terça-feira, 21 de julho de 2015

Incêndio em Seia obriga à evacuação de quatro povoações


O incêndio que lavra no distrito da Guarda, em Coucedeira, no concelho de Seia, levou esta tarde à evacuação de quatro povoações como medida de precaução.

De acordo com o Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil, o incêndio levou as autoridades a optarem pela evacuação de algumas habitações de Alvôco, Pereira, Parente e Vide.

O Centro Distrital de Operações de Socorro da Guarda adiantou que o fogo já se propagou ao concelho vizinho de Oliveira do Hospital, no distrito de Coimbra, e que ameaça habitações. A mesma fonte indicou que o combate está a ser dificultado pelo vento forte e pela vegetação abundante na zona afectada.

No combate ao incêndio em Coucedeira estão envolvidos 255 bombeiros, apoiados por 63 veículos e dez aeronaves.

Outros dos dois incêndios que continuam por circunscrever lavram no distrito de Braga. Um deles em Rio Douro, concelho de Cabeceiras de Basto, estando no seu combate 52 bombeiros, auxiliados por 15 veículos e quatro aeronaves. Um segundo fogo está a ser combatido em Sobreposta, concelho de Braga, por 23 bombeiros e seis viaturas.

No distrito de Coimbra, as chamas em Bonitos, concelho de Soure, obrigaram ao corte do trânsito na Auto-Estrada do Norte (A1) entre os nós de Pombal e Condeixa. No local estão 37 bombeiros, dez veículos e uma aeronave.

No distrito de Viseu estão a ser registados incêndios em três concelhos. Um deles em Vila Seca, concelho de Castro Daire, que está a ser combatido por 46 bombeiros, apoiados por dez viaturas e uma aeronave. Um segundo fogo lavra em Linhar de Pala, concelho de Mortágua. No local estão 214 bombeiros, 47 veículos e cinco aeronaves. Ainda neste distrito, em Samodões, concelho de Lamego, as chamas mobilizam no terreno 32 bombeiros e sete veículos.

Em Serra de São Neutel, no concelho de Alvaiázere, distrito de Leiria, as chamas continuam por circunscrever e mantêm em acção 256 bombeiros, apoiados por 73 viaturas.

Mais a sul, no distrito de Faro, a localidade de Vale de Mulher, concelho de Loulé, regista um fogo, combatido por 71 bombeiros, 18 veículos e uma aeronave.

O Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil indica ainda que se encontra dominado o incêndio que lavrava no distrito de Bragança, em Felgar, concelho de Torre de Moncorvo, estão ainda no local 40 bombeiros e onze viaturas.

Em fase de rescaldo entraram os incêndios em Azinhal dos Mouros, distrito de Faro, em Póvoa de Luisianes (Viseu), em Vale Pevino (Beja) e em Luilhas (Braga).

Os incêndios no país mobilizam em acções de combate, prevenção, vigilância e rescaldo, um total de 1935 bombeiros, apoiados por 520 veículos e 30 meios aéreos.

Fonte: Público.pt

domingo, 23 de setembro de 2012

Viatura dos Bombeiros de Lourosa despistou-se e dois bombeiros ficaram feridos

Um acidente com uma viatura dos Bombeiros de Lourosa, em Santa Maria da Feira, provocou um ferido grave e um ligeiro.
Os operacionais dirigiam-se para o combate às chamas, quando a viatura se despistou na zona de Canedo, por volta das duas e meia da tarde de ontem.
Os dois feridos sofreram fracturas nos membros inferiores e estão internados no hospital de Santa Maria da Feira.
O que sofreu ferimentos mais graves foi operado e está na unidade de cuidados intensivos. O outro está internado na unidade de cuidados continuados.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Helicópteros KAMOV vão cessar imediatamente operações de voo

Os helicópteros KAMOV utilizados no combate aos incêndios florestais vão ter que cessar imediatamente todas as operações de voo a pedido da empresa que assegura a manutenção dos aparelhos, indicou hoje o Ministério da Administração Interna (MAI). 

Uma nota do MAI adianta que a Empresa de Meios Aéreos (EMA) recebeu hoje uma notificação da empresa que assegura a manutenção dos seis aparelhos a informar que os helicópteros KAMOV vão ter que "cessar de imediato todas as operações de voo".

