florestais
- INEM (da coordenação e supervisão à prestação)
- Ambulâncias privadas
Onde só tínhamos como estruturas parceiras no terreno:
- Cruz Vermelha Portuguesa
- Equipas Florestais (ainda se lembram como terminaram?)
Queremos tudo:
- Incêndios Florestais?
Ver década de 80 e quem lucrou.
Aumentem as equipas de sapadores florestais, ficam mais baratas, trabalham ou deviam trabalhar no defeso, não aborrecem tanto os bombeiros com a história dos incêndios florestais e também já dão que fazer aos Comandantes Municipais.
Pois é mais fácil gastar dinheiro no combate do que no ordenamento do território.Informem-se do ex da ordenação da Alemanha do pós-guerra.
É melhor apertar as tetas as vacas para não produzirem leite do que perder os subsídios fofinhos da Europa rica!
- Emergência Médica?
Agora com um INEM "renascido" e prestador, salvaguardem-se os nossos homens e as situações de catástrofes.Devolvam-se as carripanas amarelas e os PEM que assim só têm que gastar em contratar gente. Compram a malta com carros parecidos.
Vejam os orçamentos mensais por carro deles e os nossos com tripulação é óbvioAgora com novos concursos para abrir é a hora.
- Condução de doentes?
Ambulâncias privadas para cima. Aliás, quem ou quantos os voluntários que embarcam neste tipo de missão? Sei que todos, mas com uma energia que dói!
Maior parte são feitos por assalariados dos CB´s, sejamos verdadeiros. Alguém gosta de pataletas? Só quem tem que as fazer!
Se há uns anos os CB´s eram financiados indirectamente por serviço prestado ao Ministério da Saúde, hoje está a mudar. Veja-se o caso dos Hospitais, EPE a concurso para serviço de Saúde. Os CB´s a MENDIGAR mais uns cêntimos ao km, a concorrência desleal para com as particulares!Nem falo dos "caladinhos"!
Deprimente!
- Fardas?
AI MINHA NOSSA!
Pelas fatiotas que se vê desfilar deve existir pelo menos umas 10 LBP.
Se uma já dá que falar. Bem, quando uma Liga que por exemplo tem sucessivamente aprovado (se não tem deixa que o façam) uniformes de trabalho sem faixas reflectoras (quando os Bombeiros na escola dizem as criancinhas que as mochilinhas as devem ter...) só pode ser para esconder do INIMIGO (à luz do RGM - Regulamento Geral Militar paizinho que sempre foi do Regulamemto CB´s) ou então e que está muito na moda para as vestes há INEM (as quais foram bem criadas com projecção tal que os bombeiros as propagandeiam!)

Só falta adoptar as dos GIPS, mas ainda dá prisão! Bem os actuais de trabalho são uns trapitos parecidos digo mal parecidos das botas para cima e não me refiro às cores lindas.
- Carros Fantasia?
Estou muito de acordo que as viaturas sejam adaptadas as necessidades das áreas de actuação próprias e que sejam também distribuídas com critérios (pois o estado entra com bago em nº considerável de viaturas – ver ultimo concurso e anterior que nem terminou ou anulou ou prescreveu... que barraca) mas por vezes estou a ver uma verdadeira concentração TUNING – isso mais para as brancas pois os vermelhos parecem uma FEIRA de BELDADES.
Somos um país maior em área que os por exemplo os EUA/Canadá (irra), veja-se os construtores, os carros.
Bem, certo é que não tenho visto muitos à GIPS com grelhinhas e embaladeiras cromadas.
Quando falo de distribuição seria distribuição e não concentração, do mesmo modo como as auto-escadas deverão estar em grande nº nas zonas urbanas pois no interior dariam para ir ao ninhos o mesmo se passa com os VF´s ou os VR´s os quais nas cidades será para apagar jardins ou fazer GRIF´s (não devia dizer isto!).
Mas sempre poderão ter um CARRINHO como aquele que foi para a Galiza, salvo erro em 2006, sim pois para lá das GRIF´s e dos jardins também dá para ir ao ESTRANGEIRO talvez mesmo até à lua!
Autor: Comandante no Quadro de Honra
Fonte: bombeirosparasempre

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Pombal: Detido Suspeito de Atear Fogo

A Polícia Judiciária (PJ) deteve esta sexta-feira um homem, de 31 anos, suspeito de ter sido o autor de um incêndio florestal, ocorrido no passado dia 14 de Agosto, no concelho de Pombal.
O arguido vai agora ser presente às autoridades para aplicação das medidas de coacção tidas por adequadas.
CM

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Incêndio de Mangualde - Agosto de 2009

Incêndio de Mangualde (ainda uma "criança")