A suspensão das operações de voo destes aparelhos surge na sequência do incidente ocorrido a 3 de setembro com um dos helicópteros KAMOV da frota da EMA, estando atualmente em curso as investigações a cargo do Instituto Nacional de Aviação Civil (INAC) e do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA).

Fonte do MAI disse à agência Lusa que no decurso desta investigação foi reportado que alegadamente poderia existir uma desatualização entre o manual de manutenção utilizado pela empresa e o que está em vigor pelo fabricante.

Em consequência da notificação hoje recebida, o MAI determinou à EMA que apresente "com urgência" alternativas tendo em vista "assegurar e manter a capacidade operacional adequada nas missões confiadas à responsabilidade do Ministério, para as quais, neste momento, conta com 38 outros meios aéreos".

Na nota, o MAI salienta ainda que tais factos foram comunicados à Procuradoria-Geral da República "sem prejuízo das investigações técnicas em curso, tendo em vista o apuramento de todas as responsabilidades e a necessidade de acautelar a defesa dos interesses do Estado".

Com a paragem dos KAMOV, o combate aos incêndios florestais fica assegurado por 38 meios aéreos, sendo três da EMA e os restantes alugados para a época mais crítica de combate a fogos.

Lusa

Morreu bombeiro ferido no combate ao fogo de Arganil

O bombeiro que estava internado por ter ficado queimado no combate às chamas no concelho de Arganil, no mesmo incêndio em que uma bombeira perdeu a vida, morreu nesta sexta-feira, de acordo com a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP).
«Faleceu hoje o bombeiro de 3.ª do Corpo de Bombeiros Voluntários de Côja, Pedro Manuel Santos Brito», refere a LBP num comunicado divulgado pela agência Lusa. 
A LBP recorda que o bombeiro estava internado na unidade de queimados do Hospital da Universidade de Coimbra, «vítima de acidente trágico no combate ao incêndio que deflagrou no concelho de Arganil, no passado dia 15 de setembro [sábado], que vitimou também a bombeira Patrícia Abreu».

TVI24

domingo, 16 de setembro de 2012

Bombeira dos Voluntários de Coja morre ao tentar fugir das chamas

Uma bombeira dos Bombeiros Voluntários de Coja, Arganil, morreu, este sábado à tarde, ao tentar fugir das chamas que devastaram por completo a floresta de Casal Cimeiro, freguesia de Barril de Alva.

Para além da vítima mortal, do acidente resultaram ainda quatro feridos, um deles em estado grave, e a destruição total do carro de combate a incêndios em que seguiam os cinco elementos dos Bombeiros.

"Foi uma tragédia como nunca antes havia acontecido nesta corporação, que vai festejar meio século de vida em janeiro próximo", afirmou, ontem, o presidente da Câmara de Arganil, lançando suspeitas sobre "mão criminosa"- "em poucos dias, três incêndios devoraram 1500 hectares de floresta", disse.

Ricardo Alves explicou que a viatura em que seguiam Patrícia Abreu, de 25 anos, e os outros quatro jovens colegas ter-se-á despistado e ficou presa numa árvore. "Ao tentarem fugir, algo aconteceu para a bombeira ter ficado para trás. Ficou completamente carbonizada", disse, emocionado, o autarca.

Um ex-colega da falecida, que era filha de um antigo bombeiro, irmã de um no ativo e mulher do bombeiro Ricardo Santos, de 25 anos, disse ao JN, precisamente no local onde foi encontrado o cadáver da vítima - a cerca de 50 metros do carro ardido -, que "a Patrícia era boa companheira, muito educada, mas tinha um problema de mobilidade, por ser muito forte - teria mais de 90 quilos". Por isso, o ex-colega, que conhece bem a zona do sinistro e tem experiência de combate a incêndios, diz que "o que pode ter acontecido é ela ter caído ou desmaiado ao tentar fugir e as chamas terem-na apanhado".

"Foi uma desgraça na família da Patrícia. Ela tinha comprado casa há cerca de um ano. Vivia com o Ricardo. Estava a formar vida e foi tudo ceifado por causa de uns bandidos que andam aí a atear incêndios para ganhar dinheiro à custa de tragédias", desabafou, ao JN, uma idosa que, ontem à noite, no quartel dos BVC, aguardava notícias dos três feridos que entretanto tiveram alta hospitalar e do ferido grave, residente em Bogalhos, que se encontrava ventilado e sedado.

JN

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Em Arganil mais de 400 bombeiros combatem as chamas

Os bombeiros não têm tido descanso, ao longo de todo o País. Exemplo disso são os de Arganil, onde estão, atualmente, envolvidos cerca de 400 operacionais no combate às duas frentes ativas na região do Salgueiral e em Coja.

Foram mobilizados para este incêndio mais de 250 bombeiros, 71 viaturas e dois meios aéreos, contudo, a Autoridade Nacional de Proteção civil tem vindo a mobilizar cada vez mais meios para esta localidade nas últimas horas.

Os fogo conta com três frentes ativas, numa extensão superior a três quilómetros, mas conforme informação cedida pelo segundo comandante distrital de operações de socorro de Coimbra, ainda não foi necessário, até ao momento, evacuar povoações, sendo que nos locais mais afetados a eletricidade foi cortada para que os meios aéreos possam atuar em maior segurança.

O fogo, que deflagrou às 12:49 em Salgueiral/Coja chegou a ter apenas duas frentes, mas uma frente que tinha sido dominada reacendeu-se.

a bola.pt

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Helicópteros abastecem em lagos, tanques ou piscinas


O trabalho dos meios aéreos está a ser fundamental para salvar as casas. Em Gouveia, a SIC assistiu às manobras quase sempre arriscadas dos helicópteros.
Clique no link para ver:

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2012/09/04/helicopteros-abastecem-em-lagos-tanques-ou-piscinas

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Incêndio de Torroselo /Carragosela Concelho de Seia

O incêndio que começou na noite de Domingo 02SET2012, entre Carragosela e Torroselo apanhou dimensões catastróficas devido às altas temperaturas e ventos fortes.









domingo, 2 de setembro de 2012

5 Fogos lavram no Distrito de Viseu


 Num raio de 50Km entre Viseu e Mangualde, 5 fogos lavram há várias horas... será isto coincidência???

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Entrega de meios de combate a fogos a privados alvo de providência cautelar

Uma empresa avançou com uma providência cautelar contra o concurso que pretende entregar a gestão dos meios aéreos para combate a fogos e apoio sanitário a privados nos próximos cinco anos. Em causa estarão limitações técnicas no caderno de encargos que tornam quase impossível a empresas que não as que já operam no sector concorrerem.

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=582697&tm=8&layout=122&visual=61

RTP

sábado, 25 de agosto de 2012

bombeirospontopt vítima de hacker

Uma vez mais o blogue bombeirospontopt foi alvo de hackers. A conta foi bloqueada com novas passwords que impuseram a ordem de ser intocável pelos próprios criadores.

Depois de vários esforços na tentativa de resolver a questão, eis que chega o momento de ser reposta a legalidade e dar a César o que é de César.

O bombeirospontopt está activo mas com alguns impedimentos de percurso normal, devido à situação profissional do actual moderador é difícil continuar com este trabalho diário como se tinha tornado anteriormente.

Era um sítio que nos dava conta dos principais temas do mundo dos bombeiros e assim se desejava que continuasse. Para se evitar o fecho total do blog, continuarei a ser “prisioneiro” com todo o gosto em vos servir apenas de tempos a tempos, nas notícias que se acharem mais pertinentes.

As mais sinceras desculpas. Agradecidos pela vossa compreensão, 
Um abraço
bombeirospontopt

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Piloto que combatia fogos ameaçado com caçadeira

A GNR anunciou a identificação de um homem de 50 anos, professor, residente em Moimentinha, Trancoso, por ter usado uma arma de fogo para ameaçar o piloto de um helicóptero que pretendia recolher água para combater um incêndio florestal.

O caso ocorreu na segunda-feira, pelas 19:00, precisamente em Moimentinha, quando o piloto do helicóptero alertou o centro de comunicações que um homem armado o impedia de abastecer a aeronave num tanque de água.

«O indivíduo terá impedido que responsáveis pelo helicóptero que colaborava no combate às chamas o abastecessem com água na sua propriedade, ameaçando-os com uma arma», contou fonte do Comando Distrital Guarda à agência Lusa.