Incêndio de Mangualde (30 minutos depois)
video

Fotos de: majo
Vídeo de: http://www.bombeiros.pt/

Crónica Atípica

1. Estou a escrever num espaço temporal que antecede a mudança do dia. Estou a escrever e pouco falta para a meia-noite. Estou a escrever e penso.
Uma pergunta: não seria bom que houvesse mudanças a sério nas nossas corporações de bombeiros?
2. Tenho tido, confesso-o a vós que ledes, vontade de me afastar dos bombeiros! Não por achar que já dei tudo o que tinha a dar (pois isto fá-lo-ei assim que o sinta!).
Não por considerar que travamos uma guerra que nunca vais ser vencida (pois considero que somos o elo fundamental que resolverá muitas batalhas a favor das comunidades em que nos movemos!).
Não por pensar que o que está a ser feito na revalorização e na sedimentação das Associações Humanitárias está correcto (penso que tenho de lutar, agora, ainda mais, pois o tempo dos oportunistas ainda agora está a começar e os órgãos sociais dessas mesmas Associações são presas fáceis na "fome" de protagonismo de vários figurões!).
Não por achar que há interesse, por parte dos meus camaradas e amigos mais próximos, e por parte da comunidade em que me insiro, em que eu me afaste dos bombeiros (pois isso não sinto!). Esta vontade de me afastar dos bombeiros tem vindo de um lugar insignificante do ponto de vista de quem o não quiser analisar bem de perto.
3. Ora bem, a minha vontade de me afastar dos bombeiros resulta da aparente necessidade, que reina nos dias de hoje, dos bombeiros serem ignorantes e mudos ou então aparentarem sê-lo. Ainda o não sentiram?
Hoje não se reconhecem competências válidas aos homens para a organização interna das corporações.Sabem quais são as únicas competências que são bem recebidas: o seguidismo, o "carneirismo", o comportamento "PIDEsco", o levantar a mão sem se saber porquê e o ser fantoche (como era referido numa crónica anterior por um camarada) manietado por alguns que ali vêem interesses políticos.
Estas últimas são as competências nucleares para uma boa relação com todos os órgãos que tutelam o sector e são as competências em que eu não me revejo e, por conseguinte, pelas quais tenho vontade de abandonar o quartel.
Se há homens que concordam com esta imbecilização de todos nós e querem continuar com ela, têm todo o direito a isso mas não contarão com o meu apoio. Se quiserem lutar contra isso de forma consistente, têm todo o meu apoio e ter-me-ão na linha da frente do combate.
4. Em linhas muito breves, traço aqui as razões do meu descontentamento e do meu afastamento voluntário das Equipas de Combate a Incêndios (ECIN) deste ano. Não me sinto bem num meio que promove a desigualdade entre os homens e premeia a capacidade de se ser imbecil!
Famalicão da Serra, 23 de Agosto de 2009
Daniel António Neto Rocha

Câmara de Almeirim Entregou 20 Capacetes aos Bombeiros

video

bombeirosparasempre / TV.4

Gripe A: Bombeiros Sem 'kits' de Protecção

As corporações de bombeiros ainda não estão equipadas com kits de protecção para a gripe A, facto que leva algumas corporações a adquiri-los por meios próprios.

O processo de distribuição é monitorizado pela Protecção Civil e "tem por base 25% da população que pode vir a ser afectada.

Serão 2,5 milhões de portugueses dos quais 2%, 50 mil, serão transportados pelos bombeiros", adianta o presidente da LBP.

Os kits "ainda estão em processo de aquisição e serão distribuídos pelos bombeiros tendo por base um critério proporcional à população".

Duarte Caldeira revela que "algumas corporações de bombeiros já adquiriram estes kits, que entenderam antecipar-se".

Quanto à toma de antivirais antes da confirmação de casos, o Ministério da Saúde explica que "as medidas profilácticas apenas estão disponíveis para situações suspeitas em caso de risco, grávidas e crianças com menos de um ano".

video

DN / TVI

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Realizou-se Escritura Referente aos Estatutos do C.R.P.Civil e Bombeiros

A Autoridade Nacional de Protecção Civil realizou no Cartório Notarial de Sintra a escritura pública referente aos estatutos do Centro de Recursos de Protecção Civil e Bombeiros, com a presença da respectiva Comissão Instaladora, composta pelo Major-General Arnaldo Cruz, em representação da Autoridade Nacional de Protecção Civil, pelo Dr. Duarte Caldeira, em representação da Escola Nacional de Bombeiros, e pelo Dr. Paulo Hortênsio, em representação da Liga de Bombeiros Portugueses.
A Comissão Instaladora terá por missão operacionalizar o funcionamento inicial do Centro de Recursos de Protecção Civil e Bombeiros, criando condições para a sua consolidação jurídica e institucional, competindo-lhe expressamente representar o Centro em juízo e fora dele, executar as deliberações do Conselho Geral, arrecadar as receitas e realizar as despesas, administrando todo o património da instituição, bem como exercer quaisquer outras competências atribuídas pelo Conselho Geral.
O Centro de Recursos de Protecção Civil e Bombeiros é uma estrutura que tem como objectivo o desenvolvimento e gestão de recursos com vista à intervenção eficaz, eficiente e qualificada dos agentes de protecção civil, no âmbito dos diferentes dispositivos de protecção e socorro e terá como missão o desenvolvimento e gestão dos recursos com vista à intervenção eficaz, eficiente e qualificada dos agentes de protecção civil.
O novo centro incorporará uma Academia de Protecção Civil e Bombeiros com capacidade pedagógica, científica e prática que sucede à Escola Nacional de Bombeiros, um Departamento de Gestão de Recursos de Protecção Civil, que integra uma vertente operacional, e um Gabinete de Consultoria e Serviços, que permitirá assegurar a sustentabilidade operacional, pedagógica e financeira, através da geração de receitas próprias a partir dos serviços prestados à comunidade.
ANPC

Bombeiros Combatem Dois Incêndios Activos

Dois incêndios florestais lavram esta quarta-feira à tarde no território nacional, nos distritos de Chaves e Resende, mobilizando um total de 98 operacionais, de acordo com a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).
Na localidade de Segirei, no concelho de Chaves (Vila Real), 49 operacionais, 45 dos quais bombeiros, apoiados por 12 veículos e três meios aéreos combatem um incêndio florestal que deflagrou por volta das 12h30.
Em Barrô, no concelho de Resende (Viseu), um incêndio florestal com três frentes activas numa zona de difícil acesso, deflagrou cerca das 13h20 mobilizando 49 operacionais, 37 dos quais bombeiros, apoiados por 13 veículos e seis meios aéreos.
CM