Dado o alerta, adiantou, a patrulha do posto de Vila Franca das Naves deslocou-se ao local «e ainda encontrou o indivíduo - professor, que lecciona na Escola de Vila Franca das Naves, Trancoso - com a arma de caça».

O homem justificou a atitude por «ter acabado de fazer um investimento no depósito de água» e por ter gasto «uma soma avultada a comprar animais de pastorícia». Alegou que o helicóptero, ao efectuar o abastecimento no tanque, «além de retirar a água que tinha para rega e para a alimentação dos animais, iria assustá-los».

A GNR identificou o homem, apreendeu a arma e as munições que estavam na sua posse e encaminhou o processo para o Tribunal de Trancoso.

A fonte explicou que, após ter sido surpreendido com a ameaça, o piloto do helicóptero «teve que ir abastecer a outro local» e disse que «o incêndio acabou por não tomar grandes proporções» porque ocorreu ao fim da tarde e devido à acção dos bombeiros.

IOL Diário

Dia-a-dia de pilotos, mecânicos e bombeiros em tempo de fogos

video

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Jorge Garcia: As pedaladas de solidariedade são notícia nas Astúrias

Para tradução do conteúdo altere o idioma no canto superior direito para Francês e de novo para Português.

El ciclista discapacitado Jorge García pasa por Asturias en un recorrido de 2.407 kilómetros para ayudar a los bomberos de su pueblo en Portugal.

Podría pasar por un turista más en la capital asturiana este agosto, pero sus piernas esconden un secreto. Con devoción, se arrodillan en la catedral de Oviedo, agradeciendo una nueva jornada sin incidentes en su particular peregrinaje. Entró en Asturias por Llanes el día 22 y saldrá hoy por Ribadeo rumbo Galicia.

Han pasado diez días desde que abandonó su hogar en Suiza en su bicicleta y aún le quedan cinco más para alcanzar su meta en Loriga, Portugal. No es ni el primero ni será el último que cumpla una hazaña deportiva atravesando cuatro países, -Suiza, Francia, España y Portugal-. El detalle no tan común es que le espera su bicicleta reclinada, adaptada a su discapacidad a la salida del templo más representativo de Oviedo.

Quizá agradezca a San Salvador cómo ha evolucionado su vida en los últimos once años. Cuando perdió un brazo en el año 2000 por un accidente laboral, Jorge García pensó que jamás se recuperaría y los cuatro años sucesivos confiesa que no levantó cabeza. En esos momentos de desesperación, una imagen de su juventud recorría su mente y le ayudó a reponerse: las carreras que hacía por Loriga, su ciudad natal portuguesa, con la ayuda de los bomberos de allí.

Entonces, en el año 2004, llegó a los oídos de Jorge la noticia de que el centro de estos bomberos se encontraba en ruinas y necesitaba 60.000 euros para su reconstrucción.

“La vida se mide por detalles humanos, del corazón”, dice, y por ese motivo planeó la ruta de 2.407 kilómetros desde su casa hasta Loriga. Su recorrido respeta el Camino de Santiago, que le recuerda a García la religión, que le ayudó a salir adelante, aunque las donaciones económicas de la gente, también resultaron decisivas. “por la voluntad se pueden comprar kilómetros”, explica García aunque se trate de una medida más bien simbólica para sufragar la reconstrucción del edificio de los bomberos portugueses.

Tan entregado a la causa está que afirma ahorrar todo lo posible durante el viaje. “Duermo en un saco de dormir en la calle para que los bomberos perciban la mayor parte del dinero”, justifica, y explica los motivos por los que se ha retrasado un poco en su viaje “Estos últimos cuatro días de lluvia han sido matadores”, comentaba ayer, aunque sus ánimos no flaqueen y en su camino brille el sol.

La voz de Asturias

Comentário publicado (1)

He visto en el la página de los bomberos de ese pueblo que el edificio no estaba en ruinas, es nuevo.pero se ha quedado a medias. Ese hombre, así como tantos otros discapacitados, son una inspiración en estos tiempos de crisis y quejas. Eso sí, no ha tenido mucha suerte con el tiempo de aquí.

Por: Tino Menéndez

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Bombeiro Municipal de Leiria denuncia "perseguição" no seio da corporação

"Práticas discriminatórias e atitudes que visam a humilhação" são queixas de um bombeiro municipal de Leiria, que exige a substituição do comandante da corporação. Queixoso pondera avançar para tribunal.
Um bombeiro municipal de Leiria está a ponderar a hipótese de apresentar uma queixa em tribunal por alegada "perseguição" de que estará a ser alvo naquela corporação, exigindo mesmo a substituição do comandante.
Tudo começou há pouco mais de um ano, quando a quase totalidade dos Bombeiros Municipais de Leiria entregaram ao presidente da câmara um abaixo-assinado, sustentando que o comandante da corporação "prejudica o bom funcionamento da actividade do corpo de bombeiros", impondo "novas regras de funcionamento e de horário de trabalho sem audição" dos elementos ou das suas instituições representativas.
Na altura, o presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP), Fernando Curto, pediu mesmo a substituição do comandante, mas o presidente da autarquia, Raul Castro, manteve a confiança no operacional.
Desde então, o bombeiro Paulo Ascenso diz estar a ser "perseguido" e "humilhado" no seio da corporação, pelo que solicitou ao presidente da Câmara Municipal de Leiria "actuação" no caso.
(Mais informação na edição impressa) in Diário das Beiras

domingo, 21 de agosto de 2011

Incêndio na Serra da Estrela continua sem dar tréguas aos bombeiros

video

Octagenário morre a serrar botija de gás

Alberto Ramos, de 82 anos, morreu ontem vítima da explosão de uma botija de gás no anexo da casa, na travessa da Breja, em Salreu, Estarreja. A companheira, Maria Ascensão Fonseca, com cerca de 70 anos, ficou gravemente ferida com queimaduras no rosto e corpo
"Ouvi um estrondo e quando olhei, vi a bilha de gás a voar. Depois, a senhora veio para a rua pedir socorro. Estava toda chamuscada", contou Isabel Nunes, a vizinha do casal que estava no jardim quando se deu a explosão, por volta da 16h00. Outro vizinho tentou entrar em casa para acudir Alberto, mas já só conseguiu afastar Ascensão das chamas. "Ele ainda tentou agarrar o braço do moço mas tiveram de sair", contou Isabel Resende, outra vizinha que ainda viu as duas vítimas. "Ela tinha o cabelo queimado, a cara, os braços e as costas também. Estava em pânico mas não percebeu que o homem tinha morrido. Nunca vi uma coisa assim", descreveu Isabel.

Ascensão foi transportada para o Hospital de Aveiro e transferida para Coimbra. Os bombeiros de Estarreja apagaram as chamas, que consumiram os anexos da casa. GNR e PJ investigam a causa da explosão, que terá sido antecedida por um pequeno fogo. De acordo com os vizinhos, não foi a primeira vez que deflagrou um incêndio no anexo. Segundo o CM apurou, Alberto Ramos tinha por hábito, serrar botijas de gás vazias, para as transformar em fogareiros ou em recipientes.

CM

Mau tempo em Leiria provoca incêndios e quedas de árvores

Dois incêndios em Alcobaça são ainda as situações mais preocupantes domau tempo desta noite no distrito de Leiria, informou o comandante operacional do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS), José Manuel Moura.

O comandante referiu que os vários focos de incêndio que assolaram hoje Leiria já se encontram em fase de rescaldo.

José Manuel Moura explicou que “desde as 18:00 que surgiu um número anormal de ocorrências”, entre as quais 18 incêndios, sendo os concelhos de Alcobaça e Leiria os mais atingidos.

“Foi uma situação que nos mereceu alguma preocupação e muita dispersão de meios”, adiantou o comandante, desconhecendo ainda as causas dos incêndios, que “as condições climatéricas não são alheias”.

Na praia do Pedrógão, no concelho de Leiria, a população ficou sem eletricidade cerca das 21H00, confirmou fonte da EDP à agência Lusa, acrescentando que se trata de “uma avaria geral”, não havendo ainda expetativa de resolução do problema.

O presidente da Câmara de Leiria, Raul Castro, explicou que o mau tempo provocou “danos na escola do Arrabalde, cujo muro desabou após a queda de uma árvore” e uma “chaminé de uma casa no Vidigal caiu”.