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Concluído Relatório Intercalar à Queda de Helicóptero na Serra da Estrela

O relatório intercalar relativo ao acidente com um helicóptero na Serra da Estrela, elaborado pelo Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), aponta que o piloto «estava devidamente qualificado e era experiente em voo de montanha».
O relatório intercalar referente ao acidente de 13 de Junho, ficou concluído a 30 de Julho, mas sem apontar causas do sinistro. Todavia, fonte do GPIAA, em declarações à agência Lusa, informou que o processo de investigação «que culminará com o relatório final», ainda se encontra em fase de elaboração.
«O processo de investigação está em curso, não está concluído e não há previsão» para a sua conclusão, indicou a fonte, salientando que «mal [o relatório final] esteja elaborado, será homologado e irá para a página [do GPIAA na Internet] de imediato».
Relatório inconclusivo
O helicóptero, que estava a fazer filmagens aéreas ao serviço de uma produtora, caiu na tarde de 13 de Junho numa encosta do alto de S. Bento, na Serra da Estrela, a 1.700 metros de altitude, junto à Estrada Nacional 338 que liga Portela de Arão à Lagoa Comprida, no concelho de Seia, provocando dois feridos graves (realizador e operador de câmara), e um ligeiro (piloto).
O relatório intercalar, que foi elaborado pelo investigador António Alves, tem oito páginas e aborda aspectos como história de voo, danos na aeronave, no piloto e passageiros, local da ocorrência e sobrevivência, entre outros, mas não aponta causas nem é conclusivo.
Do relatório consta que o piloto, espanhol, 37 anos, «estava devidamente qualificado e era experiente em voo de montanha» e «estava consciente das condições de voo associadas às correntes verticais ao longo de vales e encostas e conhecia o fenómeno de perda de eficiência do rotor de cauda em determinadas circunstâncias».
É também referido que «toda a documentação» do aparelho «se encontrava devidamente actualizada e o helicóptero havia sido preparado para a missão».
Adianta ainda que no dia do acidente «pelas 15:35, as filmagens foram dadas por terminadas e o piloto informado para regressar à base».
«Nessa altura, o piloto puxou o manche atrás e iniciou uma volta pela direita, a subir. O helicóptero começou imediatamente a rodar para a direita, sem que fosse possível contrariá-lo com a actuação do pedal a fundo», descreve o relatório.
«Encontrando-se muito próximo do solo, o piloto não tinha possibilidade de ganhar velocidade, reduzindo a potência, para recuperar a eficiência do rotor de cauda. O helicóptero efectuou quatro voltas de 360º, sobre si mesmo, acabando por colidir violentamente com o terreno, sem que o piloto tivesse controlo do mesmo», acrescenta ainda.
De acordo com a investigação, o impacto do aparelho com o solo «foi muito violento» e a aeronave «sofreu danos substanciais na fuselagem, cone de cauda e rotor de cauda».
Lusa/IOL Diário

O Distrito da Guarda tem Sido o Mais Afectado

video

RTP

O Maior Incêndio de Bragança Ameaçou Duas Aldeias

video

RTP

Incêndio no Parque Natural da Serra da Estrela

Um incêndio continua por circunscrever em zona de mato no Sabugueiro, em pleno Parque Natural da Serra da Estrela, mobilizando meia centena de bombeiros. Mas o nascer do dia pode facilitar o combate do fogo.
O fogo, cujo alerta foi dado às 20:53, tem duas frentes activas e está a ser combatido por 89 operacionais, incluindo 55 bombeiros, apoiados por 22 viaturas que se debatem com acessos difíceis.
As operações estão a ser coordenadas pelos Bombeiros de Seia e pelo Centro Distrital de Operações de Socorro da Guarda.
À TSF, Virgilio Borges, comandante dos Bombeiros de Seia, referiu que o nascer do dia e o apoio aéreo devem ajudar os «homens da paz» a combater este incêndio, que não ameaça as zonas mais sensíveis do Parque Natural da Serra da Estrela.
TSF

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Bombeiros Apresentam Exigências aos Partidos

Liga dos Bombeiros quer conhecer as propostas das forças que vão a votos para o sector.
Ontem, o distrito da Guarda foi o mais afectado pelos fogos, depois de um sábado em que se registou o recorde de fogos neste Verão.
A Liga de Bombeiros Portugueses vai apresentar as suas exigências a todas as forças políticas que se vão candidatar às legislativas.
A decisão inédita surge para conhecer atempadamente as propostas dos partidos para o sector dos bombeiros.
A LBP prepara-se para "elaborar uma carta reivindicativa a dirigir aos partidos políticos candidatos às eleições para a Assembleia da República", afirma Duarte Caldeira num artigo publicado no jornal Bombeiros de Portugal. A intenção é "colocar no processo eleitoral a discussão de matérias que dizem respeito aos bombeiros e ao socorro". Segundo Caldeira "este é o exercício de uma responsabilidade cívica".
No terreno, as chamas obrigaram ontem ao auxílio espanhol que chegou a Portugal sob a forma de meios aéreos. A situação mais grave viveu-se no distrito da Guarda, com os incêndios de Seixo Amarelo e Pega a reacenderem e a obrigarem à colocação de um forte dispositivo no terreno.
No Seixo Amarelo, segundo a Protecção Civil, as acções foram dificultadas pelos "difíceis acessos". A situação mais grave viveu-se porém durante uma "reactivação" do incêndio de Pega que deflagrou na tarde de Sábado. Para aqui foram deslocados dois pelotões militares, bombeiros oriundos de Santarém, Coimbra e Aveiro e efectivos da Força Especial de Bombeiros.
No combate às chamas foi ainda accionado um Canadair espanhol, que se juntou aos dois portugueses que estiveram todo o domingo envolvidos neste incêndio. À hora do fecho desta edição este fogo não estava circunscrito.
No distrito de Viseu, um incêndio em Castro Daire consumiu uma vasta área de mato. Neste incêndio foi mobilizada uma centena de bombeiros e quatro meios aéreos. No distrito de Braga houve registo de um incêndio em Cabeceiras de Basto. No distrito do Porto um incêndio na Trofa, que chegou a ter "três frentes activas" só foi extinto ao final da tarde. Em Bragança houve registo de fogos em Calvelhe, Vila Flor e em Freixo de Espada à Cinta, para onde foi activado um helicóptero espanhol.
No sábado, os incêndios florestais atingiram um número recorde, desde que começou a fase "Charlie". A Protecção Civil contabilizou 237 ocorrências. Apesar do alerta, classificado pela Protecção Civil ser o Azul, não deixou de ser o dia que mais trabalho deu aos Bombeiros.
Para hoje, todo o Norte do País está com risco elevado de incêndio florestal, sendo que nos distritos de Bragança e Portalegre e nos concelhos de Almeida e Sabugal, no distrito da Guarda, é máximo.
DN/AMADEU ARAÚJO

Dados Nacionais e Europeus Sobre Incêndios Não Coincidem

De Janeiro a 15 de Agosto houve 31 "grandes incêndios" em Portugal, segundo a Autoridade Florestal Nacional (AFN), enquanto o Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais registou 54. Vários fogos detectados pelo sistema europeu não constam nos relatórios nacionais, mas também há incêndios que só a AFN contabiliza.
Segundo os dados divulgados pelo Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS, na sigla em inglês), na sua página na Internet, que monitoriza os incêndios na Europa através de um sistema de satélite, houve 54 fogos com área ardida superior a 100 hectares de Janeiro a 15 de Agosto de 2009 em Portugal.
No entanto, o relatório provisório divulgado na semana passada pela AFN, entidade sob tutela do ministério da Agricultura, refere que "registaram-se 31 ocorrências enquadráveis" em "grandes incêndios" ["consideram-se grandes incêndios aqueles cuja área total afectada é igual ou superior a 100 hectares"] em Portugal, de 01 de Janeiro a 15 de Agosto de 2009, que resultaram numa área ardida total de 9208 hectares.
Os dados das duas entidades não coincidem, havendo vários incêndios detectados pelo sistema europeu que os relatórios referentes a este ano da AFN não mencionam. Mas também acontece o contrário: há grandes incêndios referidos pela AFN que não constam das listas do EFFIS.
No mês de Abril, por exemplo, a AFN não mencionou qualquer incêndio com área ardida superior a 100 hectares, mas segundo o registo europeu houve um fogo, no dia 24, que consumiu 275 hectares em Espinhosela, Trás-os-Montes. Por outro lado, a AFN referiu ocorrências de grandes incêndios nos dias 16, 17, 20, 26 e 28 de Julho, mas que não constam dos dados europeus.
Acontece também que o mesmo fogo apresenta áreas ardidas diferentes nos dois registos. Um exemplo: o fogo em Ansiães, no concelho de Amarante, a 18 de Março, queimou 408 hectares segundo a AFN e 619 segundo o sistema europeu. Uma outra ocorrência com dados diferentes respeita a um incêndio em Santana de Cambas, no concelho de Mértola, em que as autoridades nacionais registaram 567 hectares queimados pelo fogo e a UE contabilizou 451 hectares.
A agência Lusa solicitou dados adicionais ao ministério da Agricultura sobre datas de incêndios, métodos de cálculo de áreas ardidas e contabilização de fogos e áreas ardidas, além de um comentário sobre os dados do sistema europeu e as diferenças em relação aos que constam nos relatórios que a AFN divulga quinzenalmente.
Em resposta, fonte do Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas destacou que os relatórios quinzenais da AFN são "provisórios", sublinhando que "nada tem a acrescentar" e que "tudo foi esclarecido aos deputados da Assembleia da República" sobre os incêndios nas suas deslocações à Autoridade Nacional de Protecção Civil.
O EFFIS foi instituído pelo Centro Comum de Investigação (CCI) e pela Direcção-Geral do Ambiente da Comissão Europeia e fornece alertas diários de risco de incêndio, bem como avaliações de danos em apoio aos serviços de combate aos incêndios dos Estados-Membros da UE, aos serviços da Comissão Europeia e a outras organizações neste domínio.
O EFFIS divulga as informações de incêndios e área ardida quase em tempo real, nos países da Europa e do Norte de África, com base em informação captada em permanência por satélites.
DN

domingo, 23 de agosto de 2009

Incêndios na Grécia: Governo Português Já Disponibilizou Ajuda

O número de vítimas mortais dos incêndios que estão a devastar a Grécia já chegou a 63. Há pelo menos 89 focos de incêndio em todo o país, atiçados pelos ventos fortes.
Há centenas de aldeias destruídas e ontem o fogo esteve perto das ruínas de Olímpia, o berço dos Jogos Olímpicos, consideradas Património da Humanidade pela Unesco.
Milhares de pessoas que fugiram dos incêndios ficaram sem abrigo e estão temporariamente alojadas em escolas, hotéis e centros de saúde. O estado de emergência foi declarado no sábado.
"Em 30 anos, nunca vi tanta destruição", disse aos repórteres um bombeiro na região do Peloponeso. "A destruição é de proporções bíblicas."
O primeiro-ministro Costas Karamanlis afirmou suspeitar que há incendiários por trás dos fogos e ofereceu uma recompensa de cem mil a um milhão de euros a quem denunciar um incendiário.
Mas, até agora, a polícia deteve apenas dois idosos e dois jovens suspeitos de terem ateado fogos.
Mais de 800 bombeiros gregos, apoiados por dezenas de colegas de outros países, com 20 aviões e 19 helicópteros, lutam contra as chamas na península do Peloponeso, onde os fogos têm maiores proporções.
O Governo português enviou um avião Canadair para Atenas, que ficará à disposição das autoridades gregas.
A França enviou quatro aviões do mesmo tipo e 60 bombeiros sapadores, a Itália enviou um avião e Chipre deslocou 30 bombeiros para a Grécia.
O governo grego espera ainda o envio de mais aviões e helicópteros fornecidos por outros países, como Sérvia, Israel, Eslovénia, Espanha, Roménia, Alemanha, Noruega, Holanda e Áustria. Atenas pediu também ajuda aos Estados Unidos e à Rússia.
Com as legislativas já a 16 de Setembro, a oposição acusou o Governo de tentar encobrir a falta de prevenção e organização na luta contra os incêndios.
Para o líder socialista, Georges Papandreou, o Executivo "transformou a Grécia num Estado sem defesa".
"Catástrofe", "Vergonha" e "Incapacidade" são alguns dos títulos dos jornais gregos de hoje, que criticam a falta de coordenação dos serviços de socorro e de combate aos incêndios.
Esquerda

Três Bombeiros Resgatados de Helicóptero do Rio Sabor

Três bombeiros que combatiam o incêndio que deflagrou em Calvelhe, no concelho de Bragança, foram resgatados do rio Sabor, de helicóptero, por um Grupo de Intervenção de Protecção e Socorro (GIPS) da GNR.
«Os três bombeiros caíram de uma escarpa de difícil acesso ao rio Sabor», disse à Lusa fonte do Comando da GNR.
A mesma fonte referiu que foi mobilizado o GIPS de Nogueira, que resgatou, com um helicóptero, os três bombeiros, que foram transportados para o hospital de Bragança.
Este incêndio mobilizava cerca das 23:45, 123 operacionais e 31 viaturas.
Lusa

Mais de 600 Bombeiros e 11 Meios Aéreos Combateram 6 Fogos às 18h

Mais de 600 bombeiros, auxiliados por onze meios aéreos, entre aviões e helicópteros estiveram envolvidos às 18h no combate a seis incêndios florestais distribuídos por três distritos, segundo a página na Internet da Autoridade Nacional de Protecção Civil.
O distrito com mais fogos referenciados é o de Bragança, com fogos nos concelhos de Bragança, Vila Flor e Freixo de espada à Cinta.
Segue-se a Guarda, com dois incêndios, em Pêga e Manteigas, e o Porto, com um incêndio na Trofa.
O fogo que esteve a dar mais trabalho, com uma frente activa, foi o de Pêga, que deflagrou às 15h19 e esteve a ser combatido por 288 bombeiros, auxiliados por três aviões e por um helicóptero bombardeiro pesado.
No concelho de Freixo de Espada à Cinta, em pleno Parque Natural Douro Internacional, que deflagrou às 14h57 e tem uma frente activa.
Este incêndio esteve a ser combatido por 15 bombeiros e quatro efectivos do Grupo de Intervenção, Protecção e Socorro da GNR.
Lusa / SOL

A Estatística da ANPC de Ontem Superou Todos

No dia de ontem, os alertas dados em ocorrências de incêndios florestais foram eminentes, superaram todos os dias transactos desde que foram activadas as fases “Bravo” e “Charlie”.
Apesar do Alerta classificado pela ANPC ser o Azul, não deixou de ser o dia que mais trabalho deu aos Bombeiros que não tiveram mãos a medir para afluir a tantas ocorrências.
Os Bombeiros do Concelho de Seia entraram em actividade no início da tarde ao combate às chamas no incêndio de Cide - Vide e Ponte do Mondego, limite dos Concelhos Seia - Nelas, Distrito de Viseu.
Os incêndios em questão eclodiram sensivelmente ao mesmo tempo onde ficaram circunscritos algumas horas depois sendo o de Nelas, o de maior risco chegando ameaçar habitações e onde mais meios estiveram envolvidos.
Graças à prontidão e rápida intervenção dos meios aéreos e Bombeiros, os incêndios no final da tarde estavam já circunscritos. Durante a noite estiveram em fase de Prevenção e Vigilância.


Fotos enviadas por: majo

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Prevenção Rodoviária do País de Gales Faz Vídeo Chocante

Vale a pena ver e reflectir.
O País de Gales, este Verão, construiu um vídeo magnífico para sensibilizar os condutores quanto ao uso indevido do telemóvel durante a condução.
O vídeo contem imagens desaconselháveis a crianças ou pessoas sensíveis.

video

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Estatística da ANPC Face aos Incêndios Florestais Desde 01AGO2009 a 19AGO2009


A Autoridade Nacional da Protecção Civil dá como estatística desde 01AGO2009 até 19AGO2009 cerca de 2.395 ocorrências de incêndios florestais, 34.878 combatentes no terreno e 8.750 viaturas de combate aos fogos nos TO.
No mês de Julho e em igual período registaram-se -1.038 (-56,659%) ocorrências de incêndios florestais, -15.030 (-56,906%) combatentes no terreno e -3.837 (-56,148%) viaturas de combate aos fogos nos diversos TO.

Quatro Feridos em Incêndio nas Festas da Senhora da Agonía

Um incêndio numa barraca das festas da Senhora da Agonía, em Viana do Castelo, provocou hoje quatro feridos ligeiros, disse à Lusa fonte do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).
O fogo vitimou uma mulher de 20 anos, que sofreu queimaduras de segundo grau na face, uma mulher de 40 anos, com queimaduras de primeiro grau nos braços, uma mulher de 30 anos, com queimaduras de primeiro grau nas pernas e braços, e um homem de 50 anos, com queimaduras de primeiro grau na região do tórax.
As vítimas foram transportadas para o Hospital de Viana do Castelo. No local estiveram a viatura médica de Viana do Castelo, três ambulâncias da Cruz Vermelha e uma ambulância dos Bombeiros Municipais.
Segundo fonte dos bombeiros, o incêndio foi provocado por uma acumulação de gás no sistema de águas pluviais, que se libertou por uma sarjeta próxima do local onde os proprietários da barraca confeccionavam a comida que iriam comercializar.
A fonte admitiu que a acumulação de gás nas condutas do sistema de águas pluviais não pode ocorrer através fenómenos naturais, como por vezes acontece nas redes de saneamento.
«Teve de haver uma fonte exterior que justifique esta acumulação de gás», disse.
Lusa/SOL

Acidente com Ambulância em Altura

Uma ambulância dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António chocou, ontem por volta das 15h00, com um carro espanhol, na rotunda de Altura, em Castro Marim, Algarve.
Do acidente resultaram dois feridos ligeiros que iam no carro mas um dos ocupantes foi desencarcerado devido ao bloqueio de uma porta.
CM

Bombeiros Fazem Levantamento Sobre Evolução dos Fogos

A forma como o fogo evolui, o comportamento da combustão e as consequências que daí advêm são objecto de um levantamento que, nos últimos meses, está a ser realizado pelo adjunto de comando dos Bombeiros Voluntários de Castelo Branco.
O trabalho de José Cruz, que não incide sobre a investigação das causas dos incêndios ou apuramento de áreas ardidas, começou por ser desenvolvido no concelho de Castelo Branco, mas foi alargado à área do distrito, por sugestão do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).
"A ideia é perceber o comportamento do fogo e se o trabalho feito no combate foi o mais correcto.
Daqui tiramos informações que podem vir a ser úteis" noutras situações, explica José Cruz.
Existindo um histórico dos diversos incêndios, vão sendo retiradas ilações para, de futuro, poderem ser aplicadas em situações análogas, concretiza.
No terreno há que percorrer todo o perímetro queimado, tentar determinar a zona de origem da eclosão e seguir até à parte mais intensa da combustão.
Também se pode começar em qualquer outro ponto do terreno para, no final, se chegar à conclusão onde tudo teve o seu início e como o incêndio progrediu, adianta.
Segundo José Cruz, muitas vezes é difícil determinar o ponto exacto da ignição, mas a zona de início é sempre assinalada.
No terreno ardido, não há obstáculos, tem de se ver tudo e observar com "muitos olhos" e, por isso, saltam-se cercas e muros e atravessam-se linhas de água.
"Quando se faz um planeamento, este tem de estar sustentado em algo. Não estamos a fazer um trabalho científico, mas temos de perceber como o fogo se vai comportando", acrescenta José Cruz.
Por outro lado, o trabalho deste elemento do comando dos Voluntários de Castelo Branco tenta obter explicações sobre elementos concretos, como a existência de duas frentes de incêndio ou porque é que o fogo seguiu determinada direcção.
"Em situações semelhantes já temos comparativos", diz, embora frisando que não há dois fogos iguais. Feita a observação no terreno ardido vem o passo seguinte, com José Cruz a organizar um relatório que entrega ao CDOS, que faz a sua análise.
"O Comando Distrital retirará as suas ilações que verterá juntos dos comandantes dos diversos corpos de bombeiros, podendo desta forma transmitir alguns conhecimentos de que neste ou naquele incêndio o fogo teve este ou aquele comportamento" refere.
Todo este trabalho é definido, pelo CDOS de Castelo Branco como "uma análise feita à medida".
Fonte: DN

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Liga dos Bombeiros Defende Mecanismo Alternativo à Linha Saúde 24

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) defendeu, terça-feira, a «necessidade urgentíssima» de reforçar a Linha Saúde 24 ou de ser criado um mecanismo alternativo e alertou para os «grandes défices de informação» junto dos portugueses.
«Este foi aqui identificado como um dos problemas mais graves da fase em que nos encontramos», disse Duarte Nuno Caldeira, em Pombal, no final de uma reunião da LBP com os responsáveis das 18 federações distritais de bombeiros do continente para articular procedimentos no âmbito da gripe A.
O dirigente sublinhou a existência de uma «crescente dificuldade, todos os dias constatada, da Saúde 24 fazer o respectivo encaminhamento das pessoas que para ela ligam», acrescentando que irá fazer chegar esta «vulnerabilidade» ao Ministério da Saúde.
«É uma preocupação que nos assiste nesta fase e que tenderá a agravar-se à medida que o número de casos venha a aumentar», advertiu.
Duarte Nuno Caldeira afirmou ainda que no encontro foi abordado «o comportamento ao nível da comunidade», considerando existirem «grandes défices de informação». Insistindo na necessidade de uma «adequada resposta» por parte da Linha Saúde 24, o presidente da LBP revelou que a Liga dos Bombeiros Portugueses adquiriu dois mil kits, cada um com uma bata, um par de luvas e duas máscaras, que vão ser distribuídos aos corpos de bombeiros.
Além destes kits, os corpos de bombeiros aguardam por outros - entre 20 a 50 mil - cuja entrega, explicou, será da responsabilidade da Autoridade Nacional da Protecção Civil ou da Direcção-Geral da Saúde.
«Sendo desejável que antes já deveríamos ser detentores desse equipamento, não podemos dizer que é tarde, o que temos de dizer é que temos que acelerar, não podemos de facto perder mais tempo», alertou.
Também terça-feira, a ministra da Saúde, Ana Jorge, admitiu que a Linha de Saúde 24 tem de melhorar a resposta aos utentes, alguns dos quais se queixam de demora no atendimento e no encaminhamento dos casos de gripe A.
TSF

Bombeiros Combatem Oito Incêndios Florestais

Ao início da tarde, mais de 400 bombeiros combatiam oito incêndios florestais todos por circunscrever, nos distritos de Vila Real, Viseu, Guarda, Porto e Lisboa.
O fogo que mais meios mobilizava registava-se em Contenças de Baixo, no concelho de Magualde (Viseu), envolvendo 111 elementos apoiados por 26 veículos.
Ainda no distrito de Viseu, um outro incêndio, em Póvoa de Cervães, igualmente no concelho de Mangualde, estava a ser combatido por 59 elementos apoiados por 9 veículos e um meio aéreo.
No distrito da Guarda, continuavam a lavrar dois incêndios, um em Aldeia Nova, concelho de Almeida, e outro em Almofala, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo.
Vila Real era outro dos distritos com dois fogos activos ao início da tarde: em Melhe, concelho de Ribeira de Pena, e Agordela, concelho de Valpaços.
No distrito do Porto, os bombeiros combatiam um incêndio em L. Monte, no concelho de Baião, e no distrito de Lisboa as chamas lavravam em São Pedro e Santiago, no concelho de Torres Vedras.
CM

PJ Detém Suspeito de Atear Incêndios

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta quarta-feira a detenção de um homem, de 61 anos, suspeito de ser o autor de dois incêndios florestais, que deflagraram nos dias 9 e 16 de Agosto deste ano, no concelho de Coimbra.
O indivíduo detido já foi presente às autoridades e encontra-se em prisão preventiva.
CM

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Boicote aos ECIN's Chegou ao Diário de Notícias

Clique sobre a foto para ampliar

Já Arderam Mais Sete Mil Hectares Que em Todo o 2008

A área adida entre Janeiro e 15 de Agosto deste ano é de quase 24 mil hectares, mais sete mil hectares de floresta do que em 2008, embora este tenha sido um ano atípico, comunicou o Comando Nacional de Operações de Socorro.
«Em termos de dados provisórios [desde o início do ano até ao dia 15 de Agosto] temos 12.092 ocorrências de incêndios florestais, com uma área ardida estimada total, provisória também, de 23.772 hectares», anunciou o responsável pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS).
Comparativamente ao ano passado, de acordo com dados avançados por Gil Martins, houve, no período compreendido entre 1 de Janeiro e 15 de Agosto de 2008, cerca de 7500 ocorrências, que provocaram uma área ardida de aproximadamente nove mil hectares.
No total dos doze meses de 2008 registaram-se 17 mil hectares ardidos. No entanto, o comandante nacional operacional desvalorizou os dados, sublinhando que 2008 foi um ano excepcional.
«Obviamente que a área ardida deste ano é superior à do ano passado, mas é bem inferior àquilo que aconteceu na média dos últimos cinco anos ou da média dos últimos dez anos», apontou.
O responsável acrescentou que a Autoridade Nacional de Protecção Civil pretende chegar a 2012 «com uma área ardida média de cem mil hectares por ano», objectivo que faz parte do Plano Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios.
«Neste momento, aquilo que podemos constatar é que essa média é muito inferior a esses cem mil hectares», sublinhou Gil Martins.
No que diz respeito aos dados correspondentes à fase Charlie, período no qual existe maior risco de incêndios, entre 1 de Julho e 15 de Agosto, houve 2029 ocorrências, que se traduziram em 3221 hectares de área ardida.
Por outro lado, na primeira quinzena de Agosto registaram-se 1653 ocorrências, com uma área ardida de 1110 hectares de floresta.
Para o comandante do CNOS, estes dados explicam-se maioritariamente com os «comportamentos de risco» dos cidadãos.
«Os comportamentos estão melhores do que o que estavam em anos anteriores, mas estão piores do que no ano passado. Continuamos a ter que manter um esforço e uma pressão muito grandes em termos do comportamento.
As pessoas têm de se habituar a que, durante o Verão, não podem fazer fogo na floresta em qualquer circunstância», explicou Gil Martins, sublinhando, porém, que também os «comportamentos de risco» diminuíram comparativamente à média dos últimos cinco e dez anos.
Lusa / SOL

Incêndio em Girabolhos - Seia



Ontem, pelas 12:15h, deu-se o alerta de mais uma eclosão de incêndio na freguesia de Girabolhos, Concelho de Seia.
O fogo que lavrava com bastante intensidade devido ao calor e aos ventos na ordem dos cerca 15/30 km/h, foi dominado 1:45h depois, onde na 1ª. intervenção estiveram 4 meios aéreos, 2 Dromader’s e 2 Helicópteros.
Paralelamente esteve a ser combatido por terra pelas FEB do destacamento CMA - Seia (8 homens), Vigilantes da Protecção Civil Municipal de Seia (1 viatura e 3 homens), Sapadores da Urze (1 viatura e 3 homens), Bombeiros de Seia (6 viaturas e 26 homens), Bombeiros de S. Romão (1 viatura e 5 homens), Bombeiros de V. N. de Tazem (1 viatura e 5 homens).
As operações estiveram a cargo do Sr. Comandante de Seia, Virgílio Borges, onde explica que “não fosse a rápida intervenção dos meios que temos no minuto imediato sejam eles aéreos, terrestres e um bom comando, o hectare de mato, pinheiro bravo e manso que ardeu, podia ter-se traduzido em vários visto que as condições existentes no local, temperatura alta, vento e vegetação seca, estavam reunidos todos os factores para uma rápida propagação".
O incêndio entrou no período de prevenção e vigilância cerca das 14:30h.
Fotos enviadas por: majo

Mão Criminosa e Tempo Quente na Origem de Fogos

A Polícia Judiciária anunciou ontem a detenção, na Lousã, de um homem, de 51 anos, suspeito de ter ateado dois incêndios por "gostar de ver os bombeiros a actuar".
O incendiário, que é reincidente neste tipo de crime, vive sozinho e vai aguardar julgamento em prisão preventiva.
Confessou que ateou os fogos de madrugada, de seguida chamou os bombeiros e ficou a vê-los a apagar as chamas.
No dia de ontem, os concelhos de Seia, Sabugal, Montemor-o-velho e Vila Pouca de Aguiar registaram fogos florestais, entretanto extintos.
Por volta das 21h00, as chamas ainda lavravam nos concelhos de Miranda do Douro, Valpaços e Penafiel.
O fogo de Miranda do Douro, distrito de Bragança, era a situação mais preocupante, mobilizando 106 elementos, 26 veículos e três meios aéreos.
CM

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

António Fonseca, CODIS da Guarda, Explica Estados de Alerta na Cidade Mais Alta de Portugal

video

Bombeiros de Portugal, Assegurem os Serviços Mínimos e Partamos Para o Boicote

Boa noite caros companheiros de luta.
No seguimento da notícia alusivo ao “Boicote aos ECIN em Setembro” penso que este desafio não seja um dilúvio mas sim um modo de nos fazermos sobressair no meio de tanta injustiça.
Na minha opinião pessoal o artigo “Boicote aos ECIN” está bem explícito, “anda-se a fazer pouco” dos bombeiros portugueses.
O momento pode ser de crise mas nada invalida que façamos com que os nossos governantes possam olhar para a classe e lembrar que os bombeiros voluntários têm um trabalho árduo, perigoso e muito difícil, quando têm que suportar calores extremos e até mesmo sujeitos à perda de vidas etc., e quanto ganham, UMA BAGATELA.
Equiparando o TRABALHO ARRISCADO destes homens com o de uma senhora que passa descansada a roupa a ferro durante 8 horas (atenção, sem menosprezar qualquer profissão) é compararmos um pequeno elefante de uma hora de vida com um ratinho de anos, e a diferença salta à vista, o elefante é já bem maior.
Então veja-se, um bombeiro que trabalhe 24h ganha cerca de 41Euros, uma senhora na faxina se trabalhar 8h ganha aproximadamente o mesmo, logo que 8h são apenas 1/3 do dia normal de trabalho de um bombeiro.
Ridículo ou não mas isto é matemática, a pura realidade que temos e é apenas por isso que lutamos, por um futuro mais digno.
Vejamos o INEM, apenas com um pré-aviso de greve o que eles já conseguiram no espaço de uma semana… mais uma para juntar a muitas outras e tudo isto porquê, porque se dignaram a erguer a voz e fazerem entender aos nossos governantes que eles estão ali e caso eles não olhem para a classe deixam apenas de andar no terreno.
E nós bombeiros ou melhor, os responsáveis pela classe fazem o quê para olhar por nós?!
Como disse, o INEM numa semana conseguiu o que nós nunca pensamos atingir tão breve e tudo isto se continuarmos a envergar os caminhos que nos levam a ter que aceitar.
Associações, Federações e Liga que se juntem á voz dos bombeiros para dizer, BASTA!
Para terminar companheiros de luta pensem no seguinte, quanto ganham os GIPS/GNR por um dia de trabalho… quanto ganham os nossos amigos das FEB… quanto ganham os elementos de comando… quanto ganham os operadores dos cdos, do cnos e quanto ganhamos nós pobres bombeiros a fazer mais horas de trabalho que todos eles... nada que se pareça e tudo porquê, porque deixamos que nos baixem o volume da voz.
Admito que a “greve” não seja a melhor forma de darmos a conhecer o que vai mal na classe mas uma vez que os nossos governantes não têm noção de enxergar, temos que os sensibilizar que nem tudo vai bem e a melhor forma seja esta, a da “greve”, infelizmente. Estamos em ano de eleições e penso que seja este o melhor momento.
Caros companheiros de luta, assegurem os serviços mínimos da cada associação e tenhamos noção que este seja um caminho infelizmente a seguir, isto para fazermos notar a nossa existência, para que “o que hoje foi difícil fazer, amanhã tenha valido a pena se ter feito”.
Não faço nem quero fazer disto política mas verdade se diga, o ser bombeiro é um dos actos mais nobres que um ser humano pode ter, então há que lhes dar o verdadeiro valor e eu com este meu texto pretendo apenas valorizar este trabalho, pretendo dar valor a quem tem ou teve o espírito de ajudar o seu semelhante sempre com a noção de fazer o melhor e esquecendo que pode perder a vida para salvar uma outra.
VIVAM OS BOMBEIROS DE PORTUGAL, VIVAM OS BOMBEIROS DE TODO MUNDO.

Repassem, divulguem e saibam de outras opiniões visitando o blog

http://bombeirosparasempre.blogspot.com/2009/08/boicote-aos-ecin-em-setembro.html

Um abraço amigo

Autor devidamente identificado