Apesar disso, “está tudo controlado. Os focos de incêndio estão em fase de rescaldo e não há feridos a registar. Apenas alguns danos materiais reduzidos”, acrescentou Raul Castro, salientando que os minutos de mau tempo foram um “pavor”.

as beiras

Ocorrências de Incêndios Florestais no momento

Segundo a Home page da Autoridade Nacional da Protecção Civil regista desde as 00:00h, 111 ocorrências de incêndios florestais, 11 em curso.
2 apresentam maior significância: Sobrido, Gondomar - Porto, com 143 homens, 41 veículos e 2 HEB. Nabais (Parque Natural Serra da Estrela), Gouveia - Guarda, com 109 homens, 30 veículos e um HEB.
ANPC/CNOS

sábado, 20 de agosto de 2011

Ocorrências de Incêndios Florestais no momento

Desde as 00:00 até ao momento foram registadas 106 ocorrências, 6 delas ainda em curso. A mais significativa regista-se em Alto das Lameiras, Penafiel, Porto que conta com 61 bombeiros, 6 GIPS, 16 veículos e um helicóptero bombardeiro .
ANPC/CNOS

Área ardida até metade de Agosto é a terceira mais baixa da última década

Até 15 de Agosto, os fogos destruíram 24 mil hectares de espaços florestais no continente, a terceira área ardida mais baixa da última década.
Os 24 mil hectares contabilizados no último relatório provisório da Autoridade Florestal Nacional (AFN) publicado ontem mostram que até metade deste mês as chamas devastaram menos de um quarto dos perto de 104 mil hectares que arderam em média desde 2001. Isto apesar da diminuição de meios do dispositivo de combate aos incêndios, que conta este ano com menos 15 aeronaves entre Julho e Setembro, a pior época dos fogos. Menos significativa é a diminuição das ocorrências. Este ano foram registadas até 15 de Agosto 13.489 ignições, contra as 14.675 da média da última década.
Agosto está a ser um mês menos problemático que Julho, que contabiliza a maior área ardida do ano: 10.908 hectares. Na primeira quinzena deste mês arderam 3249 hectares, um número ainda provisório que, mesmo assim, já o torna o segundo pior mês deste ano. A maior parte da área ardida ocorreu em zonas de mato (16.187 hectares), tendo perto de um terço do total (7812 hectares) destruído povoamentos florestais. O maior incêndio do ano aconteceu em meados de Julho, em Idanha-a-Nova, Castelo Branco, e devastou 1568 hectares, um valor muito inferior ao maior incêndio de sempre, em Niza, que em 2003 destruiu mais de 40 mil hectares.
Viana do Castelo ocupa o primeiro lugar na lista dos distritos com maior área ardida (3874 hectares). "No que respeita aos 23.999 hectares contabilizados até 15 de Agosto, cerca de 44 por cento ocorreu nos distritos de Viana do Castelo, Braga e Bragança, com áreas superiores a três mil hectares", lê-se no relatório da AFN.
O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Duarte Caldeira, atribuiu grande parte da responsabilidade dos bons resultados às condições meteorológicas, que não tem favorecido a ocorrência de incêndios. "Temos assistido neste Verão a uma instabilidade meteorológica que não se verificava há vários anos. Tem havido muita oscilação das temperaturas, mas as noites têm estado quase sempre muito húmidas", nota Duarte Caldeira. E continua: "O número de ignições diárias tem facilitado a gestão do dispositivo, que acima de um determinado número de incêndios entra em ruptura". O dia com mais fogos deste ano foi 28 de Julho, com 367 ocorrências, um número bastante inferior às mais de 500 ignições que chegaram a ocorrer o ano passado, que terminou com uma área ardida de 133 mil hectares.
Duarte Caldeira, que fala de um "ajustamento" do dispositivo de combate aos fogos, admite que talvez existisse um excesso de meios aéreos. "Se calhar está demonstrado que os 56 meios aéreos disponíveis o ano passado são desproporcionais. É possível fazer bem com os 42 aparelhos que estão a operar este ano", afirma. O responsável lamenta, contudo, a "total ausência de resultados palpáveis a montante do combate", no âmbito das políticas de ordenamento do território e gestão da floresta.
Público

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Dois feridos no incêndio do Sabugal

video

Incêndio em Sabugal dominado esta manhã

video

Incêndio industrial em Santa Maria da Feira

